O que é SEO? Guia Simplificado para Qualquer Um Entender!

Inbound Marketing - Daniel Dias

Antes de começar, eu já quero te falar uma coisa: SEO não é algo novo. Por mais que você tenha ouvido falar dele agora, no seu trabalho ou nas suas redes sociais, esse termo já acumula uma grande jornada na Internet e permanece relevante até hoje. 

 

Mas é no meio disso tudo que você se pergunta: o que é esse tal de SEO? Por que ele ainda é tão falado hoje em dia? O que eu preciso saber para não ficar mais perdido no meio das discussões? E quando alguém me perguntar o que é SEO, o que eu falo?

O que é SEO?

Calma, calma. Eu sei que conhecer algo novo não é tão simples, ainda mais quando a gente tem tanta informação por aí.

 

Por isso que, neste artigo, o que eu quero é explicar para você o SEO da forma mais simples e compreensível por isso

 

Sim, é uma missão grande, mas espero te ajudar :).

 

Se gostar do conteúdo e ele for útil para você, não esqueça de compartilhar nas suas redes sociais ou encaminhar o link para outra pessoa que você acha que também deve ler este texto, fechado?

_________________

O que você vai encontrar neste artigo:

– O que é SEO e significado

– Como funciona o Google

– O que faz alguém que trabalha com SEO

– O que é necessário para aplicar o SEO em uma marca

– Cursos de SEO, se quiser se aprofundar nessa área

– Dicionário do SEO com o significado dos principais termos relacionados ao tema

Afinal, o que exatamente é esse SEO que tanto falam?

SEO nada mais é do que regar plantas. Um trabalho contínuo e essencial que, de pouquinho em pouquinho e com bastante cuidado, irá fazer com que a sua plantação cresça saudável e renda ótimos frutos no futuro.

Como usar o SEO?

 

“Mas como assim, Daniel?”. Calma que eu explico.

 

Imagine que você é um fazendeiro e possui uma plantação orgânica muito rica. 

 

A plantação até que está indo bem no geral, mas você sabe que ela não tem rendido tanto quanto poderia. O que fazer, então, para que ela possa dar resultados ainda melhores?

 

Você também sabe que fertilizantes artificiais podem ajudar, mas tem consciência que um resultado orgânico e natural é muito mais valioso, saudável e valorizado pelos consumidores.

 

E se o problema for que você, simplesmente, não está regando e estimulando o desenvolvimento das suas plantas adequadamente? 

 

Você tem uma boa estrutura, faz a adubação correta, mas talvez o que sua plantação precise é de um empurrãozinho a mais e com mais frequência para render o seu potencial máximo.

 

Esse empurrãozinho a mais, de forma recorrente, é o que chamamos de SEO.

 

A sigla SEO significa Search Engine Optimization (ou, em português, otimização para mecanismos de busca). Basicamente, é uma estratégia de melhoria constante de sites que serve para fazer com que eles tenham um maior alcance em sites de busca, como o Google, de forma 100% orgânica e sem precisar pagar para isso.

 

Aplicando esse conceito na sua carreira como fazendeiro, é como se a plantação orgânica fosse o seu site, as páginas fossem as plantas e o ato de regar com mais frequência fosse o trabalho de SEO, com o objetivo de fazer com que você tenha mais frutos para oferecer para mais consumidores que buscam produtos orgânicos.

 

Isto é: com o objetivo de fazer com que o seu site apareça para mais usuários da Internet que utilizam sites como o Google para buscarem o que querem, de forma natural e orgânica.

Já ouviu falar de SEM?

Se você está buscando sobre o que é SEO por aí, também pode se deparar com essa outra sigla. SEM significa Search Engine Marketing (em português, “Marketing para os Mecanismos de Busca”).

 

Encare o SEO como a parte orgânica do SEM, pois o SEM também pode utilizar de meios pagos para atingir o mesmo objetivo: fazer um site ser melhor exibido nos sites de busca, como o Google.

 

Então, na sua plantação, imagine o SEM como todas as ações que você pode fazer para trazer mais frutos, sendo regar as plantas o SEO e utilizar fertilizantes a opção mais rápida, mas paga.

 

Ficou mais claro? Espero que sim :). Vamos seguindo!

Entenda como funciona o Google, um dos principais alvos do trabalho de SEO

O Google é o principal site de buscas utilizado hoje no mundo todo e, por isso, costuma ser o principal foco do trabalho de SEO. Mas você sabe como funciona o Google? Qual a lógica por traz? Como ele decide qual o site que aparece primeiro para você? 

 

O Google funciona como se fosse uma biblioteca, que contém milhões de editoras e livros à sua disposição. Cada editora é um site da Internet e cada livro é um link, que permitiram que o Google os encontrasse e os incluísse dentro do seu gigante acervo.

 

 

O que é SEO? Guia Simplificado para Qualquer Um Entender!

 

E então, quando você faz uma pesquisa no Google, é como se você estivesse dizendo “olha Google, eu estou caçando um livro que fale sobre esse assunto” e ele te apresenta uma infinidade de opções de materiais que poderão te ajudar com o que está buscando.

 

Mas esses livros não são apresentados para você de forma aleatória. Eles são ranqueados nos resultados de acordo com alguns fatores principais:

 

  • a URL do link;
  • o conteúdo da página;
  • a autoridade e relevância da página.

 

Entenda melhor sobre esses fatores de ranqueamento abaixo.

URL

Dentro de um site, existem diversas URLs (ou links). Levando em conta que um site é como se fosse uma Editora, cada URL é como se fosse uma das formas de identificação de um livro da Editora.

 

Então, para o bibliotecário Google saber qual livro é o mais adequado para o que você está buscando, ele analisa a identificação (URL) para ter uma primeira noção se aquele livro está relacionado com o assunto que você está buscando saber mais.

 

Se a resposta for sim, então o Google tende a ranquear melhor essa URL, em comparação com outras que falam sobre o assunto mas a URL não está relacionada.

 

Por exemplo, para encontrar este texto, muitos buscam por “o que é seo”. E, antes de apresentar o conteúdo nos resultados, o Google analisou a nossa URL “https://eixo.digital/blog/o-que-e-seo/” para saber se este texto realmente tem relação com a busca sobre “o que é seo” e o insere entre os resultados para essa pesquisa.

Conteúdo

Ok, o Google viu a URL de uma página e identificou que ela tem relação com a busca que você fez. Como ele sabe se, de fato, aquela página realmente trabalha e explica sobre o assunto da sua busca? Analisando o conteúdo da página!

 

Para isso, ele avalia a estrutura e organização desse conteúdo.

 

Funciona da seguinte forma: cada livro (URL) possui um título e capítulos, que são identificados dentro do código do site por algumas tags ou marcações, sendo o título marcado com a tag H1, os capítulos com a tag H2 e os tópicos dentro dos capítulos com a tag H3.

 

Por exemplo, o título (H1) deste conteúdo é “O que é SEO? Guia Simplificado para Qualquer Um Entender!”, um dos capítulos (H2) é “Entenda como funciona o Google, um dos principais alvos do trabalho de SEO” e um dos tópicos trabalhados nesse capítulo (H3) é “Conteúdo”.

 

Dessa forma, o Google “lê” essas tags para identificar o quão relacionado e ideal para a sua busca um conteúdo é.

 

Em geral, ele tende a exibir primeiro aqueles livros que possuem o conteúdo melhor organizado, estruturado e adequado para a sua busca, a partir do título, dos capítulos e dos tópicos que são trabalhados em cada capítulo.

Autoridade e Relevância

Na maioria das vezes, livros “best-sellers”, mais vendidos ou que estão sendo muito comentados ultimamente costumam ser os primeiros que são apresentados para você quando frequenta uma livraria ou faz uma busca de um tema no site de uma, certo?

 

O Google utiliza essa mesma lógica para decidir quais os links que apresentará primeiro para uma busca que você realiza. 

 

Para o bibliotecário Google, quanto mais um site ou URL são citados, referenciados ou compartilhados na Internet, mais aquela página é relevante, pois o Google entende que os usuários gostam tanto daquele conteúdo que os indicam para outras pessoas, sendo uma referência sobre aquele assunto.

 

Sendo assim, os primeiros links que são apresentados costumam ter outros sites direcionando para eles, além de boas taxas de compartilhamento nas redes sociais.

 

Além disso, também tem um outro fator muito importante de ranqueamento que é a experiência do usuário no seu site. Mas como o Google avalia isso? 

 

Vou deixar para o nosso CEO, Raphael Caetano, te explicar melhor sobre essa questão e toda a lógica por trás do Google. Assista abaixo.

 

E o Google Bot (“robozinho do Google”), você sabe o que é?

O Google Bot, mais conhecido como “robozinho do Google”, é um robô de leitura de páginas que o Google utiliza para conseguir “ler” os conteúdos da Internet. É a partir dessa leitura que ele constrói o ranking de resultados que são exibidos para você quando faz uma pesquisa.

 

É o Google Bot que analisa a URL, a estrutura e a relevância das páginas, como viu acima.

O que faz um profissional ou especialista de SEO?

Um profissional ou especialista de SEO é justamente o responsável por planejar, implementar, supervisionar e acompanhar esse trabalho, otimizando e melhorando sites constantemente para que eles alcancem uma melhor posição nos resultados orgânicos de sites de busca.

 

E, apesar de o Google ser o principal, quem trabalha com SEO também pode trabalhar com otimização para outros buscadores, como Yahoo e Bing.

 

Como você viu, o ranqueamento de sites no Google não é aleatório. E o trabalho do profissional de SEO é justamente realizar as alterações e ações necessárias para melhorar o ranqueamento de um site com base nos principais critérios do Google.

Achou SEO interessante e quer aplicar no seu site? Saiba como fazer

Se você quer começar a fazer SEO e utilizar essa estratégia em um site, é muito importante que você siga os 4 princípios básicos de SEO:

 

  • Rastreabilidade: garanta que o seu site seja encontrado e rastreado pelos buscadores;
  • Estrutura: trabalhe para que o seu site seja mapeado adequadamente pelos buscadores;
  • Palavras-chave: faça com que o seu site esteja adaptado para as buscas dos usuários;
  • Backlinks: consiga com que o seu site seja referenciado e citado por outros sites.

 

Esses pilares são os que constroem uma estratégia sólida e efetiva de SEO. E, é importante ressaltar: os melhores resultados de SEO são percebidos de médio à longo prazo.

 

Não seja imediatista ao fazer SEO.

 

Para entender mais sobre como fazer, dicas e técnicas de SEO que você deve aplicar no seu site, recomendo que confira aqui a página de categoria sobre o assunto do nosso Blog.

 

Assim, você pode se aprofundar na área com diversos outros conteúdos que irão te ajudar!

 

Leia também:

Os 8 erros de SEO que te afastam das primeiras posições do Google

 

Quer se aprofundar na área? Recomendamos estes Cursos de SEO:

  • SEO Unlocked (Neil Patel): uma das maiores referências no mundo de SEO, o Neil possui um curso de SEO completo em que ele mesmo apresenta o método de otimização de sites que utiliza no seu próprio site e nos dos seus clientes. Eu mesmo já fiz o curso e ele é bem completo, indico muito!
  • SEO Comprovado (Eduardo Borges): esse é um curso bem prático de SEO, em que você aprenderá o passo a passo para guiar um site em direção aos melhores resultados de tráfego, conversões e vendas orgânicas.
  • #OpenSEO (Conversion): esse curso da Conversion aborda as principais estratégias, técnicas e ferramentas que você pode utilizar em um trabalho de SEO. É um material bem objetivo naquilo que é essencial para conseguir resultados orgânicos com SEO.
  • SEO Completo – Do básico ao avançado (Udemy): como o próprio nome sugere, nesse curso você irá aprender desde estratégias básicas até táticas mais avançadas de SEO, mesmo que ainda não tenha experiência na área. O curso também ensina a parte de gestão de projetos de SEO.
  • Search Engine Optimization (SEO) (Rock Content): como parte de seu projeto de ensino Rock University, esse curso de SEO da Rock Content é bastante focado na otimização de conteúdos, artigos e blog posts de sites, já que a empresa é referência em Marketing de Conteúdo no Brasil.

 

Leia também:

7 Especialistas em SEO que você deve acompanhar agora!

Dicionário do SEO: principais termos usados na área e o que significam para você não se perder

Pode já salvar este link nos seus favoritos e consultar sempre que precisar daqui em diante, ok?

 

  • Alt Text (ou texto alternativo): trata-se de um atributo das imagens de um site que serve para fazer com que o Google consiga entender o que é a imagem para também ranqueá-la no Google Imagens, além de tornar as imagens mais acessíveis para deficientes visuais, por exemplo, como uma alternativa em texto para esses usuários que não irão conseguir enxergá-las.
  • Domain Authority (DA) ou Autoridade de Domínio: trata-se de um indicador que demonstra a relevância de um site. Sites com maior DA tendem a alcançarem melhores posicionamentos nos resultados dos buscadores.
  • Backlinks: links presentes em outros sites que apontam e direcionam para um link do seu site. 
  • Black Hat SEO: prática de SEO que traz resultados rápidos mas é considerada antiética e injusta, feita para trapacear algorítmos e burlar as regras do Google, em desacordo com suas recomendações e orientações. Sites que utilizam técnicas Black Hat podem ser penalizados e sofrer consequências graves, como perda de posições e até banimento do Google. Entenda mais sobre o assunto em: Black Hat SEO e White Hat SEO: qual a técnica ideal para um site?.
  • Bounce Rate ou Taxa de Rejeição: representa quantos usuários entraram em uma página do seu site e saíram logo em seguida, sem realizar nenhuma ação ou conversão. Uma alta taxa de rejeição indica que o conteúdo de uma página não é interessante para o usuário e pode afetar o seu posicionamento no Google.
  • Cloaking: técnica de SEO considerada Black Hat que consiste em exibir uma versão de um mesmo conteúdo para o usuário (pouco relevante) e outra versão diferente para os buscadores, geralmente mais otimizada e adequada. Dessa forma, o usuário tem uma experiência ruim com o conteúdo.
  • Conteúdo duplicado: quando o mesmo conteúdo está presente em mais de um URL do site. 
  • Google Analytics: ferramenta do Google que serve para acompanhar e monitorar métricas importantes para SEO, como quantidade de visitas orgânicas de um site e taxa de rejeição, além de informações sobre os visitantes, como localização, comportamento no site, gênero, entre outras. Saiba mais sobre o Google Analytics neste outro artigo.
  • Google Trends: outra ferramenta do Google que mostra a tendência de busca de termos na pesquisa do Google, em determinado período. É útil para estudo de palavras-chave. Aprenda a usar o Google Trends para pesquisar palavras-chave aqui.
  • Gray Hat SEO: prática de SEO que une estratégias recomendadas e estratégias antiéticas.
  • Heading Tags: tags ou marcações que estabelecem uma estrutura lógica e hierárquica em uma página, como H1, H2, H3, H4 e por aí vai. A tag H1 indica para o Google a informação ou assunto mais importante da página.
  • Keyword stuffing: outra técnica de SEO considerada Black Hat que consiste no uso excessivo e repetitivo de uma mesma palavra-chave em uma página para conseguir um bom ranqueamento para aquela palavra-chave.
  • Link Building: nome dado ao trabalho, ação ou estratégia de SEO com foco em conseguir links em outros sites que apontem para o site foco da estratégia (backlinks). Saiba mais sobre o Link Building aqui.
  • Link externo: link presente em um site que direciona para outro site. Entenda melhor os links externos e como utilizá-los a seu favor aqui.
  • Link Farm ou Fazenda de Links: técnica de SEO considerada Black Hat em que vários sites combinam de oferecer backlinks uns para os outros como tentativa de melhorar a relevância e autoridade de cada um.
  • Links internos: links presentes em um site que direcionam para outro link do próprio site.
  • Meta Description ou Meta-Descrição: pequeno resumo de uma página que é exibido logo abaixo do título e da URL de um site nos resultados das pesquisas nos buscadores. No trabalho de SEO, a meta description é otimizada para atrair mais cliques no link de um site.
  • SEO Off page: estratégia de SEO que envolve elementos que não estão 100% no controle de um profissional de SEO, como a conquista de backlinks e link building.
  • SEO On page: estratégia de SEO que envolve elementos que estão no controle de um profissional de SEO, pois se encontram dentro do próprio site que está sendo otimizado. São exemplos de elementos on-page: títulos, palavras-chave, meta-descriptions, imagens.
  • Page Authority (PA) ou Autoridade de Página: indicador que demonstra a relevância de uma página específica de um site. Páginas com maior PA tendem a alcançarem melhores posicionamentos nos resultados dos buscadores.
  • Redirecionamento ou Redirect: tática para redirecionar um usuário de uma página para outra. O tipo de redirecionamento mais comum e utilizado é o redirecionamento 301.
  • Robots.txt: arquivo criado para sites que impede que o Google exiba nos resultados páginas que não são interessantes para exibição, por segurança ou opção do proprietário do site, como páginas de login no site e URLs de pesquisa interna.
  • Search Console: ferramenta do Google que serve para ter uma visão de como o próprio Google enxerga o seu site. Além disso, também é possível monitorar o desempenho orgânico e métricas importantes (como cliques, impressões, posicionamento e dados de palavras-chave). Conheça o Search Console neste outro artigo!
  • SEO Local: estratégia de SEO utilizada em sites que possuem um negócio local ou loja física, para melhorar a sua exibição para usuários da sua região ou localidade.
  • SERP (Search Engine Result Page): é a própria página em que são exibidos os resultados de uma pesquisa nos sites de busca, como o Google.
  • Sitemap: espécie de “mapa” de um site com todas as URL’s presentes nele. Assim, o Google consegue rastrear e identificar melhor as páginas existentes no site.
  • Texto âncora: termo ou frase do texto de uma página que é clicável, direcionando o usuário para outra página.
  • Title Tag: marcação feita no código de um site que identifica o título de uma página.
  • Tráfego Orgânico: volume de visitantes que um site recebe apenas organicamente, isto é, sem que seja necessário pagar para receber esse tráfego. O tráfego orgânico é o tipo de tráfego alvo do trabalho de SEO. Confira aqui algumas dicas de como turbinar o seu tráfego orgânico.
  • White Hat SEO: prática de SEO considerada a mais recomendada, pois segue as orientações e direcionamentos corretos dos sites de busca.
  • Yoast SEO: plugin frequentemente utilizado em um trabalho de SEO, que auxilia na execução de ações e tarefas que são importantes nessa área, como criação de sitemap, ajustes de títulos e meta-description. O Yoast também oferece um checklist de SEO para uma página.
  • YouTube SEO: estratégia de SEO com foco em melhorar o ranqueamento e o desempenho orgânico de vídeos no YouTube, já que a plataforma também é considerada um dos maiores buscadores do mundo. Confira aqui o nosso guia completo sobre YouTube SEO!

 

Para quem está começando a aprender sobre SEO, alguns termos ou palavras podem parecer confusas ou estranhas de início.

 

Mas, fique tranquilo, pois logo logo você estará entendendo tudo e evoluindo em SEO.

 

Para te ajudar ainda mais a entender sobre SEO, separei alguns outros artigos do Blog da Eixo que podem ser úteis para você:

 

 

 

 

Comentários