Como analisar e gerar relatório no Google Analytics

O Google Analytics é uma ferramenta essencial para você usar nas suas estratégias de Marketing Digital.

É por meio dele que você pode coletar informações sobre as pessoas que visitam o seu site, como: gênero, faixa etária, localização geográfica, onde eles encontraram a sua página, e quais os seus hábitos e comportamento.

Mas para quem está usando o Google Analytics pela primeira vez, pode ser difícil entender as diversas métricas que ele usa.

Pensando nisso, vamos te explicar como analisar as principais métricas da ferramenta, e como gerar relatórios com base nos dados que ela coleta. Acompanhe!

Entendendo como o Google Analytics é dividido

 

Quando você acessa o Painel inicial da plataforma, você vai perceber que há três grandes grupos que compõem o Google Analytics: Conta, Propriedades e Aplicativos, e Vistas de Propriedade. Vamos, agora, entender cada um deles.

A Conta é o lugar onde você vai criar as propriedades, definir os usuários e até definir as condições de política de privacidade.

O ideal é que você tenha uma conta profissional separada da sua conta pessoal. No caso de agências de publicidade, a ferramenta permite que cada usuário tenha até 100 diferentes contas.

Na parte de Propriedades, por sua vez, é possível criar os sites ou domínios que serão monitorados. Cada conta pode ter até 50 propriedades. É nessa seção que você vai ter acesso ao Código de Acompanhamento para ser indexado às páginas do seu site.

Além disso, aqui você pode definir as URLs a serem monitoradas, e definir alguns parâmetros sobre a coleta de dados que o Analytics vai realizar. É possível também indexar outros serviços à conta, como: Google Adwords, Adsense e Search Console.

Leia também:

As Principais Ferramentas de Marketing Digital

Por fim, as Vistas de Propriedade é o lugar para definir como os dados das propriedades que você definiu, serão visualizados. É aqui que você vai criar metas para seu site, que te ajudarão bastante a converter usuários em leads, com base em ações que você mesmo pode definir.

Agora que você já conhece um pouco sobre essa três grandes seções que compõem o Google Analytics, vamos entender as principais métricas utilizadas pela plataforma. Continue lendo.

Como analisar as principais métricas do Google Analytics

 

Assim que você acessa ao Painel da ferramenta, é apresentado a você alguns gráficos interativos, cada qual representando quatro métricas: Usuários, Sessões, Taxa de Rejeição e Duração da Sessão. Vamos entender cada um deles?

Usuários

 

Usuário é a pessoa que visitou pelo menos uma página do seu site. Lembre-se que a plataforma identifica, por meio de cookies de armazenamento de dados, aqueles visitantes que voltam outras vezes em seu site, definindo-os como usuários únicos.

Sessões

 

As sessões basicamente referem-se ao tempo de permanência do usuário no site, bem como as interações que ele realizou dentro dele.

Uma sessão é contabilizada a cada 30 minutos de uma interação feita pelo usuário (como clicar em links internos dentro da página, por exemplo), ou quando o horário passa da meia noite e a ferramenta considera o novo dia como uma sessão nova.

Taxa de Rejeição

 

A taxa de rejeição é uma métrica que ainda confunde muita gente. Basicamente, você precisa apenas entender que ele mede a rejeição de um usuário ao site com base em uma sessão. Ou seja, ele contabiliza como uma rejeição, aquele usuário que, durante uma sessão, visitou apenas uma página e saiu dela sem realizar qualquer interação.

Duração da sessão

 

Essa métrica também é muito importante, pois mostra o tempo médio da sessão do usuário no site.

No entanto, vale ressaltar: não se trata do tempo em que o usuário fica com o site aberto no navegador. A métrica considera apenas até onde foi realizada a última interação do usuário no site, independente se ele permaneceu com o site aberto e ficou apenas lendo um artigo.

Essas são algumas das principais métricas do Google Analytics. Nos gráficos apresentados no Painel inicial, você pode analisá-los de acordo com períodos de tempo personalizados por você. É possível também personalizá-lo para que ele mostre apenas as métricas que você considerar mais importantes.

Além dessas quatro métricas que mencionamos, a plataforma também apresenta outros gráficos, baseados em outras métricas, como:

  • por onde vieram os usuários da página (por qual canal de tráfego e mídia);
  • os dias e horários em que eles mais visitaram seu site em determinado período;
  • a localização geográfica de onde seus usuários mais acessam sua página;
  • as páginas mais visitadas;
  • os dispositivos pelos quais eles mais acessam (PC, Tablet ou Celular),
  • além de alguns outros.

Nas suas estratégias de marketing, é muito importante acompanhar periodicamente cada uma dessas métricas, para que consiga entender melhor quem visita o seu site, e definir melhor quem é (ou são) as suas personas.

Agora que você entendeu um pouco mais sobre como analisar o Google Analytics, vamos saber como gerar relatório por meio dele. Acompanhe!

Como gerar relatório no Google Analytics

 

Você deve ter percebido que, no canto esquerdo do seu Painel, há a opção de acompanhar relatórios com base em diversas outras medições: tempo real, público, interesses, comportamento, e muitos outros.

A lógica é a mesma: um gráfico intuitivo é apresentado mostrando as movimentações dos seus usuários com base nessas métricas, dentro de períodos que você mesmo escolhe para analisar. Na parte superior do gráfico, você pode salvar esses relatórios ou compartilhá-los com alguém.

Mas será que é possível gerar um relatório personalizado, apenas com métricas escolhidas por mim?

Sim, é possível! Para fazer isso, clique na aba Relatórios > Personalização > Relatórios personalizados > + Novo relatório personalizado.

Depois, é só escolher um Título e definir quais serão as métricas e dimensões que esse relatório vai considerar. Se você quiser, também pode adicionar guias para os relatórios, que exibem os dados coletados de diferentes formas, como o modo Tabela Regional e o modo Funil.

Em seguida, na medida em que você for criando seus relatórios personalizados, você pode editá-los livremente, excluí-los, copiá-los e até compartilhá-los com outras pessoas.

E então, gostou de saber um pouco mais sobre como usar o Google Analytics? Compartilhe esse post e continue acompanhando nossas atualizações!

Leia também: Tráfego Orgânico: Entenda o que é e como aumentar o seu em 5 passos

Comentários