Como tomar decisões baseadas em dados?

Imagine que você é o diretor de Marketing de uma grande empresa alimentícia, e que o seu CEO atribuiu à você a importante tarefa de decidir se a empresa deve ou não produzir uma segunda linha adaptada do produto mais vendido. Como você tomaria essa decisão: com base em análise de dados e estatística, ou com base na sua intuição e em experiências anteriores?

Se você respondeu a segunda opção, à princípio, você não está agindo errado. Mas com a dinâmica do mercado evoluindo a todo momento, basear-se apenas em intuições e na sua experiência pode fazer com que você não tome as melhores decisões, sendo necessário consultar fontes mais racionais para, de fato, acertar o alvo.

Neste artigo, você vai entender melhor qual a importância de tomar decisões baseadas em dados, e como você pode começar a fazer isso dentro do Marketing da sua empresa. Vamos lá!

Por que se basear em dados pode ser mais seguro do que confiar apenas na sua intuição?

 

Segundo uma ampla pesquisa realizada pela PwC envolvendo mais de 2.100 líderes executivos de diferentes níveis de hierarquia, de 10 países e 15 indústrias, 33% deles afirmaram que costumam tomar decisões dentro da empresa com base na sua pura experiência e intuição. Por sua vez, 35% deles disseram que baseiam suas decisões em dados internos e análise.

Embora essas duas taxas estejam bem próximas, a pesquisa revela que ainda é pequeno o número de líderes que se baseiam em dados na hora de tomar alguma decisão importante.

Quando você se baseia em intuição e em experiência pessoal, a tendência é que você seja parcial na hora de escolher uma direção ao invés da outra, por mais que essa escolha tenha uma razão justificável. Afinal, você já vivenciou isso antes e sabe o que deu certo e o que não deu, não é mesmo? 

Embora a experiência ajude a escolher o melhor caminho e a não cometer os mesmos erros, basear-se em dados inteligentes torna o processo de tomada de decisão mais sistemático, uma vez que eles independem de emoções. Dados, de modo geral, são racionais e objetivos. Eles mostram a o que está ocorrendo, de fato, independente se vão contra ou não às expectativas da empresa.

Nesse sentido, tomar importantes decisões com base em dados pode não só embasar melhor as estratégias, mas alterar o que for preciso onde realmente seja necessário. O simples julgamento humano, por mais experiente que seja, pode não conseguir identificar com exatidão onde as estratégias de Marketing precisam ser revistas. Os dados, por sua vez, podem mostrar o que, de fato, resultou das ações.

Aliar intuição, experiência e análise de dados, portanto, é a melhor maneira de otimizar as estratégias e tomar decisões mais acertadas. Mas como fazer isso?

Separamos algumas dicas que vão te ajudar. Acompanhe!

Os KPIs irão direcionar as estratégias e definir quais dados serão relevantes

 

O primeiro passo para analisar dados e basear-se neles para tomar decisões é definir com clareza os KPIs (ou Key Performance Indicator, que significa indicador chave de desempenho). São eles que irão direcionar a empresa a partir de objetivos definidos, uma vez que os KPIs servirão como indicadores para verificar se suas estratégias estão ou não dando o resultado esperado.

A partir disso, será possível priorizar dados em uma gama infinita de informações que sua empresa pode coletar. Isso é muito importante porque já elimina muitos caminhos considerados viáveis apenas por pura intuição e experiência.

KPIs podem ser definidos para avaliar vários objetivos: aumentar o número de visitantes do seu site, aumentar os leads, melhorar o Custo por Clique (CPC) e o Custo de Aquisição por Cliente (CAC), dentre uma série de outras metas.

Para te ajudar a escolher os melhores KPIs para suas estratégias, leia esse artigo: 10 KPIs que todo gerente de Marketing deve acompanhar já.

Os softwares de análise de dados devem ser vistos como aliados

 

A pesquisa da Pwc com os líderes executivos também mostrou que muitos deles ainda não confiam na tecnologia para respaldar suas decisões. E essa desconfiança pode ser ainda maior quando falamos em inovações que, para muita gente, ainda é uma bola de neve: Big Data, Inteligência Artificial, Business Intelligence, e por aí vai.

Embora possam parecer difíceis de compreender à primeira vista, esses são conceitos que estão sendo cada vez mais incorporados nas grandes empresas e indústrias. Para os profissionais de Marketing que buscam uma melhor performance na internet, alguns exemplos onde eles já estão sendo aplicados é nos softwares digitais para coleta e análise de dados.

Leia também:

4 melhores dashboards de Marketing para Performance

Google Analytics, Google Data Studio, SEMRush, Mapas de Calor, ferramentas de Automação inteligentes, todos vêm trabalhando constantemente para otimizar as suas estratégias online, e gerar insights para facilitar a sua tomada de decisões.

Você deve escolher com quais ferramentas trabalhar de acordo com os KPIs definidos. E lembre-se: uma forma de aumentar a confiança na tecnologia para aliá-la à sua experiência, é configurar as ferramentas corretamente, para que elas lhe tragam os insights que você precisa.

Quer uma ajuda para escolher seus softwares? Então conheça aqui as principais ferramentas de Marketing Digital

Crie uma cultura data-driven dentro da sua empresa

 

Pode ser que a relutância em basear decisões com base em dados esteja relacionada com a ausência de uma cultura data-driven na empresa. Isto é, ainda não há uma equipe orientada e direcionada em dados, para tomar decisões e alcançar os objetivos definidos em um negócio.

Para explicar melhor: analisar dados, por si só, não é nenhuma novidade. Uma empresa séria sabe que precisa fazer estudos prévios, como uma pesquisa de mercado e entrevistas com clientes. Entretanto, o que vem acontecendo nos últimos anos é uma democratização de dados, visto que eles são produzidos em escalas cada vez maiores e a todo momento. As informações são tão grandes que não é possível mais ignorar os dados e deixá-los em segundo plano.

Nesse sentido, CEO, líderes de departamentos e todos os colaboradores precisam alinhar sua visão em uma fonte comum de informações, uma vez que cada um tende a basear-se também na realidade local e em experiências individuais.

Para o profissional de marketing, uma forma de trazer essa cultura de data-driven para dentro da empresa, é definir todas as ações com base nos números já disponíveis no mercado do segmento, nos dados da empresa já disponíveis em ferramentas, como o Google Analytics, e nos dados coletados por outras ações anteriores já aplicadas.

A empresa deve ter capacidade de alinhar seus processos produtivos baseados em dados, e conduzir toda a equipe para fazer o mesmo.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, leia também: BI e Marketing de Performance: como analisar e interpretar dados com foco na conversão de vendas

Comentários