Tráfego qualificado: o que é e como gerar para meu site?

Tráfego qualificado é a atração de pessoas que são de fato o seu publico-alvo e que estão realmente interessadas no seu negócio e naquilo que ele oferece. Ou seja, é uma das melhores formas de atingir potenciais clientes e aumentar as vendas.

Neste artigo você irá conhecer as principais maneiras de atrair esse tráfego para o seu negócio e melhorar seus resultados na internet. Vamos lá?

Veja neste artigo

Como Gerar Tráfego qualificado para seu Site com Inbound

O Inbound Marketing, ou Marketing de Atração, é uma das melhores formas de gerar cada vez mais tráfego orgânico para uma empresa. O que isso significa? Que você irá atrair o seu público de forma espontânea e totalmente gratuita, sem precisar forçar a barra ou parecer invasivo com suas ações aos olhos dos usuários.

E mais: 47% dos profissionais de marketing afirmam que gerar mais tráfego é a principal prioridade das suas estratégias no dia a dia, segundo a pesquisa Estado do Inbound.

Se esse também é o seu objetivo, separamos abaixo as principais vantagens que o Inbound Marketing traz para te ajudar a aumentar o tráfego orgânico do seu projeto

Vantagens do Inbound Marketing para gerar tráfego qualificado

Criação de conteúdo relevante

Essa é a essência do Inbound Marketing. É criando um conteúdo relevante, de qualidade e realmente útil para o usuário que você irá aumentar o seu tráfego orgânico.

E esse é um fato comprovado. Empresas que possuem um blog dentro do seu site para reunir todo esse conteúdo conseguem até 55% mais tráfego, de acordo com a Rock Content.

Como isso acontece? Simples. Pensa comigo:

  • 1) O primeiro fator a se considerar é o funcionamento do Google e dos demais mecanismos de busca. Por meio dos seus algoritmos, esses sites conseguem identificar aqueles conteúdos que são realmente relevantes para as pesquisas dos usuários, dando prioridade para eles e colocando-os em uma posição melhor que as dos concorrentes. Ou seja: se você produzir artigos para o seu blog que sejam exatamente aquilo que o público da sua marca está procurando, alinhado a boas práticas de SEO, ele irá progressivamente subir de posição nos resultados de busca, o que significa mais exposição e, claro, grandes chances de que mais usuários acessem o seu site.
  • 2) O segundo fator a se considerar é o engajamento espontâneo da sua audiência. Se você produzir um conteúdo de qualidade, que esclareça as dúvidas dos usuários de forma simples e prática, é mais provável que o leitor goste daquele artigo e, depois, compartilhe naturalmente com outras pessoas nas suas redes sociais , aumentando o seu tráfego orgânico. Se ele tinha um problema que foi efetivamente resolvido com aquele conteúdo, ele com certeza conhecerá alguém que está passando pela mesma situação e indicará o seu texto como algo útil para aquela pessoa. Aposto que você mesmo já fez isso, certo?

Então, para criar conteúdo relevante, pense principalmente em resolver de forma prática os problemas do seu público. Você deve responder exatamente àquilo que eles estão procurando ao pesquisar alguma coisa no Google, por exemplo.

Leia também:

8 práticas que fazem a diferença em uma produção de conteúdo

Entendimento do comportamento da persona no meio online

Essa é, sem dúvidas, uma das maiores vantagens do Inbound Marketing para o aumento do tráfego orgânico. Isso porque é com o inbound que você consegue entender com mais clareza o comportamento da sua persona no meio online e aquilo que ela está buscando.

Isso acaba facilitando — e muito — a produção dos seus conteúdos e até mesmo o planejamento das suas estratégias, já que saberá com mais precisão aquilo que o seu público se interessa na internet.

Assim, você poderá criar ações mais assertivas e que atinjam diretamente os usuários do tráfego que quer atrair para o seu site.

Para isso, um trabalho de Inbound Marketing envolve, principalmente, a pesquisa de palavras-chave, para entender exatamente quais os principais assuntos relacionados ao seu negócio que a sua persona está pesquisando quando abre o Google.

Gerar Tráfego qualificado

Saiba como construir a jornada de compra do seu cliente

Organização dos conteúdos em uma jornada de compra

Certo, você já aprendeu que uma das vantagens é que o Inbound Marketing cria conteúdos relevantes para a sua persona. Um outro benefício é que um trabalho de inbound também organiza/divide esses conteúdos em uma jornada de compra.

Isso permite que você atraia o seu público em diferentes momentos.

O que isso significa? Que com o inbound você produzirá conteúdos específicos e direcionados para impactar a persona em diferentes momentos do seu processo de consumo, desde quando ele está apenas pesquisando informações básicas sobre assuntos que se relacionam ao seu negócio, até quando está, de fato, preparada para comprar e convencida de que você oferece a melhor solução para ela.

É fácil de entender: se você produz conteúdos para todas as etapas da jornada de compra, você consegue atrair mais pessoas para o seu site em diferentes momentos, mais preparadas para consumir ou não. Resumindo: o leque de possibilidades é maior.

E ainda: lembre-se que investir em um site responsivo e rápido é muito importante, uma vez que uma simples demora de carregamento da página pode afetar todas as suas estratégias. Para saber como melhorar o seu site, dê uma olhada neste artigo aqui:

Como avaliar o desempenho de um site?

Mantém a persona atualizada constantemente

Esse é um compromisso que o Inbound Marketing tem com o público da sua marca. A estratégia busca oferecer conteúdos relevantes frequentemente, o que atrai o público com mais frequência e aumenta o tráfego de forma regular.

Por exemplo, se você posta um artigo por semana no seu blog e divulga nas redes sociais da sua empresa, sempre às quintas-feiras, você cria expectativa na sua audiência, e faz com que a sua persona crie uma conexão com a marca e retorne ao seu site mais vezes.

Além disso, seguindo a lógica dos conteúdos relevantes, a publicação frequente também é um critério do Google para colocar um site nas primeiras páginas. Se um site é atualizado, ele é priorizado nos resultados das buscas e aparece para mais pessoas.

O que acha de conferir tudo que precisa saber sobre Inbound Marketing em um só lugar? Acesse aqui a nossa categoria e aprofunde-se no assunto!

Conversão de tráfego de mídia paga para tráfego orgânico

Por essa você não esperava, certo? Já imaginou que por meio da mídia paga você também pode atrair mais tráfego orgânico? Essa é outra vantagem do Inbound Marketing.

Funciona assim: imagine que você criou uma campanha no Google Adwords sobre um artigo do seu blog e ela apareceu para um usuário que estava pesquisando algo relacionado.

A campanha chamou atenção do usuário e ele clicou no link para acessar o seu blog. Ao terminar de ler o texto, por ser um conteúdo relevante e interessante para ele, a pessoa passa a navegar pelo seu site em busca de outros artigos semelhantes.

A partir do momento que ele começou a navegar pelo seu site, espontaneamente e por conta da qualidade do conteúdo, a sua interação se converte em tráfego orgânico. Entendeu?

Mas, para que isso aconteça, é de extrema importância que você se preocupe com a relevância dos conteúdos que produz e use estrategicamente as mídias pagas, certo?

Melhora da exposição da marca nos sites de busca

Essa é uma das grandes vantagens do Inbound Marketing para o tráfego orgânico do seu negócio. E isso por conta de uma das suas principais técnicas: o SEO.

O SEO é o responsável por fazer com que o seu site suba posições nos resultados de busca, de forma orgânica e sem que precise gastar nada por isso.

Assim, a sua marca estará exposta para mais usuários e, com o título e o resumo corretos, você pode atrair a atenção dessas pessoas e fazer com que mais delas acessem o seu site.

E vale ressaltar o quão importante é ter uma boa posição nos sites de busca: 75% dos usuários permanecem apenas na primeira página de resultados quando fazem alguma pesquisa, segundo levantamento da Hubspot.

Como gerar tráfego qualificado?

Ir em busca de cada vez mais tráfego qualificado facilita o consumo de qualquer produto, serviço ou conteúdo de uma empresa, seja o blog do site, ebooks produzidos, e-commerce, entre outros.

Para atrair esse tipo de tráfego para a sua empresa, é essencial que você conheça muito bem o seu negócio e, principalmente, tenha claro em mente quem é o seu público-alvo, delimite muito bem a sua persona e a jornada de compra dela com a sua marca.

Aprenda o que é persona e como criar uma para o seu negócio!

Ter cada uma dessas coisas bem definidas facilitará na hora de desenvolver estratégias mais assertivas para atrair tráfego qualificado.

Anotou? Então vamos conhecer mais dicas essenciais, acompanhe!

Leia também:

Como vender na internet sem gastar com anúncios

Produza conteúdo de qualidade

Você deve produzir conteúdo de qualidade, útil e relevante para o seu público.

E não é só porque esse é o ponto principal do Inbound Marketing. Além disso, os sites de busca — principalmente o Google — estão cada vez mais exigentes com o conteúdo dos sites que aparecem nos resultados das pesquisas. Os algoritmos conseguem, com facilidade, distinguir um bom conteúdo daqueles que são repetitivos, não são originais ou não solucionam reais problemas dos usuários.

Um conteúdo de qualidade também irá colaborar para que você melhore resultados importantes para a sua estratégia de marketing digital, como o tempo de permanência do usuário no seu site. Se você produz um artigo interessante para o público, por exemplo, ele com certeza irá ler o conteúdo por completo e ficar mais tempo na sua plataforma.

E não se esqueça: na hora de produzir os seus conteúdos, faça uma boa pesquisa de palavras-chave e escolha as que forem ideais para atrair a sua persona. Uma palavra-chave inadequada pode acabar tendo efeito contrário e trazendo usuários não qualificados.  

Saiba também Como usar o Google Trends para fazer um planejamento de palavras-chave?

Utilize técnicas de SEO

Outra forma de atrair tráfego qualificado é investindo em técnicas de SEO. Essa estratégia serve para melhorar o seu posicionamento nos resultados das pesquisas que o seu público realiza na internet.

Segundo pesquisa da HubSpot, 75% dos usuários permanecem apenas na primeira página de busca quando vão pesquisar algo. Então, pense comigo: se o seu site aparece nessa primeira página, você faz com que o seu público te ache mais facilmente e, assim, tenha mais visibilidade e atraia mais tráfego de qualidade.

Produza conteúdo para diversos canais

Além de se atentar para o seu ranqueamento nos sites de busca, também é interessante que você amplie o seu alcance, produzindo conteúdos para diversos canais diferentes.

É necessário que você entenda que o seu público pode estar presente em outras plataformas digitais. Uma pessoa sozinha, por exemplo, pode ter um perfil no Instagram, Facebook, Twitter e LinkedIn, sendo um usuário ativo em todas essas redes, e ainda utilizar frequentemente o YouTube para aprender assuntos de seu interesse, além do Google.

Então, quando for pensar e produzir um conteúdo, tente sempre agregar o máximo de formatos possíveis, fazendo uma versão escrita, outra em vídeo, foto, infográfico —  para poder publicar nesses canais variados — entre outros que julgar interessante para atrair a sua persona onde ela estiver.

Faça parte de grupos específicos

Grupos específicos no Facebook e fóruns de discussão existentes no LinkedIn —  e na internet como um todo — são excelentes formas de atrair tráfego qualificado.

Isso porque esses ambientes são caracterizados por reunirem pessoas que naturalmente estão interessadas em determinado assunto.

Suponhamos que o seu negócio seja do ramo da tecnologia e inovação. Existem grupos no Facebook específicos sobre esse tema com membros ativos, que estão sempre em busca de entender mais sobre tecnologia e se aprofundar no meio. Divulgar um artigo do seu blog nesse grupo que os ajude nisso com certeza aumenta as chances de que eles acessem e leiam o conteúdo.

Mas atenção: sempre tenha a intenção de colaborar com os membros e criar um relacionamento, oferecendo conteúdos que sejam úteis e relevantes para resolver os seus problemas.

Entender isso fica muito mais fácil quando você tem consciência do funil de vendas do seu negócio. Saiba mais sobre funil de vendas aqui.

Busque parcerias e guest posts

Seguindo a mesma lógica dos grupos específicos, também é interessante que você busque parcerias com sites e blogs que estejam relacionados com o mesmo tema do seu negócio, além de ir atrás de guest posts.

Saiba o que é Guest Post e qual a sua importância

Essa é uma boa oportunidade de conseguir tráfego qualificado pois você irá se inserir em outro meio que o seu público também pode acessar e estar presente.

Mas escolha os possíveis parceiros de forma estratégica. O mais indicado é que procure por sites que sejam igualmente relevantes para a sua persona, com alto tráfego e que tenham certa autoridade no mercado. Não seria um recurso tão efetivo se você buscar por sites com pouco volume de visitas e que o seu público não acessa, concorda?

E-mail marketing

Se você quer atrair mais tráfego qualificado para o seu site, utilizar o e-mail marketing para isso com certeza é uma ótima ideia.

A sua base de leads é uma ótima referência de pessoas que já demonstraram algum interesse no seu negócio. Mas nem sempre todos os seus contatos acompanham com frequência a publicação de artigos no seu blog, por exemplo.

Por isso, é recomendado que você os atualize por e-mail, com certa frequência, sobre novos artigos e ebooks que produziu, sobre promoções, novos serviços ou demais novidades acerca do negócio.

Isso também vai ajudar a manter mais constante o nível de tráfego qualificado do seu negócio.

Como obter resultados com e-mail marketing?

Invista em patrocínio online

A última dica que damos é uma das principais formas de gerar tráfego qualificado, pois investindo em patrocínio online você consegue levar o seu conteúdo diretamente para quem tem interesse real naquele assunto, de forma mais rápida.

Ao patrocinar um post nas suas redes sociais ou criar um link patrocinado no Google, você consegue personalizar a sua campanha com mais detalhes, com a segmentação do público para o qual esses conteúdos serão exibidos.

Uma ótima dica também é investir nos conteúdos certos. Então, prefira investir em assuntos que geraram alto engajamento nas redes sociais e que percebeu que o seu público gostou bastante, ou ainda utilizar os melhores artigos do seu blog.

Eles são referência de conteúdos que com certeza irão gerar mais tráfego qualificado para o seu negócio, não tenha dúvidas.

O que acha de conferir tudo que precisa saber sobre Inbound Marketing em um só lugar? Acesse aqui a nossa categoria e aprofunde-se no assunto!

Conclusão: vá atrás de onde o seu público estiver

Percebeu que a grande maioria das dicas que damos neste artigo têm a mesma essência? O que queremos que aprenda aqui é que você deve ir atrás do seu público onde ele estiver!

Com essa ideia em mente será mais fácil guiar as suas ações para atrair o público certo e gerar ainda mais tráfego qualificado para o seu negócio, ok?

E mais uma coisa: invista também em um site responsivo, atrativo e rápido. Não perca visitantes por erros simples, como demora ao carregar uma página, por exemplo. Para te ajudar com isso, confira este artigo aqui: Como avaliar o desempenho de um site?

fale-com-um-especialista-da-eixo-digital

Google Search Console: o que é e como usar passo a passo?

Uma das principais ferramentas do marketing digital, o Google Search Console é um recurso essencial para quem tem um site e quer melhorar a visibilidade dele no Google.

Isso porque ele ajuda a potencializar estratégias de Marketing de Conteúdo e SEO, oferecendo a possibilidade de analisar com mais eficácia como está o tráfego e o desempenho do seu site nas pesquisas do Google, além de indicar como você pode melhorar tudo isso.

Ou seja: com uma só ferramenta você vai conseguir direcionar melhor as suas estratégias para aparecer na primeira página do Google*.

*vale lembrar o quanto isso é importante, já que 75% dos usuários

permanecem apenas na primeira página de resultados.

Desde que foi criado (antes chamado, inclusive, de Google Webmaster Tools), o recurso vem passando por mudanças e, hoje, apresenta uma nova versão.

E então, pronto para aprender ao certo como analisar o novo Google Search Console e alcançar melhores resultados para o seu site? Continue lendo este artigo!

O que é Google Search Console e para que serve?

O Google Search Console reúne em um só lugar diversos dados que são muito relevantes para a sua estratégia de marketing digital, como:

  • quais as principais pesquisas e palavras-chave que estão atraindo visitantes para o seu site/blog;
  • páginas mais acessadas nos últimos dias;
  • origem do tráfego por país e dispositivos (computador, celular ou tablet);
  • análise geral de como cada URL do seu site está sendo vista pelo Google;
  • número de impressões, cliques e posição média das suas páginas no Google;
  • quantos e quais são os problemas atuais do seu site, que podem prejudicar o seu posicionamento nos resultados de busca, além de como corrigi-los;
  • dados para melhorar a experiência do usuário com o seu site nos dispositivos móveis;
  • quantidade de links internos e externos que direcionam para alguma página do seu site;
  • e muitas outras informações relevantes para a sua análise.

Passo a passo: como funciona o Google Search Console e como usar

A forma de acessar a ferramenta continua a mesma. Basta ir em https://search.google.com/search-console e logar com a sua conta do Google ou usuário do Gmail.

Depois disso, é só selecionar a propriedade (domínio ou site) que você quiser analisar, no canto superior esquerdo.

tela inicial

Assim que entrar no seu painel, você já vai perceber a primeira mudança claramente: o menu da barra lateral.

As funcionalidades estão organizadas de uma forma diferente. Então, atenção a isso antes de fazer qualquer análise.

menu

Visão geral

Assim que entrar na sua conta no Search Console, você terá acesso a um painel com uma visão geral do andamento do seu site, mostrando resumidamente tópicos como desempenho, cobertura e melhorias. Uma espécie de dashboard.

Google-Search-Console-2

Aqui você terá acesso aos principais dados e às informações mais relevantes sobre o seu negócio, para uma consulta ou análises rápidas e urgentes.

Se alguma questão chamar a sua atenção, é só clicar em “abrir relatório” para conferir os detalhes mais a fundo.

5 dicas fundamentais para aumentar as visitas no seu site

Desempenho

Em outra seção, a do Desempenho, é onde você deve se concentrar em analisar como o seu site está sendo visto pelos usuários e pensar em possíveis melhorias no seu conteúdo.

Assim, você vai conseguir produzir conhecimentos mais relevantes para quem está lendo e também atrair novos visitantes.

É no relatório de desempenho que você tem acesso àqueles dados de palavras-chave e pesquisas mais relevantes para o seu negócio, páginas mais acessadas e origem do tráfego (países e dispositivos).

E o melhor: tudo isso acompanhado das taxas de impressões, cliques e posição média, o que é muito útil, além da possibilidade de acessar as informações dentro de um período específico (como, por exemplo, nos últimos 7 dias, mês, 3 meses, etc).

painel dashboard do Google-Search-Console-3

O que você pode analisar:

  • identifique quais palavras-chave estão atraindo mais visitantes para o seu site, pois pode ser uma boa ideia começar a investir mais nelas;
  • veja quais das suas páginas estão aparecendo mais para os usuários e considere melhorá-las. Se for um artigo do seu blog, por exemplo, pense em aumentar o conteúdo dele e acrescentar informações;
  • Não se esqueça de filtrar os relatórios por data e fazer comparações entre períodos, ok?

Leia também:

Como usar o Google Trends para fazer um planejamento de palavras-chave?

Inspeção de URL

Essa é o recurso ideal para que você analise um URL específico do seu site. Assim, você saberá se aquela página está dentro dos padrões de indexação, posicionamento e rastreamento do Google.

Se tiver algum problema que esteja impedindo o buscador de reconhecer o URL, você será alertado, para que possa fazer melhorias.

É nessa seção, inclusive, que você poderá saber se a sua página está otimizada para os dispositivos móveis.

Google-Search-Console-15

O que você pode analisar:

  • faça um teste ao vivo da sua página, para identificar quaisquer problemas de usabilidade, se o URL está disponível para indexação ou não e se ele está totalmente otimizado para os resultados do Google;
  • veja se há algum problema de rastreamento ou bloqueio da URL, ou ainda alguma mudança inesperada ou erro. Se encontrar, você pode solicitar que sejam feitas as melhorias necessárias pelo próprio Search Console e atualizar a página o mais rápido possível;
  • observe se a página em questão está bem otimizada para dispositivos móveis, já que mais de 50% de todo o tráfego online vem do mobile. Se não estiver, considere fazer alterações, como aumentar o espaçamento entre os elementos, garantir que o conteúdo da página seja do tamanho da tela, etc.

Leia também:

Guia SEO: 12 ações práticas para otimizar a URL do seu site

Índice: cobertura e sitemaps

Cobertura

Nessa parte você terá acesso a um relatório completo da indexação do seu site, sendo possível saber se as suas páginas estão com algum problema ou não (como erros de servidor, página não encontrada ou bloqueada, acesso negado, problemas de redirecionamento, etc).

erros no dashboard do s console

O que você pode analisar:

  • atente-se para as categorias em que os erros estão organizados. Assim, você consegue resolver vários problemas com a mesma origem de uma forma mais rápida;

Sitemaps

Como o próprio nome sugere, aqui você vai adicionar o mapa do seu site para que ele seja testado e avaliado na mesma hora. Um sitemap mostra todas aquelas páginas e URL válidas no seu domínio.

Google-Search-Console-16

O que você pode analisar:

  • confira se o Search Console encontrou e identificou todas as páginas válidas do seu site, se faltou alguma ou, até mesmo, se ele achou outra que não estava listada antes no seu sitemap. No último caso, avalie se deve adicioná-la ou não;
  • veja se há alguma página com erro que não deveria estar no seu sitemap. Considere retirá-la;
  • em geral, avalie se você precisa revisar ou não o seu sitemap, de acordo com o que for mostrado no relatório.

Melhorias: facilidade de uso em dispositivos móveis e AMP

Facilidade de uso em dispositivos móveis

Aqui você vai ter acesso facilmente aos principais erros que o seu site tem ao ser acessado por um dispositivo móvel, como smartphones ou tablets.

erros no Search-Console-7

O que você pode analisar:

  • confira regularmente esse relatório, para identificar algum erro, e se atente para os direcionamentos do próprio Google de como corrigi-los para melhorar a usabilidade do site.

AMP

Do inglês Accelerated Mobile Pages, ou Páginas Móveis Aceleradas, esse campo irá te mostrar se tem algum erro em todas aquelas páginas que você otimizou para aparecer melhor nos dispositivos móveis.

Search-Console

O que você pode analisar:

  • veja se existem erros simples como vídeo não processado na página e tamanho das imagens, procurando corrigi-los o mais rápido possível;
  • considere as orientações do próprio Google de como fazer melhorias e corrigir os seus problemas. Siga cada passo fielmente.

Segurança e ações manuais no Google Search Console: links e configurações

Links

É aqui que você tem acesso a quais são os links internos e externos que direcionam para o seu site e estão atraindo mais tráfego, além de melhorar a autoridade da sua página no Google.

Analisar isso é muito importante, já que a autoridade é um dos principais critérios de ranqueamento do Google.

Google-Search-Console-14

O que você pode analisar:

  • nos links internos, veja quais as principais páginas que estão sendo referenciadas dentro do seu próprio site. Analise se faz sentido o lugar onde elas estão sendo linkadas;
  • nos links externos, veja se há muitos links de outros sites que estão direcionando para o seu domínio. Se o número for baixo, talvez seja o momento de pensar em alguma estratégia para aumentar isso;
  • com relação aos links externos já existentes, observe se há algum outro site que seja interessante para que você feche uma parceria, por exemplo, ou até mesmo trate de um conteúdo que pode ser interessante também para o seu blog.

Leia também:

Link Building: o que é e como ele pode auxiliar na sua estratégia

e

Links Externos: entenda a importância deles para o seu ranqueamento

Configurações

Esse campo é específico para que você possa configurar algumas questões sobre o seu domínio e o acesso ao Search Console, como usuários, proprietários e permissões.

Google-Search-Console-10

O que você pode analisar:

  • certifique-se de que você está verificado como o proprietário do seu domínio. Se não, siga as instruções da seção para configurá-lo;
  • se for necessário, remova a sua propriedade para adicionar a de outra usuário, que passará a ser o responsável para o domínio.

Atenção para as mudanças da nova versão do Google Search Console

Vamos esclarecer agora quais as novas funcionalidades do Search Console e aquilo que foi deixado de lado (pelo menos até o momento).

Novos recursos e mudanças

  • Dados de tráfego da pesquisa de períodos maiores (16 meses) ou personalizado, em comparação aos limitados 3 meses da antiga versão;
  • Informações detalhadas sobre uma página específica do seu site, como cobertura de índice, sitemaps, usabilidade em dispositivos móveis, entre outros;
  • Relatórios de rastreamento detalhados que mostram erros e auxiliam a como corrigi-los, ajudando você a melhorar o seu site;
  • Desempenho do site em dispositivos móveis.

Recursos que não estão mais disponíveis

  • Dados como páginas rastreadas por dia, download e processamento em kilobytes (KB) de uma página por dia, tempo médio de download da página;
  • Testes do robots.txt;
  • Possibilidade de gerenciar diretrizes de URL na Pesquisa Google;
  • Opção de marcar dados;
  • Seção de mensagens, que permitia um local de relacionamento direto com a central do Search Console;
  • Opção de alterar o endereço do site;
  • Possibilidade de escolher um domínio preferido;
  • Opção de rejeitar links indesejados;
  • Opção de retirar algum conteúdo que não esteja realizado do índice.

De qualquer forma, se você estiver acostumado com a versão antiga, é só alterar a interface no menu lateral, clicando em “ir para a versão antiga”.

Gostou do artigo? Foi útil para você? Então compartilhe nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a entender melhor como analisar dados relevantes para um site na nova versão do Search Console.

Você está fazendo a análise correta dos seus resultados e da performance das suas estratégias? Confira aqui a nossa página de categoria com conteúdos que vão ajudá-lo nisso!

Leia também: Como integrar Google Analytics, S.Console, Google Ads e Relatório de Marketing Digital de Sucesso: saiba como construir!

SEMrush: o que é como usar a pesquisa de palavra-chave?

O auxílio no planejamento e na pesquisa de palavras-chave é, sem dúvidas, um dos grandes fortes da ferramenta. Por isso, saber como usar o SEMrush é essencial para quem trabalha com produção de conteúdo online! 

Se você quer melhorar o ranqueamento do seu site ou blog no Google e está se perguntando quais as palavras-chave certas para usar, por quais outros termos o seu público pesquisa ou, ainda, para quais termos o seu conteúdo está ranqueando, o SEMrush é a ferramenta perfeita para você! 

produção de conteúdo pesquisa de palavras-chave

Continue lendo que vamos te ensinar de forma prática como você pode usá-la para fazer uma boa pesquisa de palavras-chave e definir as melhores para o seu negócio. Confira!

O que é SEMrush?

SEMrush é uma ferramenta de marketing digital que fornece dados importantes para quem trabalha com SEO e tráfego de busca.

Ela permite analisar além do domínio, garantindo uma competição das determinadas palavras. É considerada uma ferramenta completa que possui várias outras ferramentas integradas, como o kewordmagic tool, por exemplo.

ferramentas de marketing digital semrush

Além das informações contidas na ferramenta — similares às citadas acima — ele também mostra os sites que no momento estão ranqueando de forma orgânica para aquela palavra e também quais são os principais anúncios existentes no Adwords.

O semrush disponibiliza dados completos sobre SEO como um todo que podem contribuir com insights importantes para o seu negócio. 

A sua assinatura gratuita possibilita 10 pesquisas diárias, sendo que, em cada pesquisa serão disponibilizados pela ferramenta 10 resultados de palavras-chave. 

As consultas no semrush autorizam interessantes recursos, tais como a possibilidade de verificar a concorrência ampla, perguntas relacionadas às palavras-chave, custo por clique (CPC), dificuldade de ranqueamento, etc. 

SEMrush: como usar e como funciona na prática a pesquisa de palavras-chave

A grande vantagem é que já é muito fácil e prático fazer uma pesquisa de palavras-chave com o SEMrush. Veja só como:

pesquisa de palavras-chave no semrush

Assim que você entra na sua conta, já na página inicial, há um campo de busca no topo, para que você possa procurar qualquer palavra ou termo que deseja.

Assim que clicar em “Procurar”, a ferramenta já te fornece um relatório completo sobre aquele termo em segundos, com uma visão geral para que possa avaliar e tomar decisões mais assertivas.

Olha só o que acontece quando procuramos pela palavra “semrush”, por exemplo:

visão geral ferramenta de palavras-chave do semrush

Somente com esse relatório rápido, você já vai ter acesso a informações extremamente relevantes para escolher uma palavra-chave, como:

  • Volume de busca e número de resultados na pesquisa orgânica

Existem palavras-chave, por exemplo, que nem chegam a gerar esse tipo de dado, pois o volume de busca e resultados é muito irrelevante. Se isso acontecer, considere tentar outra palavra-chave relacionada que tenha mais busca.

  • Custo Por Clique (CPC) e Concorrência em anúncios pagos

Aqui você deve avaliar de acordo com o seu segmento de mercado. Por mais que a palavra-chave possa parecer cara ou muito concorrida, os dados podem ser bons números para o seu segmento em específico. 

  • Tendência da palavra-chave

Analise essa informação pensando o seguinte “essa palavra-chave tem um volume de busca estável ou é muito sazonal?”. Em geral, termos com volume mais constante são melhores oportunidades, já que poderão dar maior estabilidade e longevidade ao seu conteúdo. Mas não é regra: se sua estratégia for trabalhar conteúdos para palavras-chave em épocas específicas, como  “viagens” no final do ano ou “câncer de mama” em outubro, os termos continuam sendo relevantes.

  • Dificuldade de ranqueamento (Average KD)

Se a dificuldade de ranqueamento for alta e o seu site ainda for novo, ou não tiver tanta autoridade digital, talvez seja melhor procurar por outra palavra-chave com maiores chances de que você ranqueie bem para começar e, mais tarde, poder concorrer posições em palavras-chave com maior KD.

  • Palavras-chave de correspondência de frase

Nessa parte, você pode ter uma noção do que os usuários mais querem saber sobre aquele termo, dando um direcionamento melhor para o conteúdo que for produzir.

  • Palavras-chave relacionadas

Aqui você pode ter ideias de outras palavras-chave para analisar, que têm relação com a que estava estudando. Então, se a que estava estudando não tiver bons dados, é aqui que você pode buscar por outros termos para analisar e substituir.

É com todos esses dados que você vai validar aquela palavra-chave que pensou para a sua estratégia. Será que ela é realmente a mais ideal? Tem um bom volume de busca? É difícil para ranquear? 

Além de tudo isso, outros dados do relatório merecem uma atenção especial: Resultados da Pesquisa Orgânica e Textos de Anúncios.

resultados da pesquisa orgânica e textos de anúncios semrush

No primeiro, você consegue olhar já no SEMrush quais os links e conteúdos que estão melhor ranqueados para aquela palavra-chave, como uma prévia da primeira e das demais páginas do Google.

Já no segundo, você consegue olhar quais os anúncios de concorrentes que estão rodando para a palavra-chave que pesquisou e como eles estão fazendo, na íntegra.

Com essas duas informações em mãos, você consegue tirar boas ideias e bons insights para trabalhar a sua palavra-chave.

Ah, e além de tudo isso, também é possível delimitar a pesquisa por região ou país, se preferir, assim como no Google Trends, para obter resultados mais interessantes de acordo com a sua estratégia.

Se você quiser entender melhor sobre o que são palavras-chave e como usá-las de forma prática, leia este outro artigo.

Outros recursos e utilidades do SEMrush Brasil para planejamento de palavras-chave

Keyword Magic Tool

Esse recurso vai te oferecer uma análise mais detalhada da sua palavra-chave, em comparação com a visão geral que explicamos lá em cima. 

Você vai ter noção do potencial total daquela palavra-chave, contando com as pesquisas e termos relacionados. 

Keyword Magic Tool semrush

Para facilitar a análise, o SEMrush ainda agrupa os termos mais comuns relacionados aquela palavra-chave (à direita do print), para que possa estudar com mais foco aquele grupo que for mais interessante para você.

No caso da palavra-chave “semrush”, como pode ver no print, existe um volume de busca específico para usuários que querem saber sobre SEMrush relacionado com SEO.

Keyword Difficulty

Já esse recurso vai te detalhar melhor o quão difícil pode ser o seu trabalho para ultrapassar o posicionamento dos concorrentes nos resultados de busca de certa palavra-chave e subir no ranking do Google.

Keyword Difficulty

Mesmo que essa informação seja relativa, pode ser bastante útil em uma análise de dados.

Sabemos que certas palavras-chaves possuem uma concorrência alta e ter noção das chances de chegar no posicionamento do concorrente, que usa aquela palavra-chave, é um dado bem relevante.

Análise de resultados e dados com SEM rush

Além do planejamento, o SEMRush também permite que você acompanhe o andamento da sua estratégia e, assim, consiga ter mais controle dos resultados. 

Com isso você pode, ainda, adaptá-la de acordo com as informações que a plataforma fornece, no pós-planejamento.

Com relação ao site, a plataforma oferece dados relevantes sobre o tráfego orgânico. Basta ir em “Projetos” > selecionar o seu site > “Position Tracking”.

A partir daí você terá acesso a informações como as principais palavras-chave orgânicas que levam ao seu domínio, os principais concorrentes para as mesmas palavras-chave do seu site, além de um mapa de posicionamento competitivo, com os principais concorrentes, de acordo com as palavras-chave definidas na sua estratégia.

Position Tracking dados semrush

Cada relatório ainda pode ser ampliado e oferecer ainda mais informações. No caso das principais palavras-chave orgânicas, em uma visualização completa é possível saber, por exemplo, quais publicações estão ranqueadas de acordo com as palavras-chave, suas posições e variações.

Com esse e os demais recursos do SEMRush Brasil, planejar palavras-chave e acompanhar resultados pode ser bem mais fácil e efetivo.

E existem outras diversas ferramentas que podem te ajudar na hora de construir uma estratégia de marketing digital. Confira aqui as melhores ferramentas para medir resultados.

Mais sobre a ferramenta SEMrush Brasil: muito além da pesquisa de palavras-chave

A plataforma online é uma ajuda completa e útil para quem trabalha com o marketing digital. O SEMrush também é considerado uma das melhores ferramentas para análise de SEO – Search Engine Optmization, além de oferecer uma análise detalhada do site da sua empresa e da concorrência do seu negócio, como já demos um spoiler aqui.

On Page SEO Checker

Projetos > selecione o seu site > On Page SEO Checker

Site SEMrush

Projetos > selecione o seu site > Site Adult

Inclusive, utilizamos o próprio SEMrush para te oferecer um diagnóstico gratuito geral de performance do seu site. Basta clicar aqui e fazer a solicitação, o seu diagnóstico estará no seu e-mail em poucos minutos!

A ferramenta possui um modelo gratuito e também outro pago, com acesso a todas as funcionalidades.

Se tiver alguma dúvida sobre o uso do SEMrush, comente abaixo. E lembre-se: a Eixo também está totalmente disponível para te ajudar com os seus resultados no universo digital. Fale com um de nossos especialistas neste link e vamos conversar sobre o seu projeto!

Na nossa página de categoria para Marketing de Conteúdo você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre o assunto em um só lugar. Acesse aqui.

Leia também:

fale com um dos especialistas da agência eixo digital primeira agência platinum do centro-oeste
A Eixo Digital é a primeira Agência Platinum do Centro-Oeste entre os parceiros da Resultados Digitais. Que tal falar com um de nossos especialistas?

Isca Digital: o que é, tipos, exemplos e como criar!

Isca digital, material rico, recompensa digital… Não importa como ouviu por aí, é tudo a mesma coisa. Trata-se de uma ferramenta extremamente importante para o sucesso de uma estratégia de Inbound Marketing, principalmente pelo seu grande potencial de captura de leads

Então, se você ainda não usa essa estratégia, saiba que está perdendo boas oportunidades de melhorar seus resultados.

Para entender melhor sobre a isca digital e como ela vai ajudar a sua marca a crescer na internet, continue lendo o artigo abaixo!

O que é Isca Digital? Para que serve?

Uma isca digital é qualquer formato de conteúdo que atraia um lead e lhe entregue uma recompensa ou proposta de valor, como um ebook, infográfico, quiz.

Vamos pegar um exemplo para entender melhor. Você com certeza já viu uma página semelhante a esta abaixo por aí, certo?

Guia completo sobre facebook para empresas

Nesse tipo de página, conhecida como Landing Page (PL), o usuário preenche algumas informações específicas (e até pessoais) em um formulário para conseguir baixar ou receber um conteúdo (isca digital) que é interessante para ele, no caso um ebook direcionado a empresas que ensina sobre como usar o Facebook.

Esse usuário pode estar começando a investir na internet e quer um conteúdo que reúna em um só lugar tudo que ele precisa para iniciar suas estratégias no Facebook, por exemplo.

Aposto que você também já deve ter feito esse processo em algum site para conseguir baixar um material ou ter acesso a algo que queria muito, não é mesmo?

Ganha-ganha que funciona

Em todo esse processo, está a grande sacada da isca digital: a estratégia funciona como uma base de troca, em que o site fornece um conteúdo de valor, rico, útil e interessante para o usuário, pedindo apenas que ele passe algumas informações em troca para ter acesso.

Quanto mais relevante a proposta for para o usuário, menos ele vai se importar de te passar dados importantes sobre ele, para que utilize na sua estratégia de Marketing Digital, como nome, e-mail, cargo, entre outros, que são solicitados no formulário da LP.

Resumindo: da mesma forma que um pescador precisa de uma isca para fisgar um peixe, uma empresa precisa de iscas digitais para “fisgar” seus leads. Quando falamos em base de troca no marketing digital, significa que estamos dispostos a oferecer uma recompensa em troca dos dados dos nossos leads.

Conseguiu pegar a essência da isca digital?

gif barney

 Então, vamos seguindo.

Quer um exemplo prático de isca digital?

exemplo prático de isca digital

Clique aqui, faça o download gratuito do nosso Guia Completo sobre Facebook para Empresas e entenda a estratégia de Isca Digital na prática.

11 principais tipos e exemplos de Iscas Digitais para você escolher

1 – Ebooks e Guias Completos

Sem dúvidas, esse é o principal tipo de isca digital e um dos mais utilizados pelas marcas, inclusive o que mais usamos aqui na Eixo.

Isso porque ebooks e guias completos costumam ser materiais de muito valor para os usuários, por oferecerem conteúdos mais aprofundados e detalhados sobre determinado assunto, em comparação com um simples blog post, por exemplo.

Além disso, também costumam atrair a atenção de possíveis leads por serem conteúdos mais didáticos e visuais, com designs mais trabalhados e que tornam o material mais interessante e fácil de consumir/ler.

Olha só os exemplos de ebooks que produzimos aqui na Eixo para que possa se inspirar:

Quer fazer um ebook? Então dá uma olhada nestes artigos que nós te ajudamos:

Como criar um e-book?

Clique aqui e aprenda a Como divulgar ebook com 7 maneiras que trazem resultados!

2 – Infográficos

Aí está outro tipo de isca digital bastante utilizado. E isso, principalmente, pela praticidade que infográficos oferecem.

Eles transmitem uma informação de maneira mais dinâmica e visual, misturando texto e imagem, tornando a absorção do conteúdo muito mais fácil. 

E é por isso que muitos usuários preferem esse tipo de isca e vão aceitar compartilhar alguns dados com você em troca do conteúdo.

Quer uma dica para fazer um bom infográfico? Existem ferramentas online e gratuitas, como site Canva, que oferecem bons designs de infográficos prontos para editar, de forma simples e prática. 

3 – Checklists

Esse é outro tipo de isca preferido dos usuários, principalmente por facilitarem ainda mais as suas vidas.

Checklists são incrivelmente úteis no dia a dia das pessoas e por isso essa isca tem tanto potencial de geração de leads.

Um negócio de viagens, por exemplo, poderá captar uma boa quantidade de leads se fizer um checklist para arrumar a mala, já que resolveria um grande problema da persona de forma simples e prática (como alguém que ama viajar, eu baixaria, e você?).

4 – Modelos de planilhas prontas

Já deu para perceber que facilitar a vida do usuário é um dos grandes segredos de boas iscas digitais, certo?

Modelos de planilhas prontas entram na mesma linha, principalmente por serem soluções rápidas e que economizam tempo na vida do usuário.

Pense comigo: para que dedicar horas do seu dia a dia corrido criando uma planilha de acompanhamento das suas estratégias de marketing digital, por exemplo, se você encontra na internet facilmente uma pronta e organizada do jeito que precisa?

Ou, ainda, uma planilha de controle de investimentos e resultados do seu marketing com todas as fórmulas já prontas para você calcular o seu Retorno Sobre Investimento (ROI)?

Essa é uma isca quase que irresistível, concorda?

5 – Webinars

Esse é um tipo de isca que se difere das outras por proporcionar um contato mais pessoal e próximo com o lead.

Por exemplo, ouvir e ver alguém explicando um assunto na prática em uma live de webinar é muito mais interessante, atrativo e instrutivo que apenas ler um blog post sobre aquilo.

E é por isso que muitos leads nem percebem quando deixam o seu e-mail para se inscrever ou assistir ao webinar, tamanho o valor que esse tipo de isca entrega para os usuários.

Sem falar que o webinar possui um baixo custo: você pode fazer um diretamente pela webcam e microfone do seu notebook, por exemplo.

Saiba mais em:

Como fazer um webinar e quais as vantagens dessa isca?

6 – Templates

Muitas pessoas têm dificuldades na hora de criar um design e é por isso que usar templates como iscas funciona tão bem para atrair leads.

Eles solucionam um problema de forma simples e rápida.

O lead preenche as suas informações em um formulário, clica em baixar e pronto! Em questão de segundos, ele já acessa um conteúdo pronto para usar, que vai facilitar muito o seu trabalho.

Podem ser templates de apresentação, posts nas redes sociais, layouts de sites…

#Dica: você tem algum template ou modelo que usa internamente na sua empresa e que ajuda muito? Já pensou em compartilhar isso e usar para atrair novos leads? 

Quando você faz isso, além de ganhar autoridade e proximidade com o lead, ainda resulta em uma boa relação de confiança/segurança, já que o usuário estará recebendo um material que sabe que você mesmo usa e aplica na sua empresa, com bons resultados.

7 – Pesquisas e estudos

Referências são um grande atrativo para potenciais leads. 

Então, se você produz pesquisas e estudos e decide compartilhar os resultados com os usuários, muitos não se importarão em fornecer algumas informações para ter acesso àqueles dados

Imagine só a chamada: “Conseguimos comprovar com 5.000 empresas a estratégia de marketing digital que tem dado os melhores resultados em 2019. Quer saber qual é? Preencha o formulário abaixo e acesse o estudo completo.”

O resultado já é de se esperar: vários usuários, assim como eu e você, nos tornaríamos novos leads da marca que tiver feito essa isca.

8 – Quiz

Quizzes e testes são formatos que costumam gerar bastante engajamento nas redes sociais, resultando até em grandes cases de conteúdo viral. É só olhar para os testes do Buzzfeed ou do Facebook, por exemplo. Quantos você já fez?

O bom é que também dá para aproveitar essa oportunidade de engajamento para conseguir novos leads. 

Basta solicitar dados do usuário no início para que ele possa fazer o teste, ou até mesmo no final, para que consiga compartilhar nas suas redes sociais ou com amigos.

9 – Kits

Agora, imagine se juntassem em uma só isca um ebook prático de como começar no Marketing Digital, um checklist para um plano de marketing digital de sucesso, além de uma planilha pronta de acompanhamento da estratégia?

Kits como esse são ótimos exemplos de isca digital pelo tamanho do valor que entregam para um usuário, tornando muito mais atrativo para alguém preencher um formulário simples e se tornar um lead.

Inclusive, quer saber como fazer um plano de marketing digital de sucesso? Também fiz um artigo especial para te ensinar isso passo a passo, é só clicar aqui para ler.

10 – Descontos e cupons

É um bom tipo de isca digital, especialmente para e-commerces

Afinal, um dos grandes problemas desse modelo de negócio são os usuários que colocam itens no carrinho, mas não chegam na página de compra para realizarem o cadastro no site, colocar seus dados e se tornarem leads.

E uma boa forma de resolver isso é solicitar esses dados em troca de cupons de desconto na primeira compra, por exemplo.

11 – Testes e demonstrações

“Preencha este formulário simples e ganhe 1 mês de uso grátis da nossa top ferramenta de gerenciamento de redes sociais”. Essa chamada é atrativa para você? Preencheria o formulário?

Essas são ótimas iscas para se usar na etapa de fundo do funil de vendas, pois são práticas, visuais e podem quebrar objeções decisivas que o usuário tem antes de comprar um produto ou fechar um serviço.

Não está familiarizado com o conceito de funil de vendas? Então, leia este outro artigo.  Entender esse conceito é fundamental para saber onde utilizar as suas iscas digitais.

Como criar e fazer uma isca digital de alta conversão?

Como falamos anteriormente, existem inúmeros formatos e tipos de iscas digitais, e o formato ideal pode variar de acordo com o segmento de cada empresa, seu público, estratégia, campanha, etc.

Temos que analisar tudo.

Vamos imaginar que um consultório odontológico, por exemplo, tenha percebido que existe uma alta demanda de seu público por dicas sobre higiene bucal. 

Imagine também que esse consultório tem uma grande necessidade de se relacionar com seu público.

Neste caso, esse consultório poderia fazer inúmeras ofertas de conteúdo, ou melhor dizendo, iscas digitais. Por exemplo:

  • Um vídeo de um dos especialistas dando dicas para cuidar da higiene bucal;
  • Um infográfico mostrando os alimentos que mais prejudicam o esmalte dos dentes e que deveriam ser evitados;
  • Um e-book ensinando como cuidar da saúde bucal da maneira correta e com os “produtos” corretos.

Entre outras diversas opções. 

Foque na persona

Tenha em mente que uma isca digital, além de atrair o seu público de interesse para geração de leads, deve ser relevante para o usuário.

Isto é: você precisa mostrar algo que faça alguma diferença na vida dos usuários.

Então, vale focar na análise da sua persona, fazer uma pesquisa de opinião e entender:

  • Qual tipo de isca/formato ela prefere?
  • Quais formatos de conteúdo ela costuma consumir no dia a dia?
  • A sua persona gosta de ler mais, ou curte conteúdos mais visuais? Ou até em áudio?
  • Qual o tipo de isca que irá solucionar da melhor forma a dor da sua persona?
  • Ela prefere/precisa de um conteúdo mais completo ou mais sucinto, prático e resumido?

Cada uma dessas questões vai ajudar — e muito — a definir o tipo de isca digital para você nesse momento e no futuro.

Preço da Isca Digital: devo cobrar?

Essa é uma dúvida muito comum. O recomendado por diversos especialistas em marketing digital e, inclusive, pelos especialistas aqui da Eixo, é oferecer a isca digital de maneira gratuita.

Isso porque o grande lucro dessa estratégia virá, simplesmente, da sua base de leads conquistada. Quanto mais pessoas baixarem o material, mais pessoas terão contato com a sua marca, cabendo a você nutrir essa base e conduzi-la por uma jornada de compra. Uma boa dica para desenvolver esse relacionamento, por exemplo, é com o envio de e-mails de relacionamento.

Todos os ebooks aqui da Eixo, por exemplo, são gratuitos. E já percebemos, com a experiência de clientes que já cobraram por ebooks, o quanto esse é um aspecto que influencia negativamente nas taxas de conversão.

______________________________________________________________

O segredo para criar uma boa isca digital: produza um conteúdo gratuito tão bom, incrível e de qualidade que as pessoas até pagariam por ele.

____________________________________________________________

Mas, também é fato que a opção por cobrar ou fornecer o material gratuitamente depende muito do tipo de isca.

Isca digital grátis ou paga? Qual é a melhor?

Dificilmente alguém pagaria por iscas como checklists e infográficos, por serem conteúdos simples e, de certa forma, fáceis de serem feitos.

Agora, um ebook técnico e especializado em um segmento/público, como um “Protocolo para dermatologistas dos melhores princípios ativos para pele para prescrever”, por exemplo, é possível que tenha uma boa demanda, mesmo se for precificado.

Uma boa estratégia também é mesclar as suas questões, produzindo uma isca gratuita e ao mesmo tempo paga.

Pode-se oferecer um curso por R$ X,00 reais, por exemplo, mas que tem disponível para o usuário uma demonstração gratuita da primeira aula. 

Nesse caso, se um lead não chegar a adquirir o curso completo, você ainda pode convencê-lo por e-mail e guiá-lo na jornada de compra até que compre o conteúdo completo.

Quer saber como desenvolver uma comunicação efetiva com seus leads por e-mail? Veja aqui: Como o fluxo de nutrição ajuda em estratégias de Marketing Digital.

Quais as grandes vantagens de fazer uma boa Isca Digital?

Bom, já nem precisamos mais tocar no assunto de geração de leads, certo? Mas além disso, existem inúmeras vantagens de investir na produção de iscas digitais para uma estratégia de inbound marketing.

Educar leads e clientes

Com boas iscas digitais sua empresa conseguirá educar seus leads e clientes de modo mais efetivo, fazendo com que eles avancem na jornada de compra e cheguem mais preparados na etapa de venda, com mais conhecimento sobre o assunto do seu negócio e, até mesmo, sobre a sua própria empresa.

Imagina o quanto isso já facilita uma proposta comercial ou no estímulo de compra pelo usuário.

Brand Awareness

O Inbound Marketing trabalha com base no relacionamento, sendo assim, o conteúdo da isca digital (responsável pelo intermédio entre a empresa e seu cliente) é fundamental para fazer com que a sua empresa seja lembrada e priorizada em relação a seus concorrentes, pois é muito mais provável comprar de uma empresa que você já conhece do que comprar de um total desconhecido.

E, se a isca digital for de qualidade, o lead lembrará da sua marca com mais facilidade, diante da grande contribuição que ele já obteve com a sua empresa.

Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão de melhoria? Deixe seu comentário abaixo, que vamos considerar e tentar responder assim que possível, pode ser? 🙂

E, claro, não esqueça de mandar este conteúdo para um amigo, colega de trabalho ou qualquer outra pessoa que possa se beneficiar com essa estratégia. Compartilhe!

Leia também:

Como colocar sua empresa na primeira página do Google?

3 dicas para uma campanha de Marketing Digital bem-sucedida

Principais eventos de Marketing Digital que você precisa ir

fale com um dos especialistas da agência eixo digital primeira agência platinum do centro-oeste
A Eixo Digital é a primeira Agência Platinum do Centro-Oeste entre os parceiros da Resultados Digitais. Que tal falar com um de nossos especialistas?

O que é SEO? Guia Simplificado

O que é SEO? Antes de começar, eu já quero te falar uma coisa: não é algo novo. Por mais que você tenha ouvido falar dele agora, no seu trabalho ou nas suas redes sociais, esse termo já acumula uma grande jornada na Internet e permanece relevante até hoje. 

Mas é no meio disso tudo que você se pergunta: o que é esse tal de SEO? Por que ele ainda é tão falado hoje em dia? O que eu preciso saber para não ficar mais perdido no meio das discussões? E quando alguém me perguntar o que é SEO, o que eu falo?

O que é SEO?

Calma, calma. Eu sei que conhecer algo novo não é tão simples, ainda mais quando a gente tem tanta informação por aí.

Por isso que, neste artigo, o que eu quero é explicar para você o SEO da forma mais simples e compreensível por isso

Sim, é uma missão grande, mas espero te ajudar :).

Se gostar do conteúdo e ele for útil para você, não esqueça de compartilhar nas suas redes sociais ou encaminhar o link para outra pessoa que você acha que também deve ler este texto, fechado?

Afinal, o que exatamente é esse SEO que tanto falam?

SEO nada mais é do que regar plantas. Um trabalho contínuo e essencial que, de pouquinho em pouquinho e com bastante cuidado, irá fazer com que a sua plantação cresça saudável e renda ótimos frutos no futuro.

Como usar o SEO?

“Mas como assim, Daniel?”. Calma que eu explico.

Imagine que você é um fazendeiro e possui uma plantação orgânica muito rica. 

A plantação até que está indo bem no geral, mas você sabe que ela não tem rendido tanto quanto poderia. O que fazer, então, para que ela possa dar resultados ainda melhores?

Você também sabe que fertilizantes artificiais podem ajudar, mas tem consciência que um resultado orgânico e natural é muito mais valioso, saudável e valorizado pelos consumidores.

E se o problema for que você, simplesmente, não está regando e estimulando o desenvolvimento das suas plantas adequadamente? 

Você tem uma boa estrutura, faz a adubação correta, mas talvez o que sua plantação precise é de um empurrãozinho a mais e com mais frequência para render o seu potencial máximo.

Esse empurrãozinho a mais, de forma recorrente, é o que chamamos de SEO.

A sigla SEO significa Search Engine Optimization (ou, em português, otimização para mecanismos de busca). Basicamente, é uma estratégia de melhoria constante de sites que serve para fazer com que eles tenham um maior alcance em sites de busca, como o Google, de forma 100% orgânica e sem precisar pagar para isso.

Aplicando esse conceito na sua carreira como fazendeiro, é como se a plantação orgânica fosse o seu site, as páginas fossem as plantas e o ato de regar com mais frequência fosse o trabalho de SEO, com o objetivo de fazer com que você tenha mais frutos para oferecer para mais consumidores que buscam produtos orgânicos.

Isto é: com o objetivo de fazer com que o seu site apareça para mais usuários da Internet que utilizam sites como o Google para buscarem o que querem, de forma natural e orgânica.

Já ouviu falar de SEM?

Se você está buscando sobre o que é SEO por aí, também pode se deparar com essa outra sigla. SEM significa Search Engine Marketing (em português, “Marketing para os Mecanismos de Busca”).

Encare o SEO como a parte orgânica do SEM, pois o SEM também pode utilizar de meios pagos para atingir o mesmo objetivo: fazer um site ser melhor exibido nos sites de busca, como o Google.

Então, na sua plantação, imagine o SEM como todas as ações que você pode fazer para trazer mais frutos, sendo regar as plantas o SEO e utilizar fertilizantes a opção mais rápida, mas paga.

Ficou mais claro? Espero que sim :). Vamos seguindo!

Entenda como funciona o Google, um dos principais alvos do trabalho de SEO

O Google é o principal site de buscas utilizado hoje no mundo todo e, por isso, costuma ser o principal foco do trabalho de SEO. Mas você sabe como funciona o Google? Qual a lógica por traz? Como ele decide qual o site que aparece primeiro para você? 

O Google funciona como se fosse uma biblioteca, que contém milhões de editoras e livros à sua disposição. Cada editora é um site da Internet e cada livro é um link, que permitiram que o Google os encontrasse e os incluísse dentro do seu gigante acervo.

E então, quando você faz uma pesquisa no Google, é como se você estivesse dizendo “olha Google, eu estou caçando um livro que fale sobre esse assunto” e ele te apresenta uma infinidade de opções de materiais que poderão te ajudar com o que está buscando.

Mas esses livros não são apresentados para você de forma aleatória. Eles são ranqueados nos resultados de acordo com alguns fatores principais:

  • a URL do link;
  • o conteúdo da página;
  • a autoridade e relevância da página.

Entenda melhor sobre esses fatores de ranqueamento abaixo.

URL

Dentro de um site, existem diversas URLs (ou links). Levando em conta que um site é como se fosse uma Editora, cada URL é como se fosse uma das formas de identificação de um livro da Editora.

Então, para o bibliotecário Google saber qual livro é o mais adequado para o que você está buscando, ele analisa a identificação (URL) para ter uma primeira noção se aquele livro está relacionado com o assunto que você está buscando saber mais.

Se a resposta for sim, então o Google tende a ranquear melhor essa URL, em comparação com outras que falam sobre o assunto mas a URL não está relacionada.

Por exemplo, para encontrar este texto, muitos buscam por “o que é seo”. E, antes de apresentar o conteúdo nos resultados, o Google analisou a nossa URL “https://eixo.digital/blog/o-que-e-seo/” para saber se este texto realmente tem relação com a busca sobre “o que é seo” e o insere entre os resultados para essa pesquisa.

Conteúdo

Ok, o Google viu a URL de uma página e identificou que ela tem relação com a busca que você fez. Como ele sabe se, de fato, aquela página realmente trabalha e explica sobre o assunto da sua busca? Analisando o conteúdo da página!

Para isso, ele avalia a estrutura e organização desse conteúdo.

Funciona da seguinte forma: cada livro (URL) possui um título e capítulos, que são identificados dentro do código do site por algumas tags ou marcações, sendo o título marcado com a tag H1, os capítulos com a tag H2 e os tópicos dentro dos capítulos com a tag H3.

Por exemplo, o título (H1) deste conteúdo é “O que é SEO? Guia Simplificado para Qualquer Um Entender!”, um dos capítulos (H2) é “Entenda como funciona o Google, um dos principais alvos do trabalho de SEO” e um dos tópicos trabalhados nesse capítulo (H3) é “Conteúdo”.

Dessa forma, o Google “lê” essas tags para identificar o quão relacionado e ideal para a sua busca um conteúdo é.

Em geral, ele tende a exibir primeiro aqueles livros que possuem o conteúdo melhor organizado, estruturado e adequado para a sua busca, a partir do título, dos capítulos e dos tópicos que são trabalhados em cada capítulo.

Autoridade e Relevância

Na maioria das vezes, livros “best-sellers”, mais vendidos ou que estão sendo muito comentados ultimamente costumam ser os primeiros que são apresentados para você quando frequenta uma livraria ou faz uma busca de um tema no site de uma, certo?

O Google utiliza essa mesma lógica para decidir quais os links que apresentará primeiro para uma busca que você realiza. 

Para o bibliotecário Google, quanto mais um site ou URL são citados, referenciados ou compartilhados na Internet, mais aquela página é relevante, pois o Google entende que os usuários gostam tanto daquele conteúdo que os indicam para outras pessoas, sendo uma referência sobre aquele assunto.

Sendo assim, os primeiros links que são apresentados costumam ter outros sites direcionando para eles, além de boas taxas de compartilhamento nas redes sociais.

Além disso, também tem um outro fator muito importante de ranqueamento que é a experiência do usuário no seu site. Mas como o Google avalia isso? 

Vou deixar para o nosso CEO, Raphael Caitano, te explicar melhor sobre essa questão e toda a lógica por trás do Google. Assista abaixo.

https://www.instagram.com/p/B–klxkDd6G/

E o Google Bot (“robozinho do Google”), você sabe o que é?

O Google Bot, mais conhecido como “robozinho do Google”, é um robô de leitura de páginas que o Google utiliza para conseguir “ler” os conteúdos da Internet. É a partir dessa leitura que ele constrói o ranking de resultados que são exibidos para você quando faz uma pesquisa.

É o Google Bot que analisa a URL, a estrutura e a relevância das páginas, como viu acima.

O que faz um profissional ou especialista de SEO?

Um profissional ou especialista de SEO é justamente o responsável por planejar, implementar, supervisionar e acompanhar esse trabalho, otimizando e melhorando sites constantemente para que eles alcancem uma melhor posição nos resultados orgânicos de sites de busca.

E, apesar de o Google ser o principal, quem trabalha com SEO também pode trabalhar com otimização para outros buscadores, como Yahoo e Bing.

Como você viu, o ranqueamento de sites no Google não é aleatório. E o trabalho do profissional de SEO é justamente realizar as alterações e ações necessárias para melhorar o ranqueamento de um site com base nos principais critérios do Google.

Achou SEO interessante e quer aplicar no seu site? Saiba como fazer

Se você quer começar a fazer SEO e utilizar essa estratégia em um site, é muito importante que você siga os 4 princípios básicos de SEO:

  • Rastreabilidade: garanta que o seu site seja encontrado e rastreado pelos buscadores;
  • Estrutura: trabalhe para que o seu site seja mapeado adequadamente pelos buscadores;
  • Palavras-chave: faça com que o seu site esteja adaptado para as buscas dos usuários;
  • Backlinks: consiga com que o seu site seja referenciado e citado por outros sites.

Esses pilares são os que constroem uma estratégia sólida e efetiva de SEO. E, é importante ressaltar: os melhores resultados de SEO são percebidos de médio à longo prazo.

Não seja imediatista ao fazer SEO.

Para entender mais sobre como fazer, dicas e técnicas de SEO que você deve aplicar no seu site, recomendo que confira aqui a página de categoria sobre o assunto do nosso Blog.

Assim, você pode se aprofundar na área com diversos outros conteúdos que irão te ajudar!

Leia também:

Os 8 erros de SEO que te afastam das primeiras posições do Google

Quer se aprofundar na área? Recomendamos estes Cursos de SEO:

  • SEO Unlocked (Neil Patel): uma das maiores referências no mundo de SEO, o Neil possui um curso de SEO completo em que ele mesmo apresenta o método de otimização de sites que utiliza no seu próprio site e nos dos seus clientes. Eu mesmo já fiz o curso e ele é bem completo, indico muito!
  • SEO Comprovado (Eduardo Borges): esse é um curso bem prático de SEO, em que você aprenderá o passo a passo para guiar um site em direção aos melhores resultados de tráfego, conversões e vendas orgânicas.
  • #OpenSEO (Conversion): esse curso da Conversion aborda as principais estratégias, técnicas e ferramentas que você pode utilizar em um trabalho de SEO. É um material bem objetivo naquilo que é essencial para conseguir resultados orgânicos com SEO.
  • SEO Completo – Do básico ao avançado (Udemy): como o próprio nome sugere, nesse curso você irá aprender desde estratégias básicas até táticas mais avançadas de SEO, mesmo que ainda não tenha experiência na área. O curso também ensina a parte de gestão de projetos de SEO.
  • Search Engine Optimization (SEO) (Rock Content): como parte de seu projeto de ensino Rock University, esse curso de SEO da Rock Content é bastante focado na otimização de conteúdos, artigos e blog posts de sites, já que a empresa é referência em Marketing de Conteúdo no Brasil.

Leia também:

7 Especialistas em SEO que você deve acompanhar agora!

Dicionário do SEO: principais termos usados na área e o que significam para você não se perder

Pode já salvar este link nos seus favoritos e consultar sempre que precisar daqui em diante, ok?

  • Alt Text (ou texto alternativo): trata-se de um atributo das imagens de um site que serve para fazer com que o Google consiga entender o que é a imagem para também ranqueá-la no Google Imagens, além de tornar as imagens mais acessíveis para deficientes visuais, por exemplo, como uma alternativa em texto para esses usuários que não irão conseguir enxergá-las.
  • Domain Authority (DA) ou Autoridade de Domínio: trata-se de um indicador que demonstra a relevância de um site. Sites com maior DA tendem a alcançarem melhores posicionamentos nos resultados dos buscadores.
  • Backlinks: links presentes em outros sites que apontam e direcionam para um link do seu site. 
  • Black Hat SEO: prática de SEO que traz resultados rápidos mas é considerada antiética e injusta, feita para trapacear algorítmos e burlar as regras do Google, em desacordo com suas recomendações e orientações. Sites que utilizam técnicas Black Hat podem ser penalizados e sofrer consequências graves, como perda de posições e até banimento do Google. Entenda mais sobre o assunto em: Black Hat SEO e White Hat SEO: qual a técnica ideal para um site?.
  • Bounce Rate ou Taxa de Rejeição: representa quantos usuários entraram em uma página do seu site e saíram logo em seguida, sem realizar nenhuma ação ou conversão. Uma alta taxa de rejeição indica que o conteúdo de uma página não é interessante para o usuário e pode afetar o seu posicionamento no Google.
  • Cloaking: técnica de SEO considerada Black Hat que consiste em exibir uma versão de um mesmo conteúdo para o usuário (pouco relevante) e outra versão diferente para os buscadores, geralmente mais otimizada e adequada. Dessa forma, o usuário tem uma experiência ruim com o conteúdo.
  • Conteúdo duplicado: quando o mesmo conteúdo está presente em mais de um URL do site. 
  • Google Analytics: ferramenta do Google que serve para acompanhar e monitorar métricas importantes para SEO, como quantidade de visitas orgânicas de um site e taxa de rejeição, além de informações sobre os visitantes, como localização, comportamento no site, gênero, entre outras. Saiba mais sobre o Google Analytics neste outro artigo.
  • Google Trends: outra ferramenta do Google que mostra a tendência de busca de termos na pesquisa do Google, em determinado período. É útil para estudo de palavras-chave. Aprenda a usar o Google Trends para pesquisar palavras-chave aqui.
  • Gray Hat SEO: prática de SEO que une estratégias recomendadas e estratégias antiéticas.
  • Heading Tags: tags ou marcações que estabelecem uma estrutura lógica e hierárquica em uma página, como H1, H2, H3, H4 e por aí vai. A tag H1 indica para o Google a informação ou assunto mais importante da página.
  • Keyword stuffing: outra técnica de SEO considerada Black Hat que consiste no uso excessivo e repetitivo de uma mesma palavra-chave em uma página para conseguir um bom ranqueamento para aquela palavra-chave.
  • Link Building: nome dado ao trabalho, ação ou estratégia de SEO com foco em conseguir links em outros sites que apontem para o site foco da estratégia (backlinks). Saiba mais sobre o Link Building aqui.
  • Link externo: link presente em um site que direciona para outro site. Entenda melhor os links externos e como utilizá-los a seu favor aqui.
  • Link Farm ou Fazenda de Links: técnica de SEO considerada Black Hat em que vários sites combinam de oferecer backlinks uns para os outros como tentativa de melhorar a relevância e autoridade de cada um.
  • Links internos: links presentes em um site que direcionam para outro link do próprio site.
  • Meta Description ou Meta-Descrição: pequeno resumo de uma página que é exibido logo abaixo do título e da URL de um site nos resultados das pesquisas nos buscadores. No trabalho de SEO, a meta description é otimizada para atrair mais cliques no link de um site.
  • SEO Off page: estratégia de SEO que envolve elementos que não estão 100% no controle de um profissional de SEO, como a conquista de backlinks e link building.
  • SEO On page: estratégia de SEO que envolve elementos que estão no controle de um profissional de SEO, pois se encontram dentro do próprio site que está sendo otimizado. São exemplos de elementos on-page: títulos, palavras-chave, meta-descriptions, imagens.
  • Page Authority (PA) ou Autoridade de Página: indicador que demonstra a relevância de uma página específica de um site. Páginas com maior PA tendem a alcançarem melhores posicionamentos nos resultados dos buscadores.
  • Redirecionamento ou Redirect: tática para redirecionar um usuário de uma página para outra. O tipo de redirecionamento mais comum e utilizado é o redirecionamento 301.
  • Robots.txt: arquivo criado para sites que impede que o Google exiba nos resultados páginas que não são interessantes para exibição, por segurança ou opção do proprietário do site, como páginas de login no site e URLs de pesquisa interna.
  • Search Console: ferramenta do Google que serve para ter uma visão de como o próprio Google enxerga o seu site. Além disso, também é possível monitorar o desempenho orgânico e métricas importantes (como cliques, impressões, posicionamento e dados de palavras-chave). Conheça o Search Console neste outro artigo!
  • SEO Local: estratégia de SEO utilizada em sites que possuem um negócio local ou loja física, para melhorar a sua exibição para usuários da sua região ou localidade.
  • SERP (Search Engine Result Page): é a própria página em que são exibidos os resultados de uma pesquisa nos sites de busca, como o Google.
  • Sitemap: espécie de “mapa” de um site com todas as URL’s presentes nele. Assim, o Google consegue rastrear e identificar melhor as páginas existentes no site.
  • Texto âncora: termo ou frase do texto de uma página que é clicável, direcionando o usuário para outra página.
  • Title Tag: marcação feita no código de um site que identifica o título de uma página.
  • Tráfego Orgânico: volume de visitantes que um site recebe apenas organicamente, isto é, sem que seja necessário pagar para receber esse tráfego. O tráfego orgânico é o tipo de tráfego alvo do trabalho de SEO. Confira aqui algumas dicas de como turbinar o seu tráfego orgânico.
  • White Hat SEO: prática de SEO considerada a mais recomendada, pois segue as orientações e direcionamentos corretos dos sites de busca.
  • Yoast SEO: plugin frequentemente utilizado em um trabalho de SEO, que auxilia na execução de ações e tarefas que são importantes nessa área, como criação de sitemap, ajustes de títulos e meta-description. O Yoast também oferece um checklist de SEO para uma página.
  • YouTube SEO: estratégia de SEO com foco em melhorar o ranqueamento e o desempenho orgânico de vídeos no YouTube, já que a plataforma também é considerada um dos maiores buscadores do mundo. Confira aqui o nosso guia completo sobre YouTube SEO!

Para quem está começando a aprender sobre SEO, alguns termos ou palavras podem parecer confusas ou estranhas de início.

Mas, fique tranquilo, pois logo logo você estará entendendo tudo e evoluindo em SEO.

Para te ajudar ainda mais a entender sobre SEO, separei alguns outros artigos do Blog da Eixo que podem ser úteis para você:

O que é Black Hat SEO e White Hat SEO? Como fazer?

Se você colocasse o Chapéu Seletor do Harry Potter no seu site hoje, qual técnica de SEO acha que ele recomendaria: Black Hat ou White Hat?

Black Hat ou White Hat

“Hmmm… Difícil, muito difícil… O Black Hat SEO pode ser vantajoso para o seu site agora, mas o White Hat SEO pode ser mais interessante para a sua jornada a longo prazo”, diz o Chapéu Seletor.

Em tradução para o português, o termos Black Hat e White Hat significam “chapéu preto” e “chapéu branco”, respectivamente. Na verdade, é uma referência aos clássicos filmes de faroeste americanos, em que os vilões estavam sempre de chapéus pretos e os mocinhos de chapéus brancos.

Mas será que realmente existe um vilão e um mocinho quando se trata de SEO? Qual o lado que você deve escolher para que o seu site alcance bons resultados?

O objetivo deste artigo é explicar melhor cada técnica de SEO para que você mesmo consiga compreender o que pode ser o ideal para o seu site daqui para frente.

Vamos nessa? 

Entenda melhor sobre o Black Hat SEO e o White Hat SEO abaixo!

faroeste gif seo

O que é Black Hat SEO?

Black Hat SEO é um conjunto de técnicas com o objetivo de alcançar melhores ranqueamentos nos resultados das pesquisas dos usuários a partir da manipulação das regras dos mecanismos de busca, como o Google.

De acordo com as próprias diretrizes e orientações do Google, são exemplos de técnicas conhecidas de Black Hat SEO:

  • Textos e links ocultos;
  • Cloaking (quando uma página é exibida de maneiras diferentes para os robôs do Google e para os usuários, com o objetivo de melhorar o ranqueamento com foco nos algoritmos);
  • Inclusão de palavras-chave exageradamente em uma página;
  • Conteúdo duplicado ou copiado;
  • Linkfarm (“fazenda de links) ou participação em esquema para ganhar links externos e compra/venda de links;
  • Realizar redirecionamentos não autorizados.

Hoje, um trabalho de Black Hat SEO consiste em encontrar “brechas” nos algoritmos para fazer com que um site alcance bons retornos orgânicos, não necessariamente de acordo com as boas práticas.

O que acha de conferir tudo que precisa saber sobre SEO em um só lugar? Acesse aqui a nossa categoria e aprofunde-se no assunto!

O que é SEO White Hat?

Diferente do Black Hat SEO, o White Hat SEO reúne táticas de otimização de sites que seguem as práticas recomendadas pelos motores de busca, como as Diretrizes de Qualidade do Google. Assim, é possível fazer com que um site obtenha melhores resultados orgânicos dentro das regras.

Portanto, qualquer estratégia que fuja das orientações e normas indicadas pelos mecanismos de busca não é considerada White Hat SEO.

São exemplos de técnicas de otimização de SEO seguindo parâmetros de White Hat:

Leia também:

8 erros de SEO que te afastam das primeiras posições do Google

Reunimos nossas melhores dicas de SEO em um ebook completo, com tudo o que você precisa saber para melhorar o alcance de seus conteúdos. E o melhor: de graça! Clique e baixe agora!

Qual é melhor Black Hat ou White Hat no SEO? Vale a pena seguir apenas uma?

diferença entre black hat e white hat seo

No universo do SEO, escolher entre Black Hat e White Hat é como jogar na bolsa de valores. Um caminho pode ser mais rápido do que o outro, ao mesmo tempo que ele pode ser mais arriscado e te quebrar fortemente.

É preciso ter consciência dos resultados e retornos que cada um pode trazer, tanto positivos quanto negativos.

As técnicas de White Hat, costumam levar mais tempo para trazer resultados perceptíveis e expressivos. As táticas de Black Hat SEO, por sua vez, costumam trazer resultados significativos mais rápidos.

Porém, desde os anos 2000, mecanismos de buscas como o Google têm atualizado constantemente seus algoritmos e políticas, priorizando sites e páginas que estão de acordo com suas diretrizes.

Nesse sentido, marcas que tentam contornar as regras e seguir um caminho contrário às recomendações tendem a sofrer penalizações graves, como diminuição da autoridade de uma página e queda no ranqueamento do dia para a noite, ou até mesmo a exclusão do site e banimento do Google.

É um preço muito alto a se pagar pela simples sede de resultados rápidos.

Lembre-se de que um resultado sólido e duradouro de SEO envolve, sim, tempo. Trata-se uma estratégia a longo prazo que precisa ser colocada em prática da melhor forma para que os resultados sejam consistentes e os seus esforços e investimentos em marketing não sejam jogados fora no futuro.

Nesse sentido, optar pelo White Hat é a decisão que garante segurança para os seus resultados em SEO e longevidade para o seu site.

Pela nossa experiência em SEO, jogar de acordo com as regras é o que tem gerado retornos realmente satisfatórios para os nossos clientes.

Quer saber os resultados que técnicas de White Hat SEO podem trazer para o seu site? Confira aqui um Case.

Grey Hat SEO: a combinação das duas técnicas

E se a decisão de escolher uma técnica não fosse tão “8 ou 80”? Além do Black Hat e do White Hat, existe também o Grey Hat SEO, que é nada mais nada menos que uma mistura entre as outras duas técnicas

grey hat seo

Uma estratégia de Grey Hat prioriza técnicas de White Hat, mas também pode explorar táticas de Black Hat em alguns momentos, quando são necessários ranqueamentos mais instantâneos. As táticas utilizadas são mínimas, pois o intuito, nesse caso, é fazer com as ações de Black Hat passem despercebidas pelos motores de busca.

Porém, é importante reforçar: da mesma forma que o modo 100% Black Hat,  o Grey Hat SEO não está livre de punições. 

Caso as técnicas de manipulação das regras sejam identificadas pelo Google ou por qualquer outro mecanismo de busca, as penalizações são as mesmas e o seu site pode, sim, ser banido do Google.

Como escolher a estratégia mais ideal para o seu site?

A estratégia ideal de SEO não é aquela que garante apenas bons resultados. Mas aquela que oferece a melhor oportunidade de gerar bons retornos a longo prazo, de forma consistente e sustentável

Como viu, truques e técnicas que vão contra as regras podem fazer com que os seus esforços vão por água abaixo da noite para o dia.

Se quer mesmo investir em SEO, por que se arriscar tanto, se você pode dedicar o seu tempo em uma estratégia adequada e que trará retornos sólidos?

O White Hat é a técnica mais recomendada para quem deseja alcançar verdadeiros resultados em SEO.

Além de pensar nos números que você deseja atingir hoje, considere também o patamar de autoridade digital que você quer atingir com a sua marca no futuro, ok?

Ainda não sabe o que é o melhor para a sua empresa agora? Está perdido em SEO? Converse com um de nossos especialistas aqui. Estamos dispostos a ajudar a sua empresa a decolar em resultados orgânicos.

Espero que este conteúdo tenha te ajudado a esclarecer as suas dúvidas sobre Black Hat SEO e White Hat SEO. 

Acredito que outros conteúdos do nosso blog também irão ajudá-lo a atingir melhores resultados orgânicos. Leia também:

fale com um dos especialistas da agência eixo digital primeira agência platinum do centro-oeste
A Eixo Digital é a primeira Agência Platinum do Centro-Oeste entre os parceiros da Resultados Digitais. Que tal falar com um de nossos especialistas?

Case de sucesso de SEO: a Clínica Viver aumentou os visitantes orgânicos do seu site em 1.408% e os pedidos de agendamento em 278%. Clique aqui e veja como a Clínica alcançou esse resultado!

CYFE: o que é? Como usar e configurar passo a passo

Já imaginou ter os dados e as informações mais relevantes sobre o andamento das suas estratégias digitais reunidas em um só lugar, de maneira fácil e rápida? O CYFE é uma das melhores ferramentas que você pode utilizar para isso.

E o melhor: de forma gratuita.

A gente sabe o quanto tudo isso pode ser útil para quem trabalha com Marketing Digital e Inbound Marketing — ou gerencia esses processos.

Por isso, preparamos este artigo para te explicar melhor sobre o CYFE e te ensinar a configurar a ferramenta para começar a usar já!

Continue com a gente para saber mais.

O que é CYFE?

O CYFE é uma das plataformas online mais completas para acompanhamento de performance digital, permitindo que você monitore tudo aquilo que é mais importante sobre as suas estratégias, em uma só tela e em tempo real.

Ele permite que você crie dashboards personalizados, conforme o projeto, sendo uma boa opção para agências ou até mesmo profissionais da área que trabalham com mais de um cliente.

A grande vantagem do CYFE, ainda, é a integração com os mais diversos aplicativos e ferramentas externas. Para ter uma boa noção, você consegue exportar dados:

  • das redes sociais que usa, como Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn, YouTube.
  • das suas campanhas e anúncios de mídia paga, como Facebook Ads, Google Adwords.
  • do domínio do seu site, como o WordPress;
  • do ranqueamento e questões de SEO do seu site, com informações do seu Google Webmasters;
  • das suas campanhas de e-mail marketing, diretamente do Gmail ou de sites como o MailChimp;
  • das suas vendas, por ferramentas como Stripe, Shopify;
  • e da sua presença e autoridade digital, com informações do seu Google Analytics ou Search Console, por exemplo.

Resultados com Cyfe

A partir do momento que integrar essas ferramentas no CYFE, você irá analisar, rapidamente e em uma só tela, dados como perfil da sua audiência, tráfego, conversões, número de seguidores e visualizações, engajamento, impressões e cliques, custos das campanhas, entre várias outras informações que são importantes para o seu dia a dia no trabalho.

cyfe o que é e como configurar 1

Mesmo com recursos limitados, a versão gratuita do CYFE já permite que você tenha uma boa visão geral do andamento das suas estratégias — como vamos te mostrar mais a frente.

Para quem quiser aproveitar todas as funcionalidades da ferramenta, ela também conta com planos pagos. Saiba mais no próprio site da CYFE.

Você está fazendo a análise correta dos seus resultados e da performance das suas estratégias? Confira aqui a nossa página de categoria com conteúdos que vão ajudá-lo nisso!

Quais informações, exatamente, é possível colocar no dashboard do CYFE?

Cyfe tela

No CYFE, os aplicativos e as ferramentas que você pode integrar são chamados de widgets, que estão organizados por categorias (como pode ver na imagem acima).

E não são só redes sociais que você pode integrar. Você também pode adicionar outros diversos aplicativos e widgets que também podem ser importantes para o contexto do seu negócio.

São muitas opções de widgets para adicionar. Por isso, selecione bem as informações que quer ver no seu dashboard e, se necessário, crie mais de um dashboard, organizando de acordo com as áreas que quer analisar. Ex: um dashboard para gastos e retorno financeiro, outro para mídias sociais, outro para SEO, outro para vendas…

Cyfe Dashboard

Abaixo estão todos os aplicativos, as ferramentas e informações que você pode colocar no seu dashboard, para conseguir visualizar os principais dados de cada um:

  • Publicidade (Bing Ads, CallRail, Google AdSense, Google AdWords, Marchex);
  • Personalizado (Arquivo CSV, IFrame, Adicionar Imagem, Mashup, URL Privada, Push API, Feed de RSS, SQL, Texto – HTML);
  • E-mail (ActiveCampaign, AWeber, Monitor de Campanha, Constant Contact, GetResponse, iContact, MailChimp, MyEmma, SendGrid);
  • Monitoração (AWS CloudWatch, Alertas do Google, Google Trends, Pingdom);
  • Outros (Asana, Basecamp, Basecamp Classic, Contagem Regressiva, Calendário/Agenda do Google, GoToWebinar, Highrise, iTunes Connect, Clima e Tempo, Trello, WordPress);
  • Sales & Finance (Eventbrite, FreshBooks, HubSpot, Infusionsoft, MYOB AccountRight, MYOB Essentials, PayPal, Paywhirl, Pipedrive, QuickBooks, Recurly, Salesforce, Shopify, Stripe, Tubular.io, Xero, Zoho CRM);
  • SEO (Google Meu Negócio, Google Webmasters, Moz, SERPs);
  • Mídia Social (AddThis, Bitly, Facebook Ads, Facebook Pages, Flickr, Instagram, LinkedIn Ads, LinkedIn Company, Pinterest, Publisher, Reviews, SlideShare, Twitter, Twitter Ads, Pesquisa do Twitter, Vimeo, YouTube);
  • Suporte (Desk, Freshdesk, Jira, Zendesk);
  • Análise web (Alexa, Chartbeat, Compete, Google Analytics, Google Analytics em Tempo Real, GoSquared, Mixpanel, Quantcast, Unbounce).

As informações exatas que você poderá importar de cada ferramenta estão descritas abaixo do nome de cada uma, como na imagem acima.

Aprenda o passo a passo para configurar o CYFE Dashboard para o seu negócio!

1º Crie a sua conta de forma rápida e gratuita

Primeiro, acesse http://www.cyfe.com/ e crie a sua conta na plataforma, gratuitamente.

Para isso, basta clicar no botão “Sign Up” no canto direito superior da tela e preencher os seus dados (Nome completo, E-mail e Senha).

Cyfe 1

Depois disso, o CYFE vai enviar um e-mail com um link de confirmação. Basta ir no seu e-mail e clicar no link que enviaram para ter acesso à plataforma.

2º Altere a linguagem

Assim que clicar no link, você será direcionado para a página inicial do seu dashboard (ainda em branco) no CYFE.

Antes de começar a personalizar a sua tela, altere a linguagem da plataforma como preferir.

Para isso, clique em “Settings” (botão semelhante a ferramentas no menu esquerdo) e depois em “Change Language”.

Cyfe 2

A partir daí, é só escolher o idioma que quiser dentre os disponíveis no CYFE. Para ficar mais didático nos próximos passos, escolhemos o português.

3º Adicione os widgets que forem mais interessantes para o seu negócio

Pronto, agora é só começar a adicionar os widgets que considerar mais importantes para a sua análise.

Volte para o seu dashboard inicial e clique em “Add Widget” (no botão com quatro quadrinhos no menu superior).

Cyfe 3

Na versão gratuita, você só consegue adicionar no máximo 5 widgets em um único dashboard, além de poder criar no máximo 2 dashboards diferentes.

Para integrar widgets ilimitados por dashboard, você pode comprar o plano Solo, que custa 29 dólares/mês.

4º Configure e integre cada widget com as respectivas contas/páginas

Depois que adicionar os widgets, é só ir em cada um e clicar em “Configuração do Widget”. Coloque os dados que o CYFE solicitar para que consiga importar os dados.

Cyfe 4

Atenção para o campo “Métrica”, onde você pode selecionar qual informação quer ver no seu dashboard. Recomendamos a Visão Geral.

5º Ajuste o tamanho dos widgets da forma que preferir

Em qualquer dashboard, é muito importante que as informações não fiquem bagunçadas e sejam fáceis de visualizar.

O CYFE entende isso e permite que você altere o tamanho de cada widget, da maneira que preferir e que te permitir uma visão mais limpa.

É só clicar e segurar nos três risquinhos no canto inferior direito de cada widget e ir arrastando até ficar do jeito que quiser.

Cyfe 5

6º Modifique outros detalhes

Para melhorar a visualização, também é possível modificar alguns detalhes, como o fundo do dashboard (você pode colocar texturas ou só mudar do modo noturno para o modo diurno, ou vice-versa).

  • Para colocar texturas, vá no menu superior e clique em “Mudar Fundo” (no ícone de imagem).

texturas

  • Caso queira alterar do modo noturno para o diurno, é só clicar no botão no canto inferior esquerdo da tela.

modo noturno vs modo diurno

Além disso, você também consegue mudar o período de tempo que o CYFE está mostrando os seus dados. Basta clicar nas datas que aparecem no canto superior direito do seu dashboard.

período de tempo

Leia também:

Ferramentas de Marketing Digital: lista completa para DIVERSAS ÁREAS!

Não esqueça de acompanhar os seus indicadores!

Como você deve analisar o seu dashboard no Cyfe? Uma boa dica é definir indicadores de desempenho (KPIs) para acompanhar frequentemente, de acordo com os seus objetivos, metas e principais estratégias.

Saiba mais em:

KPIs: o que são e como escolher os seus?

Uma boa dica, para qualquer negócio, é colocar como meta sempre aumentar em 10% os números gerais de cada widget mês a mês.

Se conseguir isso, o seu negócio terá crescido 30x em performance digital em apenas um ano.

E aí, gostou do artigo? Compartilhe nas suas redes sociais ou mande para um colega de trabalho que achar interessante. Convença eles a começar a usar o CYFE já na próxima semana, o que acha?

Leia também: Como montar um dashboard? Aprenda já!

cta-consultoria-inside-sales
Consultoria Inside Sales

Como melhorar seus resultados no RD Station?

Fala a verdade: é muito desmotivador abrir o seu RD Station e ver que o seu trabalho não está rendendo os resultados que queria, certo? As taxas estão baixas e vermelhas, e você já não sabe mais o que fazer para melhorar esses números.

Mas, então, deixa eu te perguntar: será que você está explorando a ferramenta da melhor forma? Você conhece, de fato, o que o RD pode fazer pelas suas estratégias digitais?

Ainda tem dúvidas sobre o RD Station? Então, clique aqui e saiba tudo sobre a ferramenta antes de continuar lendo este artigo.

Afinal, o que você pode fazer de forma prática e simples para melhorar os seus resultados no RD Station?

Separamos aqui algumas boas práticas que vão fazer você ter o dashboard que tanto quer: com resultados melhores que o do mês anterior e em constante crescimento! Vamos lá?

Boas práticas para alavancar resultados no RD Station

Para aumentar o número de leads:

  • Crie Landing Pages (LP) de vendas e com conteúdos relevantes

O próprio RD recomenda que uma LP ativada deve gerar, no mínimo, 50 leads novos por mês. Então, invista nessa estratégia para divulgar em suas campanhas de mídia paga, por e-mails e nas redes sociais.

A LP pode ser exclusivamente de venda, detalhando um produto ou serviço específico da sua empresa e com uma copywriting persuasiva. Ou pode ser uma LP para pedido de orçamento ou para solicitar um contato. Olha a que usamos aqui na Eixo: LP de Fale com um Especialista

Ainda, as LP’s são importantíssimas para divulgar e-books, webinars ou outras ações digitais. Produza boas páginas, divulgue em todos os canais possíveis e aumente sua quantidade de leads gerados mensalmente.

Para avaliar o sucesso de uma LP, fique de olho nas taxas! Para LP’s de topo de funil, uma excelente taxa de conversão é de 30%. Para LP’s de meio de funil, a taxa de conversão de 15% está dentro da média do mercado. Já para LP’s de fundo de funil, 2% é uma boa taxa de conversão.

Leia também:

Landing Page: o que é e o que não pode faltar? EXEMPLOS PRÁTICOS

O que é e como construir um funil de vendas?

Para aumentar o número de oportunidades:

  • Segmente os seus leads:

É muito importante que você saiba exatamente quem são aqueles contatos que estão na sua base para poder identificar e marcar as oportunidades que tem em suas mãos. Para isso, analise os seus contatos e separe-os em grupos de acordo com as informações que tem de formulários que preencheram ou de acordo com a ação que ele fez (baixou certo e-book ou material, clicou em certo e-mail, etc). A partir disso, você vai saber, por exemplo, quais são aqueles contatos que estão mais qualificados para se tornarem clientes e que merecem uma comunicação mais direta. Diferencie seus leads pelo seu perfil de carreira e de consumo, pelos seus interesses, pelos assuntos com que mais se engajam, pela idade, dentre outras possibilidades do seu segmento específico.

  • Envie e-mails periódicos para a sua base:

Uma boa prática é enviar, no mínimo, dois e-mails por mês para a sua base de leads, usando e abusando das segmentações que já fez. Caso possua uma base muito boa interessada em um assunto específico do seu negócio, por exemplo, você pode enviar e-mails educativos, retirando dúvidas comuns do tema e dando algumas curiosidades relevantes para o seu dia a dia.

Para avaliar o sucesso dos seus e-mails, fique de olho nas taxas! É importante buscar uma taxa de abertura dos e-mails sempre acima de 15% e uma taxa de cliques acima de 2%. Se as suas campanhas estiverem muito abaixo disso, pode ser que seus assuntos não estejam tão interessantes ou de acordo com os interesses dos leads. Reavalie e mude a estratégia!

  • Envie e-mails para oportunidades perdidas:

Essa é uma grande estratégia para aumentar o número de oportunidades. Pois existem aqueles leads que, há um tempo atrás, não estavam preparados nem qualificados o bastante para se tornarem seus novos clientes. Mas, agora eles podem estar em um contexto diferente e vale mandar um e-mail para eles lembrando do seu serviço e fazendo uma nova oferta. Eles já têm contato com a sua marca e conhecem o seu serviço, então este e-mail pode ser um pouco mais focado no seu produto/serviço.

Leia também:

Dicas de conteúdo essenciais para um e-mail marketing

e

Como obter resultados com e-mail marketing?

Para aumentar número de vendas:

  • Reforce o Lead Scoring (LS):

Com esse recurso do RD você vai definir pontuações para as ações ou características do seu lead (como cargo, tamanho da empresa, segmento, etc) para identificar aqueles que estão mais preparados para comprarem o seu produto/serviço, sendo o seu perfil ideal de cliente. Então, revise bem o seu LS, identificando se os pontos e critérios que atribuiu estão realmente coerentes. Se ainda não tiver um LS, crie urgentemente. Quando você sabe quem são aqueles contatos que realmente têm maiores chances de fechar um contrato com você, o trabalho do time de vendas fica muito mais assertivo, efetivo e os seus números do RD vão aumentar.

  • Mande e-mails com senso de urgência:

Essa é a boa prática que traz resultados mais rápidos para aumentar as vendas. Imagine, por exemplo, que um usuário entrou no seu site e colocou vários dos seus produtos no carrinho, mas quando foi finalizar a compra desistiu (e pelos mais diversos motivos). Já que, nesse ponto, ele já se cadastrou no seu site e forneceu o e-mail, é o momento de você mandar um e-mail para ele com o gatilho mental de urgência. Por exemplo: “10% de desconto pra você poder ter suas roupas e ficar mais fashion agora!”, “Não deu pra comprar agora? Não se preocupe, você pode reservar os seus itens por até 5 dias”, “Estamos recebendo uma alta demanda desse produto. Adquira já o seu antes que esgote!”, ou “Frete grátis pra você levar o livro agora!”. Não tenha dúvidas: era isso que o consumidor estava esperando para fechar uma compra com você!

Leia também:

RD Station: como analisar os resultados na plataforma?

Inside Sales: conheça a estratégia mais eficiente para vendas

Como usar anúncio em vídeo para aumentar as suas vendas

Como melhorar os meus resultados fora do RD Station?

Sabemos que o RD Station facilita — e muito — a gestão das suas estratégias de marketing digital.

Mas, para ter resultados realmente efetivos, é preciso que você invista em ações completas e que englobem toda a complexidade do universo digital. Coisa que, nem sempre, a plataforma consegue entregar.

O Inbound Marketing, por exemplo, é uma técnica digital completa e essencial para quem quer atrair clientes novos de forma natural e espontânea. Com ele, é o usuário que chega até você!

Se você ainda não conhece esse tipo de estratégia, leia agora mesmo este outro texto: Inbound Marketing: entenda a metodologia.

Agora, se você já está mais avançado no assunto e quer potencializar as suas estratégias, de forma mais prática, aprenda aqui a como desenvolver seu plano de Inbound Marketing para um ano!

Você está fazendo a análise correta dos seus resultados e da performance das suas estratégias? Confira aqui a nossa página de categoria com conteúdos que vão ajudá-lo nisso!

Inbound marketing
Baixe agora mesmo o Guia Completo do Inbound Marketing! É gratuito!

Melhores Dashboards de Marketing Digital para Performance

Já imaginou ficar livre de todas aquelas planilhas gigantes e não precisar mais abrir várias guias no computador para analisar os resultados e a performance das suas ações de marketing? Então, tenho uma boa notícia: você pode reunir as informações e relatórios das suas estratégias de marketing em um só lugar por meio de um dashboard marketing digital.

Dados sobre as suas campanhas no Google, Facebook, Instagram, Twitter, YouTube e muito mais — como métricas e KPI’s de marketing — estarão visualmente mais claros para você analisar e acompanhar a efetividade das suas ações.

Por isso, neste artigo, você irá conhecer os 4 melhores dashboards de marketing digital para acompanhar a performance da sua estratégia.

Ebook de Inbound Marketing

O que é Dashboard marketing digital?

O dashboard marketing digital é uma ferramenta que aponta os resultados e performance das suas ações de marketing, ou seja, é uma central de dados e indicadores de sucesso. 

Um dashboard bem elaborado deve mostrar gráficos, imagens e números para que todos os envolvidos no projeto consigam entender. 

30 termos essenciais do marketing digital para seu negócio!

Qual o objetivo de um dashboard?

O principal objetivo é mostrar de forma visual e simplificada os resultados das campanhas de Google Ads e SEO. Além disso, o dashboard pode ajudar nas tomadas de decisões da empresa.

Assim que terminar de ler, é só escolher o que mais atende às suas necessidades e começar a utilizar.

Pode ser? Então vamos nessa!

1 – Google Data Studio

O Google é uma das principais ferramentas usadas em uma estratégia de marketing digital. E, é claro que ele estaria na nossa lista, já que o Google também oferece a sua plataforma própria de dashboard e análise de performance.

Com o Google Data Studio você consegue integrar qualquer ferramenta externa de marketing do próprio Google: Planilhas, Adwords, Analytics, Youtube, entre outras. E todos os dados extraídos desses sistemas podem ser analisados em tempo real.

Melhores Dashboards de Marketing Digital para Performance
Melhores Dashboards de Marketing Digital para Performance

A vantagem é que, além de poder criar dashboards personalizados de acordo com cada projeto, você também pode fazer relatórios de forma fácil, simples e intuitiva, além de compartilhar ou editar arquivos por meio do Google Drive.

O Google Data Studio é, talvez, a plataforma de dashboards mais famosa atualmente, usada por grandes empresas como Spotify, Sony Music e Johnson & Johnson. A sua versão paga é a que faz mais sucesso, por conter todas as funcionalidades.

Apesar disso, a plataforma também conta com uma versão gratuita e ideal para pequenos projetos, com os recursos essenciais de acompanhamento e análise de resultados.

2 – Keep.i

Essa é uma plataforma gratuita, toda em português, muito utilizada por empreendedores, gerentes de marketing, agências de publicidade e até por grandes empresas, como a Polishop.

Com o Keep.i, você conseguirá acompanhar o andamento das suas ações em uma única tela e em tempo real.

Melhores Dashboards de Marketing Digital para Performance
Melhores Dashboards de Marketing Digital para Performance

Para isso, você pode conectar e integrar diversas outras ferramentas externas que vão te fornecer os dados que precisa, como Google Adwords, Google Analytics, Facebook Ads, Instagram Ads, Twitter Ads e vários outros.

O que fazer com leads originados do Google Adwords?

Assim, você consegue analisar de uma vez só informações essenciais para acompanhar a performance e o andamento das suas ações, como:

  • Dados de conversões, investimentos e custos;
  • Impressões, cliques e métricas de CPC (Custo por Clique) e CTR (Taxa de Clique);
  • Origem do tráfego e dados geográficos dos usuários;
  • Alcance, menções nas redes sociais;
  • E muito mais.

Uma funcionalidade interessante também — e muito útil para qualquer um que trabalha com marketing — é que o Keep.i te dá sugestões de influenciadores em alta que combinam com a sua marca, para que possa pensar em uma estratégia com eles se quiser.

E o melhor: você também pode acessar a plataforma diretamente do seu celular ou qualquer outro dispositivo móvel, de onde estiver. Além disso, também é possível imprimir os relatórios ou exportar dados das suas planilhas já existentes.

3 – DashGoo

Esse dashboard marketing digital também pode ser usado por qualquer um que trabalhe com marketing, seja com grandes ou pequenos projetos. Isso porque o DashGoo possui variedade de planos e preços — e algum deles com certeza vai se encaixar no seu bolso e na sua necessidade.

Ela também é uma plataforma em português e oferece relatórios prontos para as suas ações de marketing.

Ainda assim, também é possível personalizá-los de acordo com a sua estratégia. É só inserir os KPIs que julgar mais importantes para você e escolher a melhor forma de visualizar os resultados das suas ações (gráficos, imagens, mapas, textos, etc.).

Assim como o Keep.i, também é possível integrar na plataforma as suas campanhas do Google Adwords, Google Analytics, Facebook Ads, Facebook Insights e Instagram Ads.

Leia também:

5 erros comuns de anúncios no Facebook que matam orçamentos (e como corrigi-los)

e

4 maneiras de otimizar a entrega dos seus anúncios no Google Adwords

Você também terá acesso em uma única tela a informações como:

  • Dados de performance e custos, conversões realizadas, impressões e número de cliques das campanhas;
  • CPC e CTR das suas ações;
  • Origem dos cliques e informações geográficas dos usuários;
  • Dentre outras.

Melhores Dashboards de Marketing Digital para Performance
Melhores Dashboards de Marketing Digital para Performance

Leia também:

Ferramentas de Marketing Digital: lista completa para DIVERSAS ÁREAS!

4 – Cyfe

Essa é, talvez, uma das plataformas mais completas de dashboard marketing digital. Isso porque ela possui uma possibilidade maior de aplicativos e ferramentas externas que você pode integrar.

No Cyfe você pode conectar — além das suas contas Google, Facebook e Instagram — as suas campanhas e ações do Twitter e LinkedIn, dos seus vídeos do YouTube e Vimeo, o seu site do WordPress, conta da Amazon e diversas outras plataformas.

Assim, além de acompanhar e monitorar resultados das suas estratégias nas redes sociais do seu projeto (com todos aqueles dados que já vimos nos outros dashboards apresentados aqui), você também consegue analisar outras informações, como as suas campanhas de e-mail marketing e questões de SEO e ranqueamento, por exemplo.

E lembrando: tudo isso em tempo real.

Links externos: entenda a importância deles para o seu ranqueamento

O Cyfe é oferecido em uma versão gratuita e também com planos pagos, para ter acesso a todas as funcionalidades.

Saiba mais em:

CYFE: O que é e como configurar?

Melhores Dashboards de Marketing Digital para Performance
Melhores Dashboards de Marketing Digital para Performance

É claro que, também é possível criar um dashboard de forma mais simples e em conta, como em uma planilha de Excel.

Lá você também conseguirá resumir as informações e KPIs mais importantes para acompanhar a performance das suas ações, mas talvez dê um pouco mais de trabalho.

10 KPIs que todo gerente de marketing deve acompanhar já

A vantagem de ter ferramentas específicas para criar dashboards é que todo o trabalho fica muito mais simples, fácil e rápido. Então, analise bem as opções e escolha aquela que mais se adequar às suas necessidades, certo?

Leia também: Relatório de Marketing Digital de Sucesso: saiba como construir!

Atenção: evite erros comuns na hora de criar o seu dashboard

A principal utilidade de um dashboard marketing digital é construir um local que facilite a visualização e o acompanhamento das suas ações de marketing, de forma clara, resumida e apenas com aquilo que é essencial.

Por isso, evite utilizar muitas cores, efeitos visuais demais ou informações em excesso.

Esses aspectos vão dificultar o seu trabalho e deixar o dashboard confuso, impreciso, desorganizado e cansativo visualmente, tirando o foco do que realmente importa: a eficácia da sua estratégia de marketing.

Você está fazendo a análise correta dos seus resultados e da performance das suas estratégias? Confira aqui a nossa página de categoria com conteúdos que vão ajudá-lo nisso!

Leia também: Você está colhendo resultados com sua estratégia de marketing? Descubra já! e Como fazer um plano de marketing digital.

5 dicas fundamentais para aumentar as visitas no seu site

Nas estratégias de Marketing Digital como um todo, muitas vezes deixamos passar coisas simples, mas que fazem toda a diferença para alcançar os objetivos e concluir as metas planejadas.

Por exemplo: se, de acordo com o que planejou para a sua estratégia, você quer fazer com que o seu site apareça na primeira página do Google, o cuidado com a escolha de palavras-chave é um detalhe que muitos esquecem de reforçar.

Mas e se o foco da minha estratégia é aumentar o número de visitas no meu site, ou na página do meu cliente? O que não posso deixar de considerar?

Vale lembrar que quanto mais visitas e clicks se tem em um site, maiores as chances de cada visitante se tornar um cliente e, assim, comprar o seu produto ou serviço.

Para ajudar nisso, separamos 5 dicas fundamentais para você alavancar as visitas no site da sua empresa.

Melhore o ranqueamento no Google

Algo muito comum é acharmos que produzir mais conteúdos, ou conteúdos maiores, é o principal fator para aumentar as visitas em um site. Mas talvez isso não seja primordial.

Melhorar a forma que o seu site aparece no Google, em questões de ranqueamento, já é um ótimo começo! Com isso, a sua página recebe mais clicks e mais visitas.

Isso é importante pois, para se ter uma ideia, em torno de 75% das pessoas permanecem apenas na primeira página de busca e, ainda, 60% delas clicam somente nos três primeiros links que aparecem nas suas buscas.

E a principal forma de melhorar esse ranqueamento é por meio das estratégias de SEO (Search Engine Optimization). Em suma, a técnica busca preencher pré-requisitos básicos que vão ajudar uma página a ter mais relevância para o Google e, assim, a ser um dos primeiros resultados a aparecer nas pesquisas dos usuários, de acordo com o nicho da empresa.

Para isso, é essencial se atentar para a escolha e para o uso de palavras-chave ideais em cada conteúdo do seu site, seja no título, nos textos da página inicial, na explicação sobre a empresa, entre outros. Além disso, uma URL amigável também é de extrema importância, pois pode dar mais credibilidade para a página e, ainda, atrair melhor um visitante.

Quer saber como deixar as URLs do seu site amigáveis para o Google? Aprenda aqui com 12 ações práticas!

Um detalhe que muitos esquecem mas que é de total importância nesse contexto é o chamado meta description. Sabe aquele pequena descrição que aparece abaixo do URL do site nas pesquisas no Google? Esse resumo da página ajuda o usuário a entender no que está prestes a clicar e, principalmente, se corresponde àquilo que de fato estava buscando.

Por isso, vale a pena apresentar bem o site e o seu negócio, além de utilizar um bom CTA (Call To Action) para aumentar as chances de que o usuário clique e entre na página.

E anote aí: um bom meta description deve conter até 160 caracteres, bem objetivos e atrativos.

Para saber mais sobre as estratégias de SEO, veja este artigo e este outro: Arquitetura da Informação em sites e SEO: entenda tudo!

Uma dica: um site rápido, responsivo e com boas técnicas de SEO é fundamental para garantir um bom ranqueamento. Para saber como melhorar (e avaliar) o seu site, acesse este artigo aqui:

Como avaliar o desempenho de um site?

Crie um blog

Outra estratégia que ajuda bastante a aumentar as visitas em um site é a presença de um blog. Ter esse espaço dentro da página diversifica a forma que a sua empresa pode aparecer nos resultados do Google.

Então, além da página principal, os textos e conteúdos publicados por meio do blog também aparecem nos resultados de busca, de acordo com a pesquisa do usuário. Aqui, o planejamento de SEO também é de grande importância.

Mas atenção: não adianta só criar o blog. É necessário que essa parte do site seja atualizada constantemente, com conteúdos variados, para que a página adquira ainda mais relevância para o Google. Assim, as chances de que apareça entre os primeiros resultados aumentam.

Patrocine o seu site

Depois de otimizar as estratégias de SEO, pode ser interessante começar a investir no seu site com o Google Adwords. Por meio da ferramenta, você consegue patrocinar a sua página para que ela apareça em uma melhor posição nas pesquisas do Google.

Assim, mais pessoas irão ver o seu site e aumentarão as chances de que cliquem nele.

Basicamente, um anúncio no Google direciona a sua página para que ela apareça sempre que o seu público buscar por produtos ou serviços oferecidos pela sua empresa. Por conta dessa especificidade, de mostrar o site exclusivamente para as pessoas interessadas no seu conteúdo, as chances de que ela entre na página são bem maiores.

Entenda o que sua Campanha no Google Adwords precisa.

Não esqueça das redes sociais

Criar contas em canais distintos, como Facebook, Instagram e Twitter, também pode ser um ótimo aliado na hora de aumentar o número de visitas no seu site.

Isso porque nas redes sociais você também pode estimular os usuários a visitarem a sua página.

É interessante que, sempre que possível, você possa incluir o site na publicação de um post nas redes sociais. Assim, além de oferecer um conteúdo relevante para o seu público em um canal diferente, você ainda o estimula a conhecer outro meio que é igualmente interessante para ele.

Um dica legal é que a integração entre as redes sociais e o seu site também deve ser pensada. Então, além do URL da página nos posts, também é importante que conteúdos do site levem para os demais canais da empresa. Colocar botões de compartilhamento para o Facebook, Instagram, Twitter, entre outras contas, ao final de cada texto do blog, vai ajudar nisso, por exemplo.

Inclua o URL do site na assinatura do e-mail

Como dissemos lá no início, algumas coisas simples costumam não serem lembradas quando o objetivo é aumentar as visitas em um site. O cuidado com o e-mail é uma delas.

Além de incluir o site nas estratégias das redes sociais, também ajuda a potencializar o número de visitantes na página se você acrescentá-la nos seus e-mails, principalmente na assinatura.

O recurso da assinatura é prático e está disponível nos principais serviços de e-mail, como Gmail e Outlook.com.

A partir disso, tanto o seu mailing profissional quanto pessoal também poderá se tornar um potencial visitante do seu site e, com certeza, um futuro cliente.

Para ajudar ainda mais, separamos esse Checklist para um plano de marketing digital de sucesso. Aproveite!

O que acha de conferir tudo que precisa saber sobre Marketing Digital em um só lugar? Acesse aqui a nossa categoria e aprofunde-se no assunto!

Leia também: O que é HTTPS e como ele vai deixar seu site mais seguro e Canonical Tag: será que o seu site precisa de uma? Descubra!