Marketing Digital Sem Aparecer: Aprenda!

Quero fazer marketing digital sem aparecer! É um desejo de muitos donos de empresas e gestores. Neste artigo, mostraremos como é possível alcançar esse objetivo.

Todos os dias o mundo digital apresenta uma novidade na forma de se gerar e consumir conteúdos. E aqueles que ganham maior audiência e viralizam são em geral os que trazem pessoas transmitindo esse conteúdo das mais variadas formas.

Mas se você também é do time dos tímidos e ser a imagem da sua empresa é algo desafiador, fique tranquilo, você não é o único.

Conteúdo é tudo aquilo que a gente gera para atrair a atenção da nossa clientela, que permite que ela se conecte com nossos serviços e produtos, e que veja valor no que oferecemos gratuitamente para que, num próximo passo, ela se sinta segura em converter essa autoridade que, nos é dada, em vendas.

Se você está consciente que esse processo de humanizar sua empresa é algo necessário para sobreviver a esse novo mundo do marketing digital, mas não se vê fazendo dancinhas, lives e vídeos, esse artigo foi pensado para você.

Acompanhe nossas sugestões de estratégias que vão personalizar seu conteúdo, para você crescer sem aparecer!

Dicas de como fazer marketing sem aparecer

Você já está mais do que decidido de que não vai aparecer nos seus conteúdos? Ok.

Então vamos lá construir uma trilha estratégica para você atingir grandes resultados, sem ir para frente das câmeras.

Existem muitos lugares onde seu negócio pode estar no mundo digital, todos os dias um novo espaço, um aplicativo da moda dentre outros formatos, mas cada um deles traz uma característica mais relevante sobre como as coisas por ali funcionam.

Plataformas como YouTube ficam bem desafiadoras para quem não quer aparecer, já que a maioria dos conteúdos é feita de pessoas falando com as outras diretamente. 

As redes sociais como Instagram e Tik-Tok, apesar de terem melhores aceitações e distribuição com vídeos, podem ser utilizadas de maneira criativa, sem que haja a necessidade de aparecer.

Já os sites e blogs são ideais para quem adora produzir seus conteúdos, e são super bem aceitos pelo público. Dependendo da qualidade do que você produz, não vai haver nenhum prejuízo em estabelecer conexão e credibilidade por faltar sua imagem nos textos.

Veja também: Instagram para médicos: crie a sua estratégia

Invista numa estratégia de Blog

Um Blog é uma ótima oportunidade para produzir conteúdo sem aparecer. Através dos artigos que são escritos, seguindo os melhores critérios de ranqueamento e SEO você consegue posicionar sua empresa nas primeiras páginas do Google.

E, assim, ser encontrado por centenas e milhares de pessoas interessadas em seus produtos e serviços. 

Uma boa estratégia de Blog abrange: 

  • Pesquisa por palavras-chave, que são os termos pesquisados pelo público da empresa, relacionados aos problemas que querem resolver
  • Escolha dos títulos dos artigos, baseados nestas palavras-chave.  
  • Escrita dos textos que podem variar de tamanho, de acordo com o objetivo. Por exemplo, para ranquear na 1a página é bom verificar o tamanho dos artigos dos concorrentes que já estão lá. Você vai precisar escrever artigos, no mínimo, do mesmo tamanho.
  • Verificação dos resultados através do Google Analytics, onde você consegue saber o volume de visitas no site, em cada página, entre outras informações importantes. A partir delas, você sabe o que está funcionando e o que precisa melhorar. 

Por que a humanização da marca é importante?

Dar as caras no seu negócio é, sim, um caminho com maiores chances de dar certo!

Aparecer e humanizar sua marca faz com que o seu público-alvo personifique o seu serviço e crie uma maior conexão com o que você tem a oferecer.

É o único caminho possível? Não, não é. Mas é importante entender que hoje em dia, as pessoas estão cada vez mais fartas de conteúdos que logo na primeira impressão já dão a entender que se trata de um processo de vendas.

É sobre isso que se trata na humanização, transformar seu conteúdo em algo mais próximo de quem o consome, que cria uma ligação especial, principalmente nas redes sociais, onde as pessoas querem ver outras pessoas, e eu vou te dizer o porquê.

Veja também: Google Ads Para Médicos

Naturalidade

Quando uma pessoa fala direto com seu público, é muito mais fácil transmitir naturalidade.O conteúdo fica mais leve, com cara de bate-papo, onde a ideia central é falar diretamente com a pessoa que te vê, como se estivéssemos frente a frente com ela.

Apesar de você poder trabalhar com uma roteirização, a fluidez e a forma que se emprega na mensagem que se quer passar, vai deixar tudo mais descontraído.

Credibilidade

Quando vemos alguém falando e esclarecendo nossas dúvidas, mostrando uma fala segura e assertiva, é esperado que a gente deposite maior confiança nesse interlocutor. É diferente quando a gente só lê algo ou assiste um vídeo de imagens. 

Na prática, as pessoas se sentem mais à vontade quando identificam outra pessoa falando sobre seu interesse.

Facilita a interpretação

Uma das maiores dificuldades na criação de conteúdo, para o criador, é que sua mensagem seja bem interpretada por quem vai recebê-la. Será que fui claro o suficiente? Será que usei a linguagem mais adequada ao conhecimento do público sobre determinado assunto? Será que dei o tom certo para criar conexão?

Quando somos nós que transmitimos o conteúdo, essas dúvidas são minimizadas. Ser aquele que vai passar diretamente a mensagem, quebra muitas barreiras de comunicação. À medida que falamos, vamos construindo essa ponte e dando a entonação certa do que queremos passar, diminuindo as chances de sermos mal interpretados.

Cria maior conexão

As mensagens escritas podem ser muito eficientes para criar uma identificação com o público, mas quando estamos ali, cara a cara, podemos usar recursos que deixam essa conversa muito mais íntima e conectada.

Aparecer nos conteúdos tira a rigidez da mensagem, em meio a uma comunicação técnica, por exemplo, há espaço para contar uma história, fazer um relato de outras experiências, comentar algum detalhe ou até mesmo fazer uma piada, sem que isso deixe a comunicação confusa.

Aparecer no seu negócio digital não é a única forma de conseguir essa série de vantagens, apesar de ser bem eficiente. Então, antes de desistir de usar essa ferramenta, vale a pena uma reflexão do real porque de não querer aparecer.

Se o seu motivo de não querer aparecer, não é falta de vontade, mas sim uma característica comportamental, saiba que também existem ferramentas e dicas bem valiosas para vencer a timidez e enfrentar essa exposição.

Dica-bônus: conte com ajuda profissional

Se você chegou até aqui, é porque percebeu o quanto é importante produzir conteúdo, mesmo que não queira aparecer, certo? 

Mas, se ainda assim, se sente inseguro, ou não tem tempo para elaborar uma estratégia eficiente de Marketing de Conteúdo, nós estamos aqui para te ajudar. 

Acesse o link abaixo e fale com um de nossos especialistas. Ele vai te mostrar como podemos te ajudar. 

FALE COM UM ESPECIALISTA DA EIXO DIGITAL

Como ter uma clínica de sucesso (mesmo sem você)!

Você quer ter uma clínica de sucesso? Esse é o sonho de muitos profissionais e empresários. Contudo, já foi o tempo em que isso dependia, apenas, da boa formação médica ou do mero esforço. 

Em um segmento tão concorrido como a área da saúde, é preciso inovar. Por exemplo, unir o conhecimento técnico à gestão, ao treinamento da equipe, à tecnologia e ao marketing. 

Para saber mais sobre o assunto, continue no artigo. Entenda, também, como clínicas, consultórios, laboratórios e hospitais podem ser gerenciados com mais autonomia. Confira a seguir! 

O que é uma clínica de sucesso? 

Se a imagem de uma sala de espera com muitos pacientes veio à sua cabeça, saiba que não é apenas isso que define uma clínica de sucesso.

Afinal, ter uma clínica de sucesso envolve prestar um serviço de excelência às pessoas. Isso torna um negócio na área da saúde uma referência. 

Entretanto, existem outros diferenciais que estão sempre presentes nos melhores negócios do ramo, como: 

  • Baixo índice de ausências nas consultas pré-agendadas.
  • Um fluxo regular e satisfatório de novos pacientes.
  • Uma boa média de fidelização, ou seja, pacientes que retornam e mantém um vínculo com o serviço.
  • Uma equipe treinada, capaz de tomar decisões de forma autônoma, garantindo o desempenho dos processos.
  • Retorno financeiro que garanta a cobertura de custos, a geração de lucro e novos investimentos. 

Assim, definir uma clínica de sucesso compreende alinhar expectativas e acompanhar resultados. Dessa forma, não apenas clínicas, mas consultórios, laboratórios e hospitais podem ser bem-sucedidos de forma mais precisa.

Os segredos das clínicas de sucesso 

Não seria exagero dizer que o sucesso não acontece da noite para o dia. Contudo, existe um segredo para alcançá-lo?

Selecionamos abaixo alguns pontos importantes, para ajudar você a ter uma clínica de sucesso. 

1. Atendimento diferenciado 

Pessoas esperam se sentir únicas. Portanto, um bom atendimento na sua clínica, consultório, laboratório ou hospital significa ter pacientes satisfeitos. 

Para isso, certifique-se de que a experiência do seu paciente seja positiva antes, durante e depois de uma consulta.

Só para ilustrar, seriam ações como: 

  • Recepção com simpatia e atenção pela equipe. 
  • Transformar a espera pelo atendimento em um momento mais leve, com música, café e internet disponíveis.
  • Facilitar o pós-atendimento, disponibilizando opções para realização de exames e agendamento de retorno. 

Veja aqui: Como ter um atendimento diferenciado em sua clínica (e se destacar da concorrência)!

Veja também: Instagram para médicos: crie a sua estratégia

2. Equipe capacitada 

A primeira impressão, definitivamente, é a que fica. Desse modo, capacitar a equipe da recepção faz todo sentido. 

Esse time deve lidar com dúvidas, ansiedades, objeções e feedbacks dos pacientes. Além disso, representam a imagem do seu negócio e contribuem para uma clínica ter sucesso. 

Neste artigo, confira como treinar time de recepção de clínicas, laboratórios e hospitais.

3. Gestão financeira organizada e transparente

Entender de gestão é mais um dos pilares das clínicas de sucesso. Aliás, todo empreendimento precisa de uma boa administração, principalmente, financeira. 

Assim sendo, o ideal é que você tenha conhecimento sobre

  • Fluxo de caixa.
  • Relatórios financeiros.
  • Controle de estoque.  

Nesse sentido, softwares de gestão oferecem boas ferramentas para manter a saúde financeira de clínicas, consultórios, laboratórios e hospitais.

>>>> Veja também: O que é algoritmo na internet? Como são usados nas redes sociais?

4. Assessoria jurídica especializada

Uma clínica de sucesso segue os padrões estabelecidos pelas entidades e órgãos reguladores na área da saúde. 

Igualmente, uma assessoria jurídica especializada previne os riscos do exercício profissional, como iatrogenias e questões judiciais. 

Só para exemplificar, você sabia que clínicas, consultórios, laboratórios e hospitais precisam estar adequados à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) desde 2020? E que, a partir de 2022, as punições previstas passaram a ser aplicadas?

É preciso estar atento para a segurança da informação e evitar penalidades

O papel da tecnologia 

Você já desejou que um dia tivesse mais de 24 horas? De fato, para os donos e gestores de clínicas médicas, o tempo é precioso. 

Isso porque a rotina de um negócio na área da saúde compreende muitos processos. É preciso confirmar agendamentos, registrar informações em prontuários e conversar com fornecedores. 

Para garantir que você gerencie a empresa quando precisar e onde estiver, a tecnologia tem um papel crucial. Principalmente os softwares médicos de nuvem, pois não precisam de instalação ou espaço físico.

Confira algumas vantagens desse tipo de recurso e como eles contribuem para uma clínica de sucesso: 

  • Facilidade para marcação e confirmação de consultas. 
  • Redução de ausências e, assim, das despesas para o negócio. 
  • Gerenciamento e armazenamento online de informações sobre os seus pacientes. 
  • Agilidade para acesso, pois são intuitivos e podem ser acessados por meio de diferentes plataformas.
  • Segurança de dados. 
  • Ferramentas integradas, como gestão financeira, emissão de notas fiscais, teleatendimento e portal do paciente. 

Por fim, a tecnologia traz inovação para a sua empresa. Do mesmo modo, permite uma atualização constante sobre o andamento do seu negócio. 

O Marketing Médico como um aliado

Acrescentando ao que vimos até aqui, o marketing médico profissional contorna os desafios da área da saúde. Isso porque este segmento não é, puramente, comercial. 

Assim, é necessário observar as restrições dos conselhos profissionais sobre a publicidade neste nicho.

Conheça algumas estratégias que colaboram, não apenas para clínicas de sucesso, mas para consultórios, laboratórios e hospitais. 

1. O primeiro resultado nas buscas online

Procurar cuidados médicos na internet faz parte do nosso dia a dia. 

Ainda, 75% dos usuários da internet olham apenas a primeira página dos resultados do Google. Portanto, estar no topo das pesquisas faz diferença na hora de alcançar e conquistar mais pacientes. 

Saiba como colocar sua clínica na primeira página do Google visitando este artigo no nosso Blog

2. Google Meu Negócio 

Se a sua empresa ainda não tem uma conta no Google Meu Negócio, não perca tempo. 

A ferramenta é gratuita e garante visibilidade online. Você pode se cadastrar e ser encontrado nas pesquisas da maior plataforma de buscas da internet. 

Saiba como operar esse recurso para atrair mais pacientes: Google Meu Negócio para Clínicas: aprenda a gerenciar a ferramenta para atrair mais pacientes! 

3. Usar corretamente as redes sociais

Usar o Instagram, o Facebook ou o YouTube para uma empresa da saúde é permitido. Contudo, significa planejar uma estratégia com foco nas pessoas e nos negócios. 

Como exemplo, você precisa ter um objetivo claro, como ter mais visibilidade, gerar autoridade ou captar leads. 

Neste artigo, conheça um plano de redes sociais para clínicas e aprenda a criar uma estratégia focada em vendas

4. Call Tracking 

O call tracking, isto é, o rastreamento de chamadas permite que você saiba a origem da ligação do seu paciente e, dessa forma, orienta melhor seus investimentos em marketing. 

Em termos gerais, um software atribui um número telefônico virtual para cada canal de contato do Marketing Médico. 

Ou seja, o paciente que encontrou a sua clínica no Facebook entrará em contato através de um número, enquanto quem pesquisou no Google usará outro diferente. 

Existem diversas ferramentas de call tracking que colaboram para clínicas de sucesso.

Visite nosso artigo sobre ferramentas de call tracking para clínicas, consultórios, laboratórios e hospitais.

Quer resultados de verdade no seu marketing? Fale com a Eixo Digital 

Como vimos, ter uma clínica de sucesso requer muitas ações. Do mesmo modo, você também precisa se dedicar ao atendimento dos seus pacientes. 

Por isso, a Eixo Digital está aqui para planejar esse caminho junto com você! São mais de 8 anos de experiência no Marketing Médico, levando resultados aos nossos parceiros. Confira um case de sucesso aqui! 

Ficou interessado e quer saber como podemos ajudar a sua clínica, consultório, laboratório ou hospital? 

Clique no link abaixo e fale com um dos nossos especialistas. Estamos prontos para conversar com você! 

QUERO FALAR COM UM ESPECIALISTA DA EIXO 

15 ferramentas gratuitas de marketing digital

Neste artigo vamos falar sobre 15 ferramentas gratuitas de marketing digital que podem ajudar seu negócio a ter mais produtividade e rapidez nos processos, além de economizar tempo e dinheiro para sua equipe. 

A conquista destes objetivos é fundamental para sua empresa turbinar os resultados na internet. 

Confira!

Vamos apresentar, brevemente, as 15 ferramentas gratuitas de marketing digital que separamos para você, explicando como elas podem ser úteis nas suas ações de marketing.

1. Canva

Se você precisa criar um projeto gráfico para a empresa e não tem verba para contratar um designer profissional, o Canva é a solução. 

É uma ferramenta gratuita com todos os recursos para você criar logos, gráficos, infográficos, posts para Instagram, capas para Youtube, entre outras peças. Possui centenas de fotos e ícones em sua biblioteca e você também pode fazer upload de novos arquivos. 

Veja também: Google Ads Para Médicos

2. Trello

Precisa gerenciar melhor as tarefas e processos da sua equipe? O Trello é uma ótimo aplicativo de gerenciamento de projetos. Sua estrutura é baseada no Kanban, uma metodologia ágil de gestão de trabalho, criada no Japão.

Muito fácil de usar, nele as tarefas são apresentadas em quadros, onde o usuário informa a distribuição de tarefas e o que está sendo feito por cada membro da equipe. Possui um sistema de atribuição de cores que facilita a visualização do desenvolvimento das tarefas. 

Veja também: Instagram para médicos: crie a sua estratégia

Veja também: Flywheel Marketing: um guia completo!

3. WordPress

O WordPress é uma das ferramentas gratuitas de marketing digital mais populares da atualidade, tornando-se o ambiente padrão para criação de sites e blogs, devido a facilidade de uso, integração com várias ferramentas de gestão e a imensa variedade de templates e plugins, pagos e gratuitos, que otimizam sua performance. Sua maior vantagem é que qualquer pessoa pode operar, sem precisar de conhecimento em desenvolvimento ou programação.

4. Planejador de palavras-chave do Google

Saber o que seu público está pesquisando no Google é o primeiro passo para a criação de uma estratégia de conteúdo eficiente, que atraia as pessoas certas. Por isso, essa ferramenta do Google de identificação de palavras-chave é ideal para qualquer empresa que deseja produzir conteúdo de qualidade. 

Também chamado de Google Keyword Planner, com ele é possível acompanhar o volume de buscas mensal dos termos pesquisados, o custo por clique e a dificuldade em ranquear no Google.

5. Answer the public

O Answer the Public é outra ferramenta gratuita de marketing digital estratégica para produção de conteúdos escritos. Ele utiliza o Google Suggest para encontrar e mapear as perguntas que são feitas pelas pessoas.

Assim, você consegue identificar as perguntas relacionadas a determinada palavra ou frase, trazendo novas ideias e perspectivas diferentes.

6. Google Analytics

O Google Analytics é essencial para acompanhar diversas métricas importantes do seu negócio. Possui diversos relatórios para você analisar o tráfego de seu site ou blog, identificando os textos mais lidos, o tempo de permanência das pessoas em cada página, entre outras métricas.

7. Mailchimp

Sua empresa precisa se relacionar de maneira mais próxima com as pessoas interessadas em seus produtos e serviços. Para isso, você pode usar o Mailchimp, uma ferramenta de e-mail marketing que na versão gratuita permite enviar até 12 mil e-mails por mês para até 12 mil destinatários.

8. Buzzsumo

BuzzSumo é mais ótima ferramenta gratuita de marketing digital. Ideal para quem precisa  acompanhar métricas sobre seus conteúdos, além de rastrear sites concorrentes, gerar relatórios e identificar influenciadores que possam ser parceiros de divulgação da sua marca.

9. Google Meu Negócio

Esta é uma ferramenta incrível que o Google disponibiliza gratuitamente para que sua empresa seja encontrada localmente na Rede de Pesquisa do Google e do Google Maps. 

Nela, você pode cadastrar diversas informações para que seus clientes encontrem seu negócio com mais facilidade, como, por exemplo, localização, horário de funcionamento, produtos, serviços, fotos e depoimentos de clientes. 

10. Estúdio de Criação do Facebook

É um conjunto de ferramentas gratuitas que ajudam você a publicar, gerenciar e analisar o desempenho de conteúdos publicados nas páginas comerciais do Facebook e em perfis do Instagram. 

Além disso, possui opções para você interagir com seu público através de comentários e mensagens diretas.

11. Hotjar

O Hotjar é uma ferramenta muito útil para análises mais detalhadas dos comportamentos de usuários no site da sua empresa e dos seus concorrentes. Seus serviços incluem mapa de calor, gravações de sessões, funil de conversão, análise de formulários e pesquisas de feedback.

A partir dessas análises você consegue identificar melhorias em suas estratégias de conversão. A versão gratuita é básica e limitada a coletar dados de sites com até 2.000 pageviews por dia. Além disso, é necessário pagar a mensalidade.

12. Google Docs, Planilha e Apresentações

Outra ferramenta de marketing digital gratuita que faz parte do Google. É um editor de textos na nuvem,  que pode ser acessada de qualquer lugar. Também possui outras ferramentas, como o Google Sheets, aplicativo de planilhas, semelhante ao Excel, da Microsoft, e o Google Slides, ferramenta para a criação de apresentações, semelhante ao Powerpoint.

13. Google Drive

É o serviço de armazenamento na nuvem do Google onde você pode acessar seus arquivos de qualquer dispositivo online ou offline. Excelente alternativa para realizar o backup de segurança de documentos importantes, assim como compartilhar o acesso de documentos com diversos membros da equipe. 

14 Google Chat

O Google Chat é um software de comunicação e relacionamento que envia mensagens diretas e possui salas de bate-papo. É parecido com o antigo Hangouts, mas possui  recursos mais avançados. Ideal para empresas de todos os segmentos, como a saúde, por exemplo, onde você falar com os pacientes da sua clínica, por exemplo. 

15. Evernote 

Também conhecido como um bloco de notas universal, o Evernote é a última das ferramentas gratuitas de marketing digital da nossa lista. Com ele, você tem um ambiente intuitivo para escrever ideias em arquivos de texto, registrar checklists, criar lembretes e até mesmo digitalizar documentos e fotos. 

Sua ferramenta de busca possui um sistema de tags muito eficiente que consegue até mesmo reconhecer texto em imagens e digitalizações.

Quer resultados de verdade no seu marketing? Fale com a Eixo Digital

Com essa lista de ferramentas gratuitas de marketing digital você já consegue otimizar enormemente os processos e rotinas do seu negócio, bem como acelerar a produtividade de qualquer equipe. 

No entanto, se você deseja realmente resultados exponenciais no seu negócio, usando a internet, é essencial uma estratégia mais robusta de marketing digital, que vai além das ferramentas gratuitas. 

Pra isso, conte com a Eixo Digital. É só acessar o link abaixo para…

FALAR COM UM ESPECIALISTA DA EIXO DIGITAL

18 termos de marketing digital para entender tudo de anúncios!

Quantas vezes você já ouviu uma frase que é bem antiga e diz: “a propaganda é a alma do negócio”? Aposto que não foram poucas. Na verdade, essa máxima sempre foi muito utilizada no contexto do chamado marketing tradicional, aquele em que uma peça publicitária é veiculada na TV ou no rádio para quem estiver ouvindo ou assistindo.

Sim, a propaganda continua sendo a alma de qualquer negócio. Mas, com o advento da internet e do marketing digital, esse trabalho passou a ser muito mais direcionado e focado em quem realmente tem interesse no produto ou serviço oferecido. Hoje, existem diversas ferramentas que possibilitam apresentar um anúncio para as pessoas certas.

Você mesmo já foi alvo dessas ferramentas ao pesquisar por um produto na internet e, ao abrir suas redes sociais em seguida, ver um anúncio daquele mesmo produto.

Se você ainda não tem conhecimento de como essa estratégia funciona, continue a leitura. Aqui, vamos te apresentar 18 termos de marketing digital para que você  entenda tudo de anúncios.

Confira!

Importância dos anúncios pagos para os negócios!

Uma das principais estratégias de marketing digital com potencial de retorno e ótimas possibilidades de obter resultados mais rápidos para negócios de todos os nichos é a utilização de campanhas na internet através de mídias pagas e anúncios online.

Isso porque, anunciar na internet – seja no Google (por meio do Google Ads) ou nas redes sociais (utilizando o Facebook Ads – que também inclui o Instagram Ads) – permite segmentar uma campanha para o público exato a qual se deseja atingir. As diversas ferramentas utilizadas em uma campanha de mídia paga oferecem dados como perfil, preferências, comportamentos online e pesquisas que um lead realiza.

Assim, a estratégia de anúncios no marketing digital possibilita divulgar produtos e serviços para um público que tem, possivelmente, mais interesse em adquirir o que a empresa oferece. A aleatoriedade aqui não tem vez. Todas as ações de marketing são tomadas para atingir quem realmente se interessa pelo que você oferece, em menos tempo e com mais precisão.

Essa maior rapidez de resultado é obtida por que uma estratégia de anúncios é baseada na análise de diversas métricas (como CAC, ROI, CTR, CPC) que são obtidas quase que instantaneamente. Dessa forma, é possível saber se as campanhas estão realmente trazendo os resultados desejados, descartando ou ajustando aquilo que deu errado para focar e investir nas ações que trouxeram bons resultados.

Seja qual for o objetivo da empresa – aumento de alcance e reconhecimento de marca, gerar mais tráfego para o site, crescer o número de conversão de leads ou fechar mais negócios e aumentar as vendas -, utilizar mídia paga e anúncios online é fundamental para uma estratégia robusta e certeira de marketing digital.

Veja também: Google Ads Para Médicos

Veja também: Flywheel Marketing: um guia completo!

Principais termos para entender de anúncios

1. Anúncio ou Mídia Paga?

Mídia paga, como o próprio nome sugere, é toda comunicação na qual há investimento financeiro para que a marca apareça em um espaço online ou offline. Resumindo, são anúncios pagos que promovem uma empresa, produto ou serviço. Assim, os termos ‘anúncio’ e ‘mídia paga’, no marketing digital, são sinônimos. Investir em mídia paga é fundamental para gerar mais visibilidade ao negócio, assim como aumentar o número de leads, engajamento e vendas.

2. Criativos

Criativo é o termo utilizado por profissionais de marketing para se referir aos anúncios veiculados aos usuários na internet, seja na web ou em um aplicativo. Esses peças de anúncios podem ser apresentados em forma de imagem, vídeo e áudio, entre outros.

3. Métricas

As métricas no marketing digital são um conjunto de dados utilizados para mensurar os resultados de ações e campanhas implementadas pela equipe de marketing. São fundamentais para a empresa obter clareza sobre os planos que serão implementados, entendendo assim o que funciona ou não, a fim de otimizar as estratégias.

Algumas das principais métricas utilizadas são: ROI (Retorno Sobre Investimento), CVR (Taxa de Conversão), Taxa de Rejeição, CPC (Custo por Clique), CPM (Custo por Mil), CTR (Click Through Rate/Taxa de Cliques) e CPL (Custo por Lead). 

4. Landing Pages

Landing Pages são páginas que têm como principal objetivo a conversão de leads. Também conhecidas como ‘páginas de captura’, as landing pages são mais simples que as páginas principais, já que são focadas em poucos elementos, para evitar distrações e cumprir seu objetivo de converter o lead.

5. Gerenciador de anúncios do Facebook

O gerenciador de anúncios do Facebook é uma plataforma disponibilizada pela empresa de mídia social que permite a criação e o gerenciamento de posts para as redes sociais da marca, como Facebook e Instagram. É possível criar tanto publicações orgânicas quanto pagas. Além disso, o Gerenciador permite agendar posts, segmentar audiência, estipular o prazo de veiculação de um anúncio e o orçamento que cada campanha receberá.

Saiba mais: Como fazer anúncios no Instagram?

6. Campanhas

Uma campanha, no marketing digital, é a utilização de diversas estratégias online que visam promover uma empresa, serviço, produto ou marca. Pode incluir ações pagas ou não pagas e sempre estão direcionadas a um público-alvo específico. Também são veiculadas em diferentes canais, tanto online quanto offline.

7. Taxa de conversão

Taxa de conversão é uma métrica fundamental em campanhas de marketing digital, já que é utilizada para determinar a quantidade de visitantes de um site que, de fato, interagiu ou tomou alguma ação específica com o conteúdo disponibilizado. Ou seja, quantos usuários preencheram um formulário, deixaram seus dados em uma landing page para baixar algo ou se inscreveram na newsletter da empresa. 

Assim, a taxa de conversão mede quantas pessoas passaram de uma etapa do funil para outra – de visitantes para leads e de leads para clientes.

Leia também: 5 erros comuns em anúncios do Facebook e como corrigi-los

>>>> Veja também: O que é algoritmo na internet? Como são usados nas redes sociais?

8. ROI (Retorno Sobre Investimento)

O ROI é a sigla em inglês para “Return On Investment”, que em protuguês significa Retorno Sobre Investimentos. Essa é uma ferramenta fundamental na estratégia de Inbound Marketing, já que calcula todos os custos envolvidos no investimento de uma campanha de marketing para saber se está havendo lucro ou prejuízo.

9. Leads e segmentação de leads

Lead é um termo de marketing que identifica todo aquele que forneceu informações de contato (nome, email, telefone, entre outros) com o objetivo de receber algum conteúdo de valor do site. Os leads podem vir através do blog, landing pages, assinatura de newsletter ou formulário de pesquisa.

Já a segmentação é uma espécie de filtro que separa os leads em grupos específicos, a fim de se comunicar com cada um desses grupos de forma mais assertiva. Assim, é possível separar os leads que podem se tornar clientes daqueles que não estão interessados no produto ou serviço ofertado.

10. Fluxo de automação

Um fluxo de automação utiliza ferramentas tecnológicas para executar determinadas tarefas em sequência e de forma automática, baseando-se na configuração de certos comportamentos e gatilhos. O fluxo de automação acontece, por exemplo, quando alguém fecha a página de um e-commerce sem finalizar a compra e um e-mail é enviado automaticamente para a pessoa, avisando que ela se esqueceu de terminar o processo.

Assim, é possível aumentar a eficiência e escalabilidade das ações, favorecendo o crescimento das vendas e o relacionamento personalizado com os leads.

11. KPI

KPI vem da sigla em inglês para ‘Key Performance Indicator’, que significa Indicador-Chave de Performance, que são formas de avaliar se o desempenho de uma ação ou um conjunto delas está contribuindo para os resultados e objetivos propostos pela organização. Diversos indicadores podem ser medidos, como custo de aquisição de cliente, leads, taxa de conversão, assinantes do blog e número de visitas.

12. Tráfego pago

Tráfego são todas as visitas que você recebe em seus canais digitais (site, blog, redes sociais), independente da finalidade. Já o tráfego pago é quando paga-se às plataformas (Google, Facebook, Instagram) para que o conteúdo ou a página sejam exibidas para um número maior de pessoas.

Leia também: Instagram Ads: como funciona?

13. Links patrocinados

Links patrocinados são anúncios em forma de texto simples que aparecem em destaque entre os resultados de busca. Em sua maioria, ficam localizados no topo das páginas de busca quando o usuário faz uma pesquisa, e vem com a identificação de que se trata de um anúncio. Essa é uma estratégia muito utilizada atualmente com o objetivo de gerar tráfego para sites.

14. Teste A/B

O teste A/B é um teste de comparação de variáveis muito conhecido e utilizado no marketing digital. O objetivo dele é descobrir qual das variáveis comparadas possui a melhor resposta. O teste A/B pode ser usado, por exemplo, para analisar assuntos diferentes em um e-mail, comparar as cores de um botão contato no site (azul ou vermelho?) e qual formato de landing page geraria mais conversões. 

15. Remarketing

O remarketing é uma estratégia de marketing digital que consiste em fazer marketing novamente para a mesma pessoa. Você provavelmente já se deparou com o remarketing ao pesquisar um produto em um site e depois, ao entrar em suas redes sociais, encontrar um anúncio daquele mesmo produto. 

Partindo-se do pressuposto que dificilmente um consumidor realiza a compra na primeira pesquisa, o principal objetivo do remarketing é aumentar as conversões e as vendas.

16. Display do Google

A rede de display do Google consiste em milhões de sites parceiros da gigante das buscas que se associam para receber publicidade paga por meio do Google Ads. Com a rede de display do Google é possível segmentar um anúncio de acordo com o público que se pretende atingir, qualificando assim a captação de leads.

Saiba mais: Anúncios Google Ads: Dicas de como otimizar suas campanhas corretamente

17. CPC e CPL

CPC é a sigla para Custo Por Clique. Essa é uma das métricas de desempenho mais importantes no marketing digital, já que calcula quantas vezes um conteúdo foi clicado no site. Com o CPC, é possível mensurar o custo das campanhas online no Google Ads, afinal, o pagamento dos anúncios é feito conforme o número de cliques que ele recebe.

Já o CPL significa Custo Por Lead e é uma métrica utilizada para calcular o valor que foi gasto para cada lead conquistado durante uma campanha de marketing. O principal objetivo do CPL é mostrar se a estratégia de marketing está sendo vantajosa financeiramente ou deve ser modificada.

18. Google Ads

Google Ads (antigo Google Adwords) é a plataforma de anúncios do Google e maior ferramenta de links patrocinados da internet. Utilizar o Google Ads permite que a empresa tenha total controle sobre o orçamento destinado aos anúncios e a forma que será feita a cobrança, seja por clique (CPC), visualizações (CPM) ou resultados (CPA). 

Uma das principais vantagens da plataforma é fazer com que o anúncio seja exibido no momento certo, quando o usuário procura aquilo que o negócio oferece.

Aproveite o poder dos anúncios com a Eixo Digital!

Vimos, no artigo acima, 18 termos essenciais de marketing digital quando o assunto é anúncios online e mídia paga. Da mesma forma, pudemos observar que a estratégia de anúncios é de grande importância para o crescimento de negócios, seja qual for o objetivo pretendido, como aumentar o reconhecimento da marca, melhorar a conversão de leads ou crescer o número de vendas.

No entanto, a verdade é que dar conta disso tudo sozinho – ou mesmo com a ajuda de pessoas com pouca experiência nestas técnicas – é praticamente impossível. Isso porque são inúmeras variáveis que precisam ser analisadas e métricas que necessitam de avaliação diária, além de tantas outras atividades fundamentais que envolvem a gestão de anúncios de uma empresa.

Por isso, se você deseja aproveitar o máximo que os anúncios podem oferecer ao seu negócio, ou até mesmo se já adota essa estratégia em sua empresa mas precisa melhorar seus resultados, conte com a experiência da Eixo Digital, já testada e comprovada por dezenas de outras empresas. Somos especialistas em inbound marketing, e podemos te ajudar a obter resultados expressivos com uma estratégia robusta de anúncios.

Fale com um de nossos especialistas!

20 termos de marketing digital para entender tudo de Inbound Marketing!

O termo “inbound marketing” – traduzido como “marketing de entrada” ou “marketing de atração” – surgiu em 2006 e revolucionou a maneira como é tratada a estratégia de marketing de uma empresa.

Antes do inbound, o marketing chamado tradicional consistia em realizar ações de forma intrusiva, simplesmente se intrometendo nas atividades do lead para oferecer produtos e vender serviços. No entanto, esse novo conceito trouxe um formato diferente de comunicação com o público.

Agora, o objetivo das ações e estratégias de marketing é atrair os clientes através do oferecimento de conteúdos relevantes e valiosos para ele. Assim, a empresa aumenta sua autoridade no nicho em que trabalha, e naturalmente o cliente passa a se interessar pelos serviços ou produtos oferecidos.

Se você ainda não compreende como essa abordagem funciona, preparamos este artigo com 20 termos de marketing digital para que você entenda tudo de inbound marketing.

Confira!

A importância do Inbound Marketing para negócios!

O conceito de Inbound Marketing nem sempre é fácil de se definir. Chamado por alguns de ‘marketing de entrada’ ou ‘marketing de atração’, podemos dizer que Inbound Marketing é toda e qualquer tática de marketing que se baseia em ganhar o interesse das pessoas ao invés de comprá-lo.

Diferente do marketing tradicional, onde a marca vai atrás do cliente, geralmente de forma intrusiva e quando ele, muitas vezes, não está preparado para a compra, uma estratégia de Inbound marketing visa fazer com que os clientes cheguem naturalmente à marca, atraindo sua atenção através conteúdos relevantes e valiosos, de maneira adequada, assertiva e útil.

Veja também: Google Ads Para Médicos

Hoje em dia, com o domínio cada vez maior do digital em relação ao comportamento dos consumidores, investir em Inbound Marketing se mostra fundamental para o crescimento de empresas de todos os nichos. Algumas das principais vantagens dessa técnica para negócios são:

  • Atrair mais clientes: Uma das principais estratégias do Inbound Marketing é a produção de bons conteúdos, úteis e educativos, que atrairão aqueles que têm dúvidas e desejam solucionar um determinado problema. Com a utilização das técnicas corretas, a empresa pode aumentar a presença online e potencializar sua autoridade no ramo, atraindo assim mais clientes.
  • Menor custo para execução: Outro pilar do inbound marketing é o SEO, técnica que busca posicionar uma página entre as primeiras posições em mecanismos de buscas e pesquisas, como o Google. Uma vez que esse objetivo é alcançado, o site passa a receber tráfego orgânico, diminuindo assim os custos da execução do plano de marketing.

Você deseja aplicar as estratégias de inbound marketing em seu negócio? Baixe aqui nosso guia completo e aprenda a utilizar essa metodologia

Termos para entender de Inbound Marketing

1 – Inbound Marketing

O Inbound Marketing é um conjunto de estratégias de marketing que visam atrair, conquistar e converter clientes por meio de conteúdos relevantes, com o objetivo de criar um relacionamento duradouro com o público-alvo. Para isso, o Inbound Marketing faz uso do marketing de conteúdo, SEO e estratégia de redes sociais para desenvolver seus canais online.

2 – Estratégia de Blogs

Blog é uma das principais ferramentas de uma estratégia de inbound Marketing. Funciona como uma espécie de diário, onde a empresa oferece ao leitor conteúdos relevantes e de qualidade, de acordo com seu segmento. Através do blog, é possível melhorar o posicionamento de uma marca, aumentar sua autoridade e criar um relacionamento mais próximo com potenciais clientes.

Leia também:

Inbound marketing: um guia de conteúdo para montar o seu plano!

Flywheel Marketing: um guia completo!

3 – Plataformas de Redes Sociais

As plataformas de redes sociais nada mais são que os softwares e aplicações que estão disponíveis na internet. Dessa forma, tudo que acessamos online pode ser chamado de plataforma, seja um site, aplicativo, e-commerce e Internet Banking, assim como as próprias redes, como Facebook, Instagram, Twitter, TikTok, etc.

4 – Jornada de Compras

Jornada de compra é um modelo utilizado para entender qual o caminho que um potencial cliente se encontra antes de decidir realizar uma compra de produto ou solução. Geralmente é dividida em quatro etapas: “aprendizado e descoberta”, “reconhecimento do problema”, “consideração da solução” e “decisão de compra”. Alguns estudiosos de marketing ainda acrescentam uma quinta etapa, que é a “avaliação pós-compra”.

5 – Funil de Vendas

O funil de vendas é um conceito que busca representar o momento que um cliente se encontra dentro da jornada entre descobrir um produto/serviço e comprá-lo. Geralmente, é dividido em três etapas: topo de funil (aprendizado e descoberta), meio de funil (reconhecimento do problema e consideração da solução) e fundo de funil (decisão de compra). Criar um funil de vendas é fundamental para acompanhar e tornar o processo de vendas mais previsível e escalável.

6 – ROI (Retorno Sobre Investimentos)

O ROI é a sigla em inglês para “Return On Investment”, que em protuguês significa Retorno Sobre Investimentos. Essa é uma ferramenta fundamental na estratégia de Inbound Marketing, já que calcula todos os custos envolvidos no investimento de uma campanha de marketing para saber se está havendo lucro ou prejuízo. 

7 – Leads e leads qualificados

Lead é um termo de marketing que identifica todo aquele que forneceu informações de contato (nome, email, telefone, entre outros) com o objetivo de receber algum conteúdo de valor do site. Os leads podem vir através do blog, landing pages, assinatura de newsletter ou formulário de pesquisa. Um lead se torna qualificado quando demonstra interesse pela instituição ao responder uma determinada pesquisa, baixar algum conteúdo ou abrir e-mails específicos.

Leia também:

Inbound marketing: exemplos e estratégias atualizadas [2022]

8 – WordPress

O WordPress é a principal ferramenta utilizada para a criação de sites e blogs. Considerado o CMS (Content Management System) ou Sistema de Gerenciamento de Conteúdo mais popular que existe, o WordPress é gratuito e tem a função de facilitar a criação e edição de conteúdos em um site sem a necessidade de utilizar linguagem de programação.

9 – Newsletter e E-mail Marketing

Newsletter é uma estratégia de marketing digital que utiliza o e-mail com objetivo de criar e manter relacionamento com leads, através de conteúdos que sejam do interesse do público-alvo. Já uma campanha de e-mail marketing é importante para promover conteúdos, educar seus leads, gerar venda e realizar o pós-venda.

10 – Automação de Marketing

Automação de marketing é o uso de ferramentas tecnológicas que permitem automatizar diversas tarefas e processos de marketing, como enviar e-mails assim que um usuário preenche um formulário ou baixa um conteúdo. Assim, é possível aumentar a eficiência e escalabilidade das ações, favorecendo o crescimento das vendas e o relacionamento personalizado dos leads.

11 – CRM

CRM é a sigla em inglês de “Customer Relationship Management” (Gestão de Relacionamento com o Cliente). Como o próprio nome indica, o CRM é uma ferramenta que armazena e organiza informações tanto de clientes atuais quanto potenciais, como nome, endereço, telefone, e-mail, visitas ao site, entre outras ações. Ao utilizar um CRM, é possível realizar abordagens mais certeiras com o leads, já que o histórico de suas atividades está armazenado na ferramenta.

12 – Palavra-chave

As palavras-chave são termos que possuem uma ou mais palavras e resumem o assunto tratado em um conteúdo ou artigo. Sendo o principal instrumento de pesquisa de um usuário no Google, a definição da palavra-chave para uma certa página mostra aos motores de busca que seu conteúdo trata daquele determinado assunto.

13 – SEO

SEO é a sigla em inglês para Search Engine Optimization (otimização de motores de busca). Fundamental para a estratégia de blogs de qualquer tipo de negócio, o SEO é um conjunto de técnicas que visam melhorar a posição de uma página no Google ou qualquer outro buscador, gerando tráfego orgânico e autoridade para o site.

14 – Ranqueamento

Assim como o próprio nome diz, ranqueamento é o ranking de sites em motores de busca como o Google. Quanto melhor uma página estiver ranqueada, mais ela será visitada e receberá tráfego orgânico. A principal maneira de atingir um bom ranqueamento é através da aplicação correta de técnicas de SEO.

15 – Landing Pages

Landing Pages são páginas que têm como principal objetivo a conversão de leads. Também conhecidas como ‘páginas de captura’, as landing pages são mais simples que as páginas principais, já que são focadas em poucos elementos, para evitar distrações e cumprir seu objetivo de converter o lead.

16 – CTA

CTA é a sigla em inglês para Call To Action (Chamada para ação). Essa chamada, que pode vir em forma de texto, link ou botão, tem por objetivo provocar uma ação imediata dos visitantes de um site, como “inscreva-se na nossa newsletter”, “baixe agora nosso ebook” ou “não perca nossa oferta”, etc.

17 – Marketing de Conteúdo

Marketing de conteúdo é uma estratégia de marketing focada na criação, produção e distribuição de conteúdo relevante e valioso para o público-alvo. Feito por meio de textos, vídeos, ebooks, entre outros, o marketing de conteúdo não visa a promoção da marca, mas sim trazer benefícios para quem consome, como a solução de problemas e esclarecimento de dúvidas.

18 – Persona

A Persona é uma representação semi-fictícia do público-alvo ideal de uma empresa, baseado em dados e comportamentos reais coletados em pesquisa. O objetivo da persona é alinhar as principais características do cliente a fim de traçar estratégias de marketing eficientes para atendê-lo.

19 – Tráfego Orgânico

Tráfego orgânico é todas as visitas que você recebe em seus canais digitais (site, blog, redes sociais) de forma espontânea, ou seja, sem a necessidade de utilizar anúncios pagos. Na maioria das vezes, esse tipo de tráfego vem de mecanismos de busca, como o Google. Uma boa estratégia de redes sociais também é fonte importante de tráfego orgânico, já que o conteúdo divulgado nessas plataformas levam o usuário diretamente para seu site.

20 – Conteúdo Evergreen

Conteúdo Evergreen é um tipo de material otimizado para SEO que trata de assuntos atemporais, ou seja, que continua relevante e atualizado por muito tempo depois de sua publicação. É fundamental em uma estratégia de marketing de conteúdo, já que apresenta níveis constantes de interesse, aumentando o tráfego de acessos com o tempo.

>>>> Veja também: O que é algoritmo na internet? Como são usados nas redes sociais?

Aproveito o máximo do poder do Inbound Marketing com a Eixo Digital

Com esses 20 termos de marketing digital que apresentamos no artigo, você já possui uma boa base para entender melhor como uma estratégia de inbound marketing é fundamental para o crescimento de negócios de diferentes nichos.

E, se você deseja aproveitar o máximo que o inbound marketing pode oferecer ao seu negócio, ou até mesmo se já adota essa estratégia em sua empresa mas precisa melhorar seus resultados, conte com a experiência da Eixo Digital, já testada e comprovada por dezenas de outras empresas. Somos especialistas em inbound marketing, e podemos te ajudar a obter resultados expressivos com uma estratégia robusta.

Fale com um de nossos especialistas!

Guia de SEO local: tudo o que você precisa saber

O SEO local revolucionou a maneira como compramos produtos e serviços. Antes, para se conhecer todos os comerciantes e prestadores de serviço da vizinhança, era preciso andar pelas ruas, observar as placas, receber os velhos panfletos pelo trânsito.

Hoje todo mundo tem em mãos um celular com GPS e a maior ferramenta de busca do mundo: o Google.

Basta uma pesquisa rápida que você consegue escolher um restaurante, barbearia ou qualquer outra utilidade e calcular o tempo e distância que se encontra do seu objeto de busca.

O responsável por isso, o SEO local, facilita a vida do usuário, possibilita que o seu negócio ganhe visibilidade  e aumente seu nome no mercado, trazendo mais clientes.

Se você ainda não usa esse fantástico recurso do Google na sua empresa, se liga nesse guia que vai trazer todas as informações para você levar mais clientes para seu negócio!

SEO local: o que é?

SEO é a sigla em inglês para Search Engine Optimization, que significa a otimização de mecanismos de buscas na internet. E o termo “local” está associado ao alcance de ser encontrado dentro de uma determinada região.

Existem muitas ferramentas que possibilitam essa estratégia de ser encontrado em sites de pesquisa, mas, em geral, custam caro e oferecem o que você pode encontrar de forma gratuita e de fácil gerenciamento no próprio Google.

SEO local é um meio de utilizar a geolocalização de uma empresa de forma segmentada para que o público chegue mais rapidamente até você para fechar negócio. Estar nos primeiros resultados da pesquisa num site como o Google, também faz com que sua marca tenha maior confiabilidade e reconhecimento.

Guia definitivo do Pinterest: domine e impulsione seu marketing!

Estratégia de SEO para otimizar o seu site

Palavras-chave para SEO local

Quando as pessoas procuram alguma coisa num site de busca, eles trazem uma intenção. Seja fazer uma pesquisa para escola, agendar uma consulta médica, ou comprar um produto.

Ao digitar uma palavra a ser pesquisada, a ferramenta vai buscar aqueles negócios em que esse termo é mais caracterizado. Ou seja, as palavras-chave direcionam o SEO local a mostrar os negócios que podem responder ao desejo do usuário de forma mais prática e rápida.

Existem algumas formas bem eficientes de inserir essas palavras-chave e conseguir se posicionar melhor do que seus concorrentes, olha só:

1. No nome da empresa

Coloque a palavra que caracteriza seu negócio no nome do estabelecimento, e isso vai criar uma associação mais rápida pelo Google.

2. No site da sua empresa

Mencionar esses termos no seu site, seja relacionado a serviços ou produtos, faz com que essa expressão seja notada e selecionada pelo site de busca.

3. Nos produtos e serviços

Dentro do painel do Google Meu Negócio, é fundamental descrever seus produtos e serviços “carro-chefes”, aqueles dos quais você pretende atrair mais clientes e aumentar o número de vendas.

O uso de palavras-chave, não é uma garantia que o Google vai conseguir lhe encontrar e ranquear bem o seu serviço, mas sem dúvida é uma mais eficientes estratégias para um melhor posicionamento de busca. Mas existem outros fatores que também merecem atenção no melhor ranqueamento. 

Saiba mais

Google Meu Negócio para clínicas: aprenda a gerenciar a ferramenta para atrair mais pacientes

Ranqueamento para SEO local

Estar nas primeiras opções de busca num site como o Google significa que esses negócios recebem uma maior quantidade de visitas em suas páginas.

Para conseguir estar mais fácil de garantir um clique na sua empresa as dicas são simples:

  1. Preencha a categoria do seu negócio;
  1. Tenha a palavra-chave associada ao seu nome, caso sua empresa não tenha essa palavra-chave, muito cuidado com as políticas internas do Google para não ter sua conta banida. Então, fica a dica de ouro de já construir a sua empresa com o nome que se associe ao seu produto e serviço;
  1. Defina bem o seu endereço no Google;
  1. Solicite aos seus clientes para eles fazerem comentários sobre a sua empresa ou serviço, mesmo que não intencionalmente, esses comentários geralmente carregam as palavras-chave do seu negócio a ferramenta irá perceber isso;
  1. Preencha as categorias secundárias do Google meu Negócio, que representem de fato os seus produtos e serviços.

E uma dica de ouro que vai como bônus é a seguinte: use as etiquetas ou tags para relacionar seu produto e serviço e melhor se posicionar no SEO local.

Baixe gratuitamente nosso ebook, neste link ou na imagem abaixo, e aprenda o passo a passo para otimizar seu site com técnicas de SEO e alcançar o topo do Google:

Case de sucesso de SEO: a Clínica Viver aumentou os visitantes orgânicos do seu site em 1.408% e os pedidos de agendamento em 278%. Clique aqui e veja como a Clínica alcançou esse resultado!

SEO para site de negócios locais

Algumas dicas essenciais para garantir que seu negócio seja encontrado pelas pessoas que estão próximas.

1. Produza conteúdo relevante

Você pode criar um blog e publicar artigos com temas que sejam interessantes para seu público, principalmente sobre suas dores, necessidades e interesses. A frequência precisa ser semanal ou, no mínimo, quinzenal, para que o Google atribua uma boa nota ao site e comece a mostrá-lo nas pesquisas. 

Exemplos de temas interessantes:

  • Notícias e acontecimentos locais que tragam informações úteis à sua audiência;
  • Entrevistas com especialistas locais 
  • Cobertura de eventos no bairro que sua empresa patrocinou

2. Incentive as avaliações de clientes

O ideal é sempre prestar um ótimo serviço e cultivar um bom relacionamento com os clientes. Assim, vai fidelizá-los e as avaliações virão naturalmente. Mas, não custa dar uma forcinha, certo?! Até porque, frequentemente, as pessoas podem adorar seu trabalho e esquecer de avaliar. 

Portanto, incentive seus clientes a postarem as impressões que tiveram sobre o atendimento recebido e os produtos ou serviços que compraram. Essa pequena ação pode multiplicar as avaliações e alavancar sua credibilidade. 

3. Faça parcerias para ganhar citações 

Outra ação estratégica que pode melhorar seu ranqueamento é ter seu negócio citado e o link do site inserido em outros sites locais, mostrando que sua empresa é uma referência para o bairro.

Alguns locais que podem ser bons parceiros: site de fornecedores, de empresas vizinhas do bairro e portais de notícias locais.

A importância do Google Meu Negócio

Está mais que consolidado, de que o Google é a principal plataforma de buscas entre os usuários que querem encontrar um produto ou serviço, seja ele físico ou virtual.

A grande sacada é que para estabelecimentos locais, o Google evidencia aqueles negócios que geograficamente estão mais próximos do usuário.

Essa ferramenta é gratuita e gera grandes resultados orgânicos para os empreendedores.

O Google Meu Negócio, ou Google My Business, é uma plataforma que tem como maior objetivo o de aproximar os usuários de negócios locais, trazendo para eles o máximo de informação e credibilidade sobre os empreendimentos da região.

Em uma simples busca, essa ferramenta aproxima seu possível cliente, informando desde o endereço, horário de funcionamento, fotos do ambiente, avaliação de outros consumidores e muito mais. E diante de tantos dados fornecidos e verificados, as chances do cliente se sentir mais seguro para fechar negócio com os melhores ranqueados pela plataforma, é muito maior.

Cadastrar seu negócio nessa plataforma, é a maneira mais rápida e barata de ganhar visibilidade e aumentar a presença online do seu negócio. Quanto melhor estiver sua descrição e mais completa for as informações concedidas, as chances de ter seu negócio encontrado, aumentam potencialmente.

A quantidade de cliques está relacionada ao aumento do número de visitas em seu site ou estabelecimento, e esse engajamento  gera consequentemente maior número de vendas.

Gostou? Nós podemos ajudar você a atingir melhores resultados com o seu negócio! Clique no botão abaixo para conversarmos sobre como podemos te ajudar.

QUERO FALAR COM UM ESPECIALISTA DA EIXO

30 termos essenciais do marketing digital para seu negócio!

Cada um dos diversos recursos disponíveis no Marketing Digital são importantes para que empresas de qualquer segmento alcancem os clientes que desejam.

E para usar cada um desses incríveis recursos presentes no marketing digital, é importante conhecê-los e entender de que forma eles podem ser úteis para alavancar os resultados de seu negócio.

Por isso, preparamos este artigo superespecial sobre 30 termos essenciais do Marketing Digital para seu negócio. 

Boa leitura!

Quais são os 30 termos essenciais do marketing digital para seu negócio?

Para gerir bem o seu negócio, é preciso conhecer uma série de termos essenciais do marketing digital. 

Por isso, selecionamos 30 conceitos básicos para você ficar cada vez mais por dentro deste universo. Fique com a gente até o final e boa leitura!

1. Teste A/B

O teste A/B ocorre quando comparamos dois tipos de conteúdo digital para analisar qual traz os melhores resultados. 

Fazemos esse teste para analisar assuntos diferentes num e-mail, cores diferentes para um botão de contato no site, uso de textos (copy) diferentes para uma mesma landing page e entre outros.

2. Marketing B2B 

A sigla B2B significa “Business To Business”, isto é, “de empresa para empresa”. Ela se refere a um modelo de negócios que somente ocorre entre empresas.

Geralmente, no B2B, são negociados alguns produtos ou serviços específicos, como:

  • materiais de escritório;
  • consultorias para empresas;
  • matérias primas para um produto final.

3. Marketing B2C 

O marketing B2C ocorre de maneira diferente do anterior. Esta sigla significa “Business to Consumer”, isto é, “de empresa para consumidor”. Desse modo, há uma pessoa física como cliente final desse modelo de negociação.

Nesse caso, o foco aqui é uma comunicação que se conecte com as necessidades pessoais.

4. Backlink 

Backlink é um dos termos essenciais do Marketing Digital. Ele é literalmente um link que leva de um site para outro.

Isso é interessante para conferir autoridade e relevância de um conteúdo. 

Afinal, o Google, ao observar várias páginas que se referem ao seu site, concluirá que o seu domínio possui alguma força e que, portanto, merece ser bem ranqueado nos motores de busca, sendo ótimo para o SEO.

5. Conhecimento de marca 

“Brand Awareness” ou conhecimento de marca é uma estratégia do Marketing que visa colocar o nome da sua empresa como a mais lembrada por seu público-alvo.

Esse termo representa uma métrica que avalia o quanto uma marca é conhecida do público e por quais valores ela é reconhecida, servindo de guia para as ações branding.

6. Persona 

Persona é uma representação ideal do seu público-alvo, baseada em alguns dados importantes de seu comportamento de consumo.

Com essas informações do seu cliente, você terá em mente uma imagem única do público que quer converter com a sua marca, traçando uma estratégia eficiente de marketing para vender sempre.

7. CTA 

Call-to-Action (ou Chamada à ação), o CTA é uma sigla importante do Marketing Digital. Trata-se de frases ou expressões, em botões ou links, que incentivam o leitor a agir de acordo com os objetivos do seu marketing, como:

  • clique aqui
  • assine nossa newsletter
  • saiba mais e entre outros.

8. Taxa de cliques 

A Taxa de cliques ou simplesmente CTR é uma métrica importante para avaliar a performance de:

  • resultados orgânicos no Google;
  • Anúncios pagos;
  • e-mail marketing.

Essa taxa é calculada pelo número de cliques dividido pelo de visualizações, assim teremos uma noção se esta página está sendo bem visitada ou não.

9. Taxa de conversão 

Assim como a anterior, a taxa de conversão é uma métrica específica para determinar qual parte do seu público visitante de um site realmente interagiu ou tomou alguma ação específica com o seu conteúdo no site.

Isso ocorre quando uma pessoa se cadastra numa landing page para baixar um conteúdo, preenche um formulário, se inscreve na sua newsletter por exemplo.

10. Custo por clique 

O Custo por clique ou CPC é um dos termos essenciais do marketing digital. Isso porque o CPC é uma forma de cálculo para saber quantas vezes um conteúdo do seu site foi clicado. 

Essa métrica é importante para podermos mensurar o custo das campanhas online em plataformas publicitárias como o Google Ads, por exemplo.

Baixe gratuitamente nosso ebook, neste link ou na imagem abaixo, e aprenda o passo a passo para otimizar seu site com técnicas de SEO e alcançar o topo do Google:

11. Marketing de conteúdo

O Marketing de conteúdo nada mais é do que uma estratégia em que consiste em entregar conteúdo relevante para educar um público sobre um certo assunto ou tema específico.

Esse conteúdo é produzido em materiais escritos, como ebooks, artigos, posts, , conteúdos em vídeo (Youtube e vídeos em redes sociais) ou somente áudio (podcasts) por exemplo. 

A finalidade nem é a promoção direta da empresa ou de um produto, mas sim resolver os possíveis problemas do seu cliente, conferindo à marca autoridade no mercado.

12. Custo de aquisição de clientes

Custo de aquisição de clientes, ou CAC, é uma forma de calcular o quanto a sua empresa gasta para ter um cliente. 

Isso é importante para alinhar as estratégias de marketing de acordo com os custos calculados, determinando os valores das campanhas, o CPC, entre outros.

13. Automação de marketing 

Automação de marketing são ferramentas digitais que permitem que certas tarefas sejam feitas de forma automática, como enviar e-mails automaticamente, assim que um usuário preenche um formulário ou baixa um conteúdo.

Tais ferramentas permitem uma escala muito maior de ações, favorecendo o crescimento do retorno e das vendas.

14. Jornada de compra 

A jornada de compra é o caminho que seu cliente percorre até tomar a decisão final da compra. É o processo que leva o consumidor a fechar negócio com a sua empresa.

Mas, para concluí-la, deve entender pontos importantes como saber as necessidades do seu cliente, as principais dúvidas, e como ele percebe que terá seus problemas resolvidos.

Saiba mais

Como construir jornada de compra do seu cliente?

Guia definitivo do Pinterest: domine e impulsione seu marketing!

Flywheel Marketing: um guia completo!

15. Funil de venda 

O Funil de venda é uma estratégia que consiste em levar o seu cliente em potencial para a jornada de compra. Para isso, há três fases do funil: topo, meio e fundo.

Quanto mais perto do fundo, mais próximo estará da compra do produto ou serviço. Portanto a abordagem aqui é fundamental para entender como se comunicar de maneira apropriada com um potencial cliente. 

16. KPIs 

KPIs (do inglês indicadores-chave de performance) são formas de avaliar se o desempenho de uma ação ou um conjunto delas está contribuindo para os resultados propostos pela organização.

Eles podem ser:

  • custo de aquisição de cliente;
  • leads;
  • taxa de conversão;
  • assinantes do blog;
  • número de visitas.

17. Lead e lead qualificado 

Lead é todo aquele que fornece uma informação como nome, telefone, e-mail visando o recebimento de um conteúdo de valor não só do blog da empresa, mas também da própria landing page, ou através de uma assinatura de newsletter ou de um formulário de pesquisa.

Assim, um lead é aquele que demonstrou interesse pela instituição e gostaria de uma aproximação maior com ela. 

Desse modo, ele se torna um lead qualificado quando atende a critérios pré-determinados pelo marketing da empresa. 

Isso ocorre quando este lead responde uma determinada pesquisa, baixa conteúdos e abre e-mails específicos, demonstrando mais interesse na empresa.

18. Segmentação 

A segmentação é um dos termos essenciais do marketing digital. Isso porque é uma forma de separar em grupos específicos sua base de contatos, visando ter uma comunicação mais assertiva com cada grupo, respeitando os diferentes momentos de cada cliente.

Isso é importante para traçar um perfil mais exato de quem consome o produto ou serviço, estabelecendo assim uma persona mais próxima da realidade.

19. Tráfego pago 

Tráfego é todo fluxo de pessoas que visitam o seu site ou o seu conteúdo na internet, independentemente da finalidade. Isso é importante para a sobrevivência das campanhas no meio digital. Sem tráfego, não há visitas nem vendas.

Tráfego pago é quando pagamos às plataformas (Google, Instagram, Facebook, YouTube) para mostrar nossos conteúdos para mais pessoas.

20. Automação de e-mail 

Lembra-se do conceito de automação de marketing? Então, o termo automação de e-mail é bastante próximo dele, que é uma forma de automatizar ações nos envios de e-mails. 

Com isso, haverá redução de trabalho manual, visando aumento da produtividade do conteúdo, sendo mais disparada para os leads.

Neste outro ebook completo e gratuito, você tem acesso a um planejamento anual de Inbound para sua estratégia digital. Baixe neste link ou clicando na imagem:

21. Google Meu Negócio 

Google Meu Negócio ou Google My Business é uma plataforma gratuita, disponibilizada pelo Google, em que qualquer negócio físico pode fazer a divulgação de sua marca e ser encontrado nos resultados do buscador.

Por meio dessa plataforma, as empresas ganham mais visibilidade, especialmente para clientes de sua área geográfica, divulgando informações importantes, como telefone de contato, horário de funcionamento, endereço, entre outros.

22. Palavras-chave 

Palavras-chave são os termos usados frequentemente pelas pessoas ao buscarem algo no Google. Esses termos são mapeados e usados nas ações de marketing para que os conteúdos das empresas apareçam quando alguém buscar por essas palavras-chave.

23. Landing Page 

Landing Page é toda página cujo objetivo é converter um lead. Aqui, não importa o material. Seja ele gratuito, seja ele pago, a meta é oferecer um conteúdo valoroso ao leitor, de forma que ele se interesse e deixe seus dados em troca de baixá-lo.

24. SEO e SEO local 

Search Engine Optimization ou simplesmente SEO é a tradução de otimização para os motores de busca, mas o que é isso?

Podemos dizer que SEO é um conjunto de técnicas que fazem as publicações dos sites alcançarem um certo ranking de acordo com alguns parâmetros importantes para o Google, que é um motor de busca. 

Nesse caso, quanto melhor usar as técnicas de SEO para um texto, mais bem posicionado e visível estará para o público. Entende?

Além disso, há o SEO local que funciona do mesmo jeito, porém com algumas estratégias a mais para destacar um empreendimento no local onde ele está inserido, se tornando uma referência na região.

25. Conteúdo orgânico 

Conteúdo orgânico é aquele gerado sem a necessidade de um pagamento a uma plataforma, como o Google. O tráfego neste tipo de conteúdo é gerado somente pela interação dos leitores, de maneira natural, orgânica. Daí o nome.

26. Ranqueamento 

Ranqueamento, em marketing digital, diz respeito à posição que seus conteúdos ou seu site ocupam nos resultados do Google. E quanto mais bem ranqueado, mais pessoas vão conhecer sua marca e, eventualmente, se tornarem clientes.

27. Inbound Marketing 

Inbound Marketing é um conjunto de técnicas aplicadas por meio do Marketing de Conteúdo e SEO para atrair a atenção de um público e conquistá-lo, fomentando uma relação duradoura entre empresa e cliente.

Pode-se dizer que é uma forma de comunicação mais atrativa para os clientes que chegam de maneira espontânea até a sua marca e se tornam não só consumidores, mas também embaixadores dela.

28. LVT (lifetime value) 

Lifetime value ou LVT é traduzido como o “valor vitalício do cliente”, isto é, uma métrica através da qual se estima o retorno que o cliente trará para a empresa durante o tempo de relacionamento que ele terá com a marca.

Essa métrica é uma média do valor gasto por cada cliente, visando determinar uma estimativa dos custos para obter um melhor equilíbrio financeiro na empresa.

29. CRM 

CRM ou Customer Relationship Management é um tipo de software para gestão de informações de clientes, por meio do qual a empresa armazena e organiza dados de leads, como nome, endereço, telefone, quantas visitas foram feitas ao site, entre outras ações.

Com isso, sua empresa consegue abordagens mais certeiras com os leads, uma vez que já possuem o histórico deles armazenados na ferramenta de CRM, visando, assim, um relacionamento mais duradouro e assertivo com cada cliente.

30. ROI

ROI é a sigla para “Return On Investiment”, que em bom português é retorno sobre investimento, isto é, uma ferramenta através da qual o analista de marketing observa se está havendo lucro ou prejuízo nas campanhas.

Ele é definido através de um cálculo que lida com todos os custos envolvidos no investimento da campanha. Isso você pode ver mais neste texto, no qual explicamos também sobre 5 práticas para obter um melhor ROI.

Bom, este texto explicou os 30 termos essenciais do Marketing Digital para seu negócio. 

Agora você pode estar se perguntando como colocar em prática todas essas dicas. Se não tem tempo ou marketing não é sua especialidade, não tem problema. 

A Eixo Digital é uma agência especializada em Marketing Digital e estamos prontos para  trazer resultados concretos para a sua empresa com estratégias testadas e aprovadas nos mais variados segmentos de negócio. 

Clique no link abaixo e conheça um pouco mais sobre as nossas soluções! 

QUERO FALAR COM UM ESPECIALISTA DA EIXO

Como escrever assuntos de e-mail criativos e chamativos para suas campanhas

Como criar assuntos de e-mail que façam as pessoas clicarem em suas campanhas? Essa é a dúvida de 11 em cada 10 empresas que utilizam essa ferramenta para se relacionar com sua base de contatos.  

Segundo a Hubspot, a taxa de abertura de e-mails baseada apenas no assunto chega a 33 por cento, ou seja, vale a pena se dedicar a criar títulos que não podem ser ignorados, certo?!  

No entanto, como se destacar na enxurrada de e-mails que as pessoas recebem diariamente? Como entregar conteúdos de valor, que engajem, fidelizem e facilitem as vendas? 

É exatamente isso que você vai aprender neste artigo. 

Por que o assunto do e-mail é tão importante

Se você quer usar campanhas dentro da sua estratégia de Inbound Marketing, vai precisar encontrar meios de destacar seus assuntos de e-mails para que eles não sejam ignorados, ou pior, acabem na caixa de spam.

Se forem bem escritos, despertando a atenção, serão clicados. Se não, serão ignorados e a sua estratégia de e-mail marketing vai falhar. Para piorar a situação, todos nós recebemos dezenas de e-mails diariamente. 

Por isso, você precisa criar títulos de e-mail que saltem aos olhos da sua audiência, levando ao clique que fará seus leads lerem o conteúdo. Pode parecer óbvio, mas se você não prestar atenção a isso, suas mensagens se perderão no meio de caixas de entrada cada vez mais lotadas de informação. 

Por outro lado, se você conseguir gerar curiosidade e interesse nas pessoas, os benefícios para seu negócio serão enormes: 

  • Maior reconhecimento da marca
  • Relacionamento mais próximo com os leads
  • Otimização de tempo e orçamento
  • Métricas de acompanhamento
  • Maior tráfego para o seu site

No entanto, para conquistar todos esses benefícios, você precisa criar uma boa estratégia de e-mail marketing. E ela começa na criação dos assuntos dos e-mails. É o que veremos a seguir. 

Guia definitivo do Pinterest: domine e impulsione seu marketing!

Boas práticas para assuntos de e-mail

A arte de criar assuntos de e-mail interessantes que deixam as pessoas curiosas o suficiente para clicarem, requer alguns cuidados. São boas práticas que você pode adotar e  que vão ajudar a melhorar suas taxas de abertura. 

Vamos a elas. 

1. Conheça profundamente seu público

Parece óbvio, mas a maioria das empresas não investe tempo para conhecer a fundo as pessoas que querem atrair com suas campanhas. Mesmo que você não queira ou não saiba construir a persona do seu negócio, precisa conhecer as necessidades, desejos e problemas da sua audiência. 

Esse é o caminho mais rápido para criar assuntos de e-mail que levem ao tão desejado clique e às altas taxas de abertura. 

Se já tiver uma base significativa de clientes, peça para responderem uma rápida pesquisa. Algumas perguntas que podem ser feitas, como:

  • Por que você se tornou cliente? 
  • O que o levou a escolher nossa empresa e não um concorrente?
  • Que problemas você precisava resolver? 
  • Como nosso negócio te ajudou a resolver esse problema? 

São apenas sugestões que você pode adaptar para seu modelo de negócio, ok?!

A partir das respostas, você pode traçar um perfil da sua persona (ou buyer persona) e criar assuntos de e-mail baseados nos problemas e necessidades das pessoas. 

Veja também

E-mail marketing para clínicas: funciona? Como usar?

2. Teste sempre 

Outro cuidado é sempre testar novos assuntos de e-mail. Não existe fórmula mágica, nem estratégia que funcione com todos os públicos ou segmentos de mercado. Mesmo conhecendo bem sua persona, você precisa testar e medir os resultados para saber o que funciona melhor para seu público. 

Aliás, essa é uma das grandes vantagens do e-mail marketing. Todas as ferramentas de automação possuem métricas e relatórios com taxas de abertura, taxas de cliques, entre outros dados importantes para você mensurar o sucesso das campanhas.

Baixe gratuitamente nosso ebook, neste link ou na imagem abaixo, e aprenda o passo a passo para otimizar seu site com técnicas de SEO e alcançar o topo do Google:

Veja também: Instagram para médicos: crie a sua estratégia

Diferentes estilos para assuntos de e-mail

Uma maneira efetiva de variar suas campanhas é adotar diferentes estilos de abordagem para os assuntos de e-mail. Assim, você varia os estímulos que envia para sua audiência e têm mais chances de mantê-los engajados, sempre abrindo seus e-mails.

Vamos ver as mais práticas.

  • Engraçados – O humor deve ser usado com cuidado, pois é muito pessoal. Prefira tons leves, que não agridam ninguém.
  • Polêmicos – Também deve ser usado com cautela, mas pode ser um ótimo assunto de e-mail, pois as pessoas gostam de temas fortes.
  • Informativos – Pegue um problema da sua audiência e prometa explicar a causa e como resolver. Costuma funcionar muito bem e pode gerar um senso de gratidão nas pessoas.
  • Teste grátis – Todo mundo adora um presente e você pode usar isso a favor da sua empresa, oferecendo uma degustação do seu produto ou serviço. De quebra, ainda pode aumentar suas vendas.
  • Conteudista – É aquele assunto de e-mail para fazer a pessoa abrir e clicar no link de algum conteúdo estratégico que a levará a um artigo do blog, vídeo no Youtube ou post no Instagram feito para aumentar a consciência sobre seu produto ou serviço.

Agora que você já conhece os estilos, vamos ver alguns exemplos práticos de assuntos de e-mail que podem ser usados nas suas campanhas. 

Neste outro ebook completo e gratuito, você tem acesso a um planejamento anual de Inbound para sua estratégia digital. Baixe neste link ou clicando na imagem:

Bons exemplos de assuntos de e-mail

1. Faça perguntas 

Usar perguntas como assuntos de e-mails é uma estratégia eficiente para fazer o leitor pensar sobre a resposta e querer conhecê-la. O truque aqui é que ele vai tentar responder  mentalmente e ficar instigado a saber o que você colocou no e-mail.

É claro que sua pergunta precisa estar relacionada direta ou indiretamente ao objetivo da campanha. Por exemplo, se sua empresa vende chocolates, um bom assunto de e-mail poderia ser:

  • Você é desses que adora um chocolate depois do almoço?

Essa técnica funciona melhor quando se relaciona a algo simples, que faça parte do dia a dia da sua audiência. Assim, dará mais naturalidade ao e-mail e não subestima a inteligência da pessoa. 

Além disso, no longo prazo ainda traz outros benefícios como entreter e fazê-lo se identificar com suas mensagens.

Veja também

5 métricas de e-mail marketing para você monitorar

2. Ensine como fazer algo

O Youtube cresceu por conta dos vídeos “How to” e as suas campanhas podem se beneficiar dessa estratégia também, visto que as pessoas sempre adoram aprender a fazer coisas novas. 

Não é à toa que usar “Como fazer” nos seus assuntos de e-mail pode gerar ótimos resultados. Veja alguns exemplos: 

  • Como fazer lindos presentes com material reciclado? 
  • Como criar um site de forma simples e prática
  • Como fazer Amigos e Influenciar Pessoas? (essa aposto que você conhece)

O interessante é que estes títulos já mostram exatamente o que você vai aprender abrindo o e-mail. Portanto, esta técnica não foca na curiosidade e sim em ajudar a pessoa com algo que ela precisa saber. 

  1. Use escassez 

Brasileiro adora deixar as coisas para última hora, como vemos todos os anos nas compras de Natal e na entrega do Imposto de Renda. Use isso a seu favor adicionando alguma limitação de tempo ou de quantidade. 

Exemplos: 

50% de desconto: mas você tem apenas 2 dias para aproveitar 

Hoje se encerram as inscrições – garanta sua vaga antes que acabe

Estes assuntos de e-mail são instigantes e ativam o senso de urgência das pessoas. Nós odiamos a sensação que estamos perdendo algo importante, e isso pode fazer com que suas campanhas sejam mais clicadas. 

Bom, agora você pode estar se perguntando como colocar em prática todas essas dicas. Se não tem tempo, ou marketing não é sua especialidade, não tem problema. 

A Eixo Digital é uma agência especializada em Marketing Digital e estamos prontos para  trazer resultados concretos para a sua empresa com estratégias testadas e aprovadas nos mais variados segmentos de negócio. 

Clique no link abaixo e conheça um pouco mais sobre as nossas soluções! 

QUERO FALAR COM UM ESPECIALISTA DA EIXO

SPIN Selling: o que é e como aplicar essa metodologia de vendas?

O SPIN Selling não é novo, mas se baseia em uma prática que ainda é desafiadora para a maioria dos vendedores: escutar o cliente.

Há mais de 30 anos, o psicólogo Neil Rackham desvendou uma grande chave do comportamento humano e mostrou com sua teoria que não há como entregar soluções, se não soubermos ouvir e entender as reais necessidades e desejos dos outros.

Para não cair no achismo, a metodologia SPIN Selling, nasceu de uma grande pesquisa, que durou 12 anos e que obteve dados de 35 mil vendas em mais de 20 países. Como resultado, Rackham revelou por que alguns vendedores têm mais sucesso que outros. 

A resposta está, justamente, em quem faz as melhores perguntas. Continue lendo esse artigo para aprender e adotar essa metodologia atemporal de vendas.

O que é a metodologia SPIN Selling?

Voltada para vendas complexas, essa metodologia se baseia em compreender os clientes, para fazê-los se convencerem de que seu produto ou serviço apresenta um valor para além de suas necessidades mais óbvias.

Para conduzir o cliente à oferta, Neil sugere que as perguntas sejam orientadas e assertivas. A sigla SPIN descreve a base da direção da negociação. As iniciais referem-se a perguntas que abranjam: Situação, Problema, Implicações e Necessidades. 

Falaremos mais detalhamentos das perguntas SPIN ao longo do artigo.

O uso dessa técnica possibilita que o cliente identifique quando um vendedor é mais capacitado. Já quem faz o uso do SPIN Selling consegue surpreender o comprador com informações, dados e perguntas que não subestimam a experiência do cliente em lidar com outros vendedores.

Não se trata de um roteiro inflexível, e sim de uma ferramenta que cria uma trilha de envolvimento, levando o cliente a desejar as transformações que você tem a oferecer.

Nessa metodologia de venda consultiva, o relacionamento entre vendedor e cliente é construído em etapas que vão fazer os problemas do cliente se tornarem mais visíveis e, assim, possibilitar a apresentação das soluções propostas pelo vendedor.

Guia definitivo do Pinterest: domine e impulsione seu marketing!

Quais os 4 tipos de pergunta spin?

O processo de venda é estruturado em quatro etapas distintas, sendo elas:

1. Abertura

Todo processo tem um início, e nessa fase é onde devemos dar os primeiros passos em direção à negociação. 

A aproximação deve ser breve, objetiva e focada no universo do cliente. Para não abrir espaço para objeções precipitadas, as soluções não devem ser oferecidas antes que se tenha um melhor entendimento das dores do futuro cliente. 

É a hora de se mostrar seguro, flexível e adaptável ao contexto, daí esperar o sinal verde para a próxima etapa.

Veja também: Como conseguir avaliações no Google

2. Investigação

Para Rackham, essa é a etapa mais importante da negociação. É aqui que se aplicam as perguntas SPIN, o grande diferencial dessa metodologia.

Quanto melhor for a pergunta, maiores são as chances de se descobrir as necessidades implícitas do cliente. Com uma apuração bem feita, as dores explícitas do cliente se tornam mais abrangentes, e ele vai se aprofundando em suas necessidades a partir da exploração das perguntas do vendedor.

Veja também: Instagram para médicos: crie a sua estratégia

3. Demonstração de Capacidade

Depois de investigar e conhecer bem as urgências do cliente, é chegada a hora de falar sobre as capacidades do seu produto ou serviço. 

Nessa etapa, Hackman desaconselha que o foco esteja sobre as características e vantagens. Você precisa explorar os benefícios que a sua oferta pode trazer.

Quando os benefícios são apresentados de forma personalizada, considerando a persona e o mercado do cliente, o valor agregado ao produto ou serviço se torna mais expressivo que o preço. É quando o cliente passa a desejar essa transformação.

4. Obtenção do compromisso

Um grande diferencial do SPIN Selling é essa nova forma de conduzir o fechamento de uma negociação. Aqui a pressão e a pressa dão lugar à sutileza e à espera pela decisão do cliente. Vendas complexas acontecem de forma processual, passo a passo até a concretização do negócio.

Nesta etapa é esperado que aconteça um avanço nas negociações, que não necessariamente será uma tomada de decisão, mas que levará o acordo a uma etapa com compromisso por parte do cliente, que pode ser uma próxima reunião ou uma experiência com seu serviço e produto, por exemplo.

Baixe gratuitamente nosso ebook, neste link ou na imagem abaixo, e aprenda o passo a passo para otimizar seu site com técnicas de SEO e alcançar o topo do Google:

Como agir em cada fase do SPIN Selling

Quando estamos na fase de abertura, é importante que o vendedor tenha feito a lição de casa, ou seja, ao contrário da época em que a metodologia foi criada, já é possível chegar ao cliente com uma grande quantidade de informações.

Assim, você é capaz de demonstrar conhecimento e afinar as perguntas, despertando o interesse do cliente na fase de investigação.

A fase que requer um olhar mais detalhado é sem dúvida a investigação, cada etapa das perguntas SPIN merecem uma atenção especial. Vamos a elas:

1. Perguntas de situação

São perguntas que já são formuladas a partir da sua pesquisa anterior, mas que vão trazer fatos, dados, informações e históricos de como está o seu cliente no momento. Aqui é preciso surpreender e ter cuidado para não ser repetitivo.

2. Perguntas de problema

O desafio em formular estas perguntas é o de extrapolar as queixas que o cliente trará de maneira explícita. É necessário fazer com que ele perceba que existem outros panos de fundo para suas dores e que as suas perguntas estão revisitando dificuldades implícitas às suas dificuldades e insatisfações.

3. Pergunta de Implicação

Aqui mostramos ao cliente que a raiz do seu problema também apresenta ramificações, e que essas consequências provocam impactos para além do que ele enxergava, antes de você provocar essas reflexões.

4. Pergunta de necessidade

Esta é a hora que você apresenta a solução dos seus produtos ou serviços, de uma forma que o comprador não se sinta influenciado. As necessidades que você pode solucionar é o que vai nortear essas perguntas, que devem ser bastante específicas e evidenciarem a potência de solução que você oferece.

A partir daí, a etapa de demonstração de capacidades flui naturalmente para a descrição das características e vantagens do seu produto ou serviço, mas sempre mantendo o foco nos benefícios. 

Nesta etapa é importante fazer com que o cliente aumente a sua percepção do valor do que está sendo oferecido.

Se a etapa de investigação tiver sido bem-sucedida, é esperado que as etapas de  demonstração de capacidade e obtenção de compromisso corram naturalmente, já que elas dependem do quanto a conversa foi específica e aprofundada sobre a venda.

Neste outro ebook completo e gratuito, você tem acesso a um planejamento anual de Inbound para sua estratégia digital. Baixe neste link ou clicando na imagem:

Vantagens para as empresas usarem SPIN Selling

Apesar de ser uma metodologia com mais de 30 anos, o SPIN Selling se mantém como uma ferramenta que traz toda adaptabilidade que o mercado atual necessita.

Num mundo onde as situações e os problemas estão susceptíveis a grandes variações, escutar e entender os problemas dos clientes ainda é o que nos ajuda a direcionar e ter sucesso nas vendas.

O vendedor que entende bem a metodologia, consegue levar o cliente a perceber não só os problemas atuais dos quais ele traz uma solução, como também a enxergar futuras necessidades. 

Quando uma empresa faz um bom uso dessa metodologia, o cliente consegue ver significado nas implicações e nas soluções de suas necessidades, gerando valor ao produto e serviço oferecido.

Esperamos que este conteúdo seja útil para te ajudar a direcionar sua equipe de vendas ou de atendimento para obterem melhores fechamentos, agendamentos e negócios para sua empresa.

Mas se você quer aproveitar todo o potencial da internet para vender exponencialmente, fale conosco. A Eixo Digital está há mais de 7 anos conseguindo resultados e aumento de receita para empresas de diversos segmentos.

Clique no link abaixo e fale com um de nossos especialistas.

QUERO FALAR COM UM ESPECIALISTA DA EIXO

Gamificação: fazendo o seu marketing mais divertido e interativo!

O que acha de engajar mais seu público-alvo por meio de experiências diferenciadas e, assim, aumentar as chances de turbinar suas vendas? É esse o resultado que aplicar gameficação no seu marketing poderá proporcionar!

Como deve imaginar, a gamificação está relacionada a games e jogos. E não é difícil imaginar o porquê desse recurso ter tanto potencial de resultados quando utilizado no marketing.

Afinal, é provável que o seu público-alvo tenha interesse em jogos. Pois mais de 70% dos brasileiros jogam games eletrônicos. E essa é uma excelente oportunidade para negócios!

Além disso, quando falamos em gamificação, isso não se resume a videogames, mas sim à ideia de trazer elementos desse universo, como pontuação, etapas concluídas e outros fatores que deem essa sensação a seus clientes.

Quer saber mais e ver se isso pode ajudar seu negócio? Então acompanhe o artigo!

Como escrever assuntos de e-mail criativos e chamativos para suas campanhas

O que é gamificação?

A gameficação é a aplicação prática de conceitos, lógicas e elementos de jogos em outros contextos, no caso o marketing.

Dessa forma, é possível usar aspectos típicos de jogos em atividades diferentes, como acrescentar regras, interações, histórias, sistemas de competição e pontuação ao marketing digital.

Com isso, é possível combinar estratégias digitais com recursos lúdicos e criar experiências que surpreendam e estimulem o público.

O resultado? Consumidores e clientes mais engajados e interessados no que a sua empresa tem a oferecer.

👉 Tem interesse em se aprofundar ainda mais em conceitos importantes do marketing? Então, conheça aqui a Pirâmide de Chet Holmes. Ela vai ajudar você a entender melhor se o seu cliente está preparado para comprar ou não.

Exemplos de gamificação no marketing digital

Mas será que aplicar a gamificação no marketing digital traz resultados realmente satisfatórios? Como funciona na prática?

Aqui estão alguns exemplos de cases reais:

1. Microsoft: jogo “Qualidade da Linguagem”

Com o objetivo de garantir que as traduções de seus produtos estejam corretas, a empresa criou o jogo “Qualidade da Linguagem”. Com ele, os usuários podiam se divertir enquanto analisavam telas com traduções propositalmente ruins.

Resultado: a Microsoft conseguiu corrigir e melhorar mais de 500.000 traduções em seus produtos, com a ajuda dos próprios usuários, o que minimiza a existência de erros que podem prejudicar a satisfação de usuários futuros. 

Guia definitivo do Pinterest: domine e impulsione seu marketing!

2. Target: lista de Natal

Para aumentar as vendas de Natal, a empresa criou um jogo em 3D no qual as crianças podiam passear por uma fábrica de brinquedos e escolher alguns deles para formar uma lista de presentes que seria encaminhada para o Papai Noel.

Dessa forma, as crianças interagiam com a marca de forma divertida, e os pais ganhavam uma ajudinha na hora de decidir quais presentes dar para seus filhos no Natal.

Resultado: o jogo atingiu mais de 75 mil downloads em pouco tempo. E, antes do Natal, já contava com mais de 100 mil listas de presentes, com mais de 1,7 milhão de produtos ao todo, que somavam um potencial de venda de mais de 90 milhões de dólares.

3. Grupo JCA: programa de fidelidade “Clube Giro”

Para aumentar a fidelidade de seus clientes, o grupo criou um programa de fidelidade em formato de jogo, chamado “Clube Giro”. No game, os clientes podiam ganhar prêmios de acordo com o seu nível de interação no aplicativo.

Resultado: no primeiro ano de funcionamento da iniciativa, a empresa registrou um aumento de 30% no número de cadastros no aplicativo a cada mês. Além disso, a taxa de interação dentro do aplicativo ficou em torno de 75%.

👉Saiba mais:

Você sabe como fazer Marketing para Aplicativos? Aprenda aqui.

São resultados incríveis, certo? Então, se você quer atingir retornos semelhantes também para a sua empresa, confira abaixo como colocar em prática a gamificação no seu marketing.

Como aplicar uma estratégia de gamificação

1. Tenha consciência dos princípios básicos

Para ter sucesso com a aplicação da gameficação no marketing e colher o potencial máximo de seus resultados, é preciso seguir alguns direcionamentos básicos, como:

  • Estabeleça regras fixas para que os usuários tenham claro o que não devem fazer para prejudicar seus ganhos ou sua experiência.
  • Crie resultados variáveis e mensuráveis. Dessa forma, cada usuário terá uma experiência personalizada e poderá verificar sua própria pontuação.
  • Desenvolva jogos com histórias, jornadas e objetivos claros. Isso envolve ainda mais os usuários no game e potencializa seus resultados.
  • Atente-se para o design, pois jogos com uma interface pobre prejudicam diretamente a experiência do usuário e podem interferir no engajamento.
  • Evite dar escolhas ou decisões prontas para o usuário. Para ter sucesso, é essencial que os jogadores sintam que estão no comando. Sempre ofereça opções para que possam escolher por si próprios, sem nada imposto.
  • Cuidado para não desestimular os usuários com elementos do jogo. Um ranking geral com todos os participantes, por exemplo, pode desestimular se os números ou níveis parecerem muito difíceis de alcançar. Uma boa solução é incluir rankings apenas entre amigos ou contatos que a pessoa conhece.

2. Aplique técnicas de gameficação de forma estratégica

Qual a técnica de gameficação mais adequada para a sua estratégia e para o resultado que deseja alcançar? Aqui vão alguns direcionamentos:

  • Para manter uma boa taxa de retenção e permanência dos usuários no jogo: aposte em histórias e enredos envolventes, com jornadas bem definidas.
  • Para aumentar a satisfação e fazer os usuários executarem uma ação relacionada à marca (como adesão a um produto ou serviço extra com desconto): estabeleça níveis para o jogo.
  • Para atingir resultados e números de sucesso rapidamente: inclua contagens regressivas e prazos no jogo, para gerar senso de urgência e potencializar o engajamento do usuário em um curto período de tempo.
  • Para atingir boas taxas de compartilhamento e indicação: disponibilize um sistema de emblemas e recompensas no jogo. Assim, quando o usuário alcançar algum, terá mais chance de compartilhar em redes sociais ou com amigos.

Veja como criar uma boa estratégia de conteúdo para o seu negócio!

3. Crie jogos que facilitem a jornada de compra do consumidor

Para realmente vender mais com uma estratégia de gamificação, é essencial que ela esteja alinhada com a jornada de compra do consumidor, guiando-o em direção à venda.

Exemplo: imagine que um usuário visita o seu site pela primeira vez. Inclua formas de ele avaliar o conteúdo ou os produtos nas páginas, deixar comentários sobre o que acham.

Para os usuários que completarem essas ações, ofereça uma “caça ao tesouro” de descontos! Dê pistas em forma de pop-ups para que eles encontrem as ofertas.

Depois, para estimular ainda mais a compra, uma boa ideia é incluir FAQs, com perguntas frequentes sobre o processo. E, a cada resposta lida, o usuário aumenta suas chances de desbloquear um frete grátis ou uma demonstração gratuita do serviço, por exemplo.

Isso é interessante pois o momento da decisão da compra é a melhor hora para esclarecer quaisquer dúvidas que o usuário tenha em relação ao produto ou serviço oferecido.

👉 Quer aprender mais sobre a jornada de compra do consumidor e como guiá-lo organicamente até a venda? Baixe gratuitamente nosso Guia Completo do Inbound Marketing!

E aí, gostou das dicas? Se sim, saiba que a Eixo Digital pode fazer muito mais pelo seu negócio e entregar resultados no seu dia a dia, na prática.

Em mais de 7 anos de experiência com Marketing Digital, já  ajudamos diversas empresas e negócios a atingirem resultados surpreendentes. Confira alguns cases de sucesso neste link!

O que acha de conversarmos sobre como podemos potencializar seus resultados também? Clique no botão abaixo e fale com nossa equipe.

QUERO FALAR COM UM ESPECIALISTA DA EIXO