8 práticas que fazem a diferença em uma produção de conteúdo

Fala do Especialista - Camila Serrat - 30/01/2019

Gosto de dizer que a maioria dos problemas que enfrentamos no dia a dia poderiam ser resolvidos por um meio, de modo geral, bem acessível: a comunicação. Ela é peça fundamental, não só para o marketing, mas para a vida como um todo: relacionamentos pessoais e profissionais, conflitos, resoluções, tomadas de decisão, e por aí vai.

E o que há por trás da comunicação que a garante todo esse poder? O conteúdo. A forma de se comunicar tem o seu peso, mas o que é comunicado, a essência da mensagem é o que realmente tem poder para colar ou não, abrir portas, criar muralhas, ou mesmo, não causar efeito algum.

Um bom conteúdo envolve, em parte, técnica e conhecimento de linguagem, mas, principalmente, disponibilidade para fazer a diferença com a mensagem. Bom conteúdo envolve pesquisa, imersão, criatividade, sensibilidade, foco, objetivos e, claro, uma organização lógica de tudo isso para passar a informação adiante.

Na prática de conteudista, confira o que aprendi ser fundamental para a produção de conteúdo!

1. Bom uso da língua

Um “bom uso da língua” varia do assunto a ser tratado e, principalmente, do para quem se destina a mensagem. Aqui sempre chamamos essa pessoa de persona.

Para o seu negócio, por exemplo, pode ser que o uso de gírias, memes e emoticons 💙 sejam itens obrigatórios; para outros, um mínimo de formalidade pode ser necessário. Para certas marcas, até os erros de português podem ser o diferencial. O próprio Sensacionalista brincou falando da Jiang, ex-participante chinesa do Masterchef Brasil, que tinha como grande característica de sua marca pessoal o português prejudicado, falando palavras como “flango” ao se referir a “frango”.

Mas, de um modo geral, é indispensável contar com um bom português, uma linguagem acessível (sem uso de palavras difíceis desnecessárias) e com mensagens mais diretas e menos “enrolação”.

Para a escrita, infelizmente, digo que é raro encontrar pessoas que escrevam bem. Falo daquele texto gostoso de ser lido, com ideias claras e coerentes do início ao fim, sem erros de português e que entreguem um valor real para quem o lê.

Por isso, seja qual for o formato do seu conteúdo (texto, vídeo, áudio, ebook, infográfico,…), construa-o com estratégia e com zelo. Revise-o sempre. Detalhes fazem a diferença.

 

2. Abandone o ego e fale sobre o que a sua persona quer saber

Abandone o ego sim. Isso porque é muito comum que a primeira mensagem que nos venha à mente durante uma produção de conteúdo tenha mais a ver com as nossas dores do que com a dor do outro, ou seja, com a dúvida que o outro deseja retirar.

Então, a não ser que esteja escrevendo no seu diário, pesquise sobre o que a sua persona deseja saber. Coloque-se no lugar da persona. Empatia aqui costuma ser um item bem válido.

Em pesquisas de palavras-chave, será possível identificar também quais são os termos mais buscados pela sua persona. Então, escreva para ser relevante e não por vaidade ou para comprovar conhecimento.

3. Pense nas dúvidas e objeções que podem surgir no decorrer do assunto e retire-as

Parte da revisão, deve se concentrar nessa etapa. Mesmo que você tenha uma pauta em mãos, é natural que, no desenvolvimento do conteúdo, o assunto vá desmembrando em diversos outros assuntos. Nunca será possível abordar exatamente tudo, mas se você conhece a sua persona, saberá exatamente em que pontos suas questões e, até objeções, podem aparecer.

Por exemplo, se você está detalhando determinado serviço, sua persona pode começar a questionar, enquanto é impactada pelo material, se o serviço é mesmo de qualidade, se alguém já testou, se ela conseguiria pagar por ele e por aí vai…

Como eu disse, não dá para esgotar o conhecimento, mas dá para mapear tudo aquilo de mais relevante para as necessidades da persona.

4. Conte histórias

 

A ideia de storytelling pode ser traduzida pela simples ação de trazer o assunto para o dia a dia, para aquela prosa entre amigos que rende vários insights. Nós aprendemos mais fácil com histórias que envolvem pessoas, data e contexto. Por isso, ao invés de falar dos benefícios de determinado sistema, diga como o sistema ajudou a vida do João que quase teve o seu negócio fechado, por exemplo. O engajamento será outro!

Então, fale menos de coisas e mais de pessoas. Conte histórias!

Leia também:

COPYWRITING: o que é e como utilizar?

5. Técnicas de SEO

Representando uma Agência de Inbound Marketing, este item não poderia faltar né? E acredite, não é uma dica extra. Quando se fala de conteúdo digital, trata-se de uma prática fundamental para que a sua própria persona tenha acesso aos conteúdos produzidos. Que frustrante seria falar sozinho ou mesmo falar com pessoas completamente aleatórias sem qualquer sentido para a sua estratégia, não é mesmo?

E quais são os passos básicos do SEO?

  • Uso de palavra-chave no título, em ao menos um subtítulo, e no primeiro parágrafo do texto;
  • Uso de H1, H2, H3, conforme a necessidade;
  • Uso de links internos para outros materiais pertinentes;
  • Sempre nomear imagens/vídeos presentes com a palavra-chave;
  • Indicar um CTA (Chamada para a Ação).

6. Abuse dos formatos de conteúdo

Que tal facilitar a vida dos seus visitantes, oferecendo a eles várias opções para acompanhar o seu conteúdo?

Por exemplo, olha esse conteúdo do Raphael Caitano, CEO aqui da Eixo:

Como calcular ROI e CAC do marketing digital

Perceba que, além de ter um texto todo detalhado sobre duas métricas fundamentais do marketing digital, ele também gravou dois vídeos para explicá-las. A forma de consumir o conteúdo já fica por conta do usuário. Outra opção poderia ser gravar um áudio do texto para quem prefere escutar o conteúdo, ao invés de ler. Pense no valor agregado: até mesmo dirigindo, seria possível ouvir o conteúdo…

Também é interessante que todos os seus canais conversem, com a comunicação adaptada às especificidades de cada um deles. Por exemplo, alinhe os temas que serão trabalhados no seu Blog, Youtube, Facebook, Instagram, Linkedin, e em todas as redes em que sua marca esteja presente… Comunicar a mesma coisa de formas diferentes é um desafio, mas que pode gerar um excelente engajamento, com resultados satisfatórios.

7. Tenha um planejamento

Não existe conteúdo estratégico sem planejamento. E aqui, eu já parto do princípio de que você conhece o conceito de Jornada de Compra, de que você conhece sua persona e que sabe, portanto, exatamente o que pretende com a sua produção de conteúdo.

Confira este outro artigo que escrevi:

Como construir a jornada de compra do seu cliente

Aqui na Agência, gostamos de trabalhar com planejamentos anuais de conteúdo. Significa que ficamos presos ao planejamento? Claro que não. Ajustes são feitos o tempo todo. Mas significa que a cada início de planejamento, definimos, com muita pesquisa, tudo que é importante ser abordado. Em seguida, organizamos um cronograma e, naturalmente, temos uma previsão de tudo que conseguiremos explorar no decorrer do ano. Isso nos possibilita ações mais estratégicas e direcionadas ao nosso objetivo.

Para se ter uma ideia, esse é o meu primeiro artigo de 2019 para o Blog da Eixo. Em nosso planejamento, fiquei responsável por um artigo por mês, sendo que todos os meus próximos títulos, até dezembro, já estão definidos. E foram aleatórios? Não mesmo. Todos os títulos constroem uma relação com os demais títulos que serão publicados no Blog e com os demais projetos da Eixo. Agora minha responsabilidade é apenas uma: fazer acontecer! 😉

8. Valide sua estratégia

E, por último, após a implantação do planejamento, defina períodos para analisar os resultados. Você pode definir, por exemplo, que a cada 3 meses fará uma revisão completa das suas estratégias de conteúdo. E poderá avaliar dados como:

  • Quantidade de acessos ou de visualizações do conteúdo;
  • Taxa de rejeição (as pessoas passam tempo o suficiente para ler os seus artigos ou o abandonam logo no primeiro parágrafo, por exemplo?);
  • Taxa de conversão em landing pages, em cadastros para newsletter e outros;
  • Taxa de cliques em CTA’s;
  • Conteúdos com melhor ranqueamento (avalie o que pode ser feito para que ele salte para as primeiras posições);
  • Posições das palavras-chave (sua estratégia está conseguindo ranquear palavras-chave interessantes para o negócio?);
  • Taxas de campanhas de e-mail marketing;
  • E o que mais for definido como um KPI importante para a estratégia.

 

E aí, este conteúdo fez a diferença para você? Essa pode ser uma outra forma de validar sua estratégia: sempre consultar o público sobre o que estão achando dos materiais. Neste caso, fiquem à vontade para comentar, ok?

Em breve, estarei por aqui com mais um artigo 🙂 Até lá!

 

#FalaDoEspecialista

Camila Serrat é líder de conteúdo da Agência Eixo Digital, coordenando toda produção interna e externa realizada pela Agência. Sempre fez das letras sua principal forma de comunicação e pode comprovar, no dia a dia, que uma comunicação estratégica é capaz de abrir grandes portas e de fortalecer vínculos importantíssimos.

Comentários